Arquivo de GP da Arábia Saudita - Fair Play

destaque-1-scaled.jpg?fit=1200%2C800&ssl=1
Luís PereiraMarço 28, 20224min0

Max Verstappen venceu um duelo frenético com Charles Leclerc para conseguir a primeira vitória do ano no GP da Arábia Saudita. As últimas voltas proporcionaram grande parte da ação, com muita tática e disputa pela última zona de DRS, com Leclerc a dar tudo para ficar com a liderança, mas no final foi o neerlandês que conseguiu chegar à vitória.

Os Red Bull pareciam ser os mais competitivos do fim de semana com Sérgio Perez a conseguir a sua primeira pole da carreira. Os Ferrari ainda largaram de segundo e terceiro, na frente de Verstappen, mas cedo o Campeão em título conseguiu chegar a lugares de pódio.

Perez dominou o início da corrida, mas foi o primeiro a parar para pneus frescos, numa paragem que não foi das mais rápidas e deixou o mexicano na quinta posição. Como um azar nunca vem só, quando Latifi bateu e fez surgir um safety car.

Isso permitiu a quem ainda não tinha parado de o fazer em condições mais favoráveis, deixando Leclerc na liderança, perseguido por Verstappen. Nestas condições, e usando uma estratégia diferente, também permitiram Lewis Hamilton, que partiu da 15ª posição, de subir ao sexto lugar, mas ainda com uma paragem por fazer.

A estratégia da Mercedes pedia a que voltasse a haver um safety car, que permitiria uma paragem com pouca perda de posição, e parecia que isso ia acontecer, quando o Alpine de Fernando Alonso, o Alfa Romeo de Bottas e o McLaren de Daniel Ricciardo tiveram problemas.

Foi uma enorme desilusão para os pilotos, que rodavam nos pontos, mas também para Hamilton, que pensava que seria o momento certo para trocar de pneus, mas a pit lane estava fechada, uma vez que o McLaren e o Alpine ficaram parados nessa zona.

Quando a corrida recomeçou, Hamilton parou para mudar de pneus, mas caiu muitas posições, com a 10ª posição a ser a final. Um arranque de época terrível para a Mercedes e com o piloto inglês a ver muito difícil, para já, a tentativa de recuperação do título mundial.

Tudo isto também permitiu uma reaproximação dos lugares cimeiros, com Verstappen a sentir que chegara o momento de lutar pela vitória. Tal como aconteceu no fim de semana anterior, Leclerc sabia que a melhor hipótese que tinha seria a de guardar-se para ficar em posição privilegiada na última zona de DRS.

Se a estratégia tinha resultado tão bem no Bahrein, aqui só resultou por um par de voltas, porque o piloto da Red Bull aprendeu e depois de duas tentativas, conseguiu deixar-se para a última zona de DRS ultrapassando o Ferrari na primeira curva.

Agora a posição invertia-se, mas Verstappen tinha andamento suficiente e venceu a corrida. Leclerc teve de se contentar com um bom segundo lugar, na frente do colega de equipa, Carlos Sainz em mais um duplo pódio para a Ferrari.

Perez acabou em quarto, na frente do Mercedes de Russell, que pouco conseguiu fazer. Ocon e Norris foram os Alpine e McLaren sobreviventes, com Norris a dar os primeiros pontos para a McLaren. Gasly, Magnussen e Hamilton fecharam o top 10.

Até agora parece que a luta vai ser entre a Ferrari e Red Bull, com o resto do pelotão muito longe do andamento destas duas equipas. Num ano em que se esperava ver mais do que uma luta a dois, está a valer pela disputa a dois jovens pilotos da Red Bull e Ferrari.

GRANDE PRÉMIO DA ARÁBIA SAUDITA

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

CAMPEONATO DO MUNDO DE CONSTRUTORES

destaque.jpg?fit=1200%2C675&ssl=1
Luís PereiraDezembro 6, 20215min0

Lewis Hamilton venceu o inaugural GP da Arábia Saudita e vai para a última corrida da temporada em igualdade pontual com Max Verstappen. Se a época de 2021 estava a ter muitas polémicas e corridas a fazer correr muita tinta, então o GP da Arábia Saudita é a cereja no top do bolo. A corrida foi caótica, com drama, bandeiras vermelhas, toques entre os candidatos ao título e muita falta de maturidade.
Depois de uma qualificação marcada pelo erro na última curva de Max Verstappen, foi Lewis Hamilton que arrancou da pole, num arranque limpo sem qualquer incidente de registar.

