Arquivo de Fut. Nacional - Fair Play

estadio-avalade.jpg?fit=1200%2C675&ssl=1
Bruno Costa JesuínoOutubro 17, 20205min0

Hoje é dia “Clássico”. O primeiro da época. Frente-a-frente o campeão nacional em título e um leão rejuvenescido. Sentado no sofá, a quatro horas do jogo, vou fazer as minhas previsões a partir do meu sofá. Quem serão os onze titulares? Que equipa vai pegar no jogo? Que jogadores podem resolver?

Quem irá jogar de início?

Ponto 1. Com vários jogos internacionais e muitos jogadores de ambas as equipas nas respectivas seleções, pode proporcionar a que os treinadores surpreendam laçando algum jogador que tenha ficado a trabalhar a equipa durante esta paragem.

Porto mantendo a mesma linha

No lado do Porto, Sérgio Conceição tem integrado os reforços sempre de forma gradual. Sendo assim é expectável que aposte nos jogadores que melhor conhecem a dinâmica da equipa. E no 433 que tem usado nos últimos tempos, em detrimento do 442. Se no eixo central, Marchésin, Pepe e Mbemba, têm o lugar garantido, nas laterais surgem as primeiras dúvidas. Manafá tem sido indiscutível à direita mas, com a saída de Alex Telles, poderá também ser hipótese para o lado esquerdo. No entanto será mais expectável manter-se na posição habitual, estreando-se o reforço Zaidu como titular no lugar do novo jogador do Manchester United. Não é de descartar, embora pouco provável, a hipótese de Diogo Leite jogar à esquerda. Nanú, será o plano B para lateral direito.

No meio campo, o cada vez mais influente Sérgio Oliveira deverá fazer dupla com Uribe, jogando Octávio mais solto. A surpresa que poderia surgir na entrada de Loum para o lugar do colombiano.

Na frente, Marega deverá ser a referência, com o indiscutível Corona à direita e Luis Díaz à esquerda. A espreitar a titularidade estarão Filipe Anderson, Nakajima e Taremi.

Sporting à procura da afirmação

No Sporting a expectativa é muita face à capacidade de Rúben Amorim construir uma equipa à sua imagem. Um treinador que ainda no Sporting de Braga, levou a melhor sobre os três grandes nos confrontos directos. Indiscutivelmente o plantel está mais forte que a época passada, e nomes muito interessantes como Pedro Gonçalves, Pedro Porro, Nuno Santos, Palhinha e o grande “regresso” de João Mário. A juntar isto a expectável explosão do miúdo Nuno Mendes lançado na época passada e a confirmação (ou não) que Jovane consegue manter o nível do final da campanha anterior.

Na baliza, deverá manter-se o experiente Adán, atrás de uma linha de 3 centrais – Neto, Coates e Feddal – secundada pelos laterais Pedro Porro e Nuno Mendes.

No zona nevrálgica do terreno Rúben começou por optar por um duplo pivot constituído por Matheus Nunes e Wendel. No primeiro jogo após a saída do brasileiro para à Rússia, recuou Pedro Gonçalves para o lado de Matheus. Para este jogo, e com integração total de Palhinha, a hipótese deverá recair em Palhinha.

Na frente, como falsos alas, maiores dúvida, embora com algumas retiradas com a conferência