Na frente ia a dupla da Mercedes, seguidos pelo Red Bull de Verstappen, com o Ferrari de Leclerc a ser perseguido pelo outro Red Bull. Tudo estava relativamente sossegado, com pouca ação, até que na volta dez Mick Schumacher bateu forte, o que motivou a entrada do Safety Car.

Isso levou alguns pilotos a aproveitar e parar para fazer a troca de pneus, como a dupla da Mercedes e Lando Norris. Verstappen achou que tinha sido muito atrasado por Bottas, então decidiu ficar em pista, assumindo a liderança.

Só que os danos na barreira eram demasiados e levou a uma bandeira vermelha. A vantagem estava agora do lado do neerlandês. O recomeço foi caótico. Hamilton arrancou melhor, mas Verstappen, para não ceder a posição, cortou a curva, o que levou o britânico a ações evasivas, o que o faria perder uma posição para Ocon. Atrás, um ligeiro toque de Leclerc em Perez levou o Red Bull às barreiras e Mazepin foi contra a traseira de Russell. Mais uma bandeira vermelha.

Max estava na frente, mas uma vez que tinha cortado a curva, teria de ceder posição. Então a direção de corrida sugeriu que o neerlandês arrancasse atrás de Hamilton. No terceiro arranque da noite o ainda campeão do Mundo arrancou bem, tentou segurar a posição a Ocon, mas deixou-se passar por Verstappen. Hamilton caiu para trás de Ocon, mas passou-o na volta seguinte.

Agora era luta em pista pelos pretendentes ao título. Era também uma luta de estratégias, com o Red Bull a ter pneus médios, enquanto o Mercedes tinha os duros. Enquanto isso muitos destroços na pista iam fazendo surgir alguns Virtual Safety Car, o que poderia ajudar os pneus menos duradouros montados no Red Bull. Mas quando a corrida recomeçou o Mercedes parecia mais eficaz.

Foi então o momento que Hamilton aproveitou para tentar ultrapassar Verstappen, com o neerlandês a defender-se de uma forma muito agressiva, cortando, outra vez, a curva, obrigando os dois a sair de pista.

A equipa deu ordem a Verstappen para deixar passar Hamilton, mas para fazer isso sem perder o britânico de pista, decidiu fazê-lo na reta, numa manobra duvidosa. Hamilton, que não sabia o que se estava a passar, e não queria ir para aquela fase da pista e dar DRS ao rival, também travou. Com esta confusão Hamilton bateu na traseira do Red Bull, mas felizmente sem males maiores para nenhum dos dois.

A confusão estava instalada e uma vez que não houve devolução da posição, Max foi penalizado em cinco segundos por ter cortado a curva.

Foi aí que o piloto da Red Bull tentou novamente ceder a posição, num bom local, porque voltou a passar o adversário quase imediatamente, mas isso já não faria ele perder a penalização. A luta em pista continuava, mas o andamento do Red Bull ia perdendo eficácia, e na volta 44, o britânico da Mercedes fez uma ultrapassagem musculada, para apimentar ainda mais o clima.

A partir daí não houve mais incidentes, com Hamilton a ir, sem problemas, rumo à sua 103ª vitória na F1. Verstappen ficou em segundo, e levou mais 10 segundos de penalização pelo incidente onde travou para ceder o lugar a Hamilton.

A manobra foi considerada perigosa pelos comissários e apesar de tudo o piloto da Red Bull devia sentir-se felizardo por ter escapado apenas com essa penalização. Com isto vamos ter a última corrida do ano a ser disputada com igualdade pontual no topo da classificação, algo que não acontecia desde 1974, quando Emerson Fittipaldi venceu o título de Campeão para a McLaren.

Espera-se um final de temporada com bastante emoção, mas que tenha pouca polémica e que seja uma luta justa e limpa em pista pelo campeão do Mundo de F1 de 2021.

GRANDE PRÉMIO DA ARÁBIA SAUDITA

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

CAMPEONATO DO MUNDO DE CONSTRUTORES


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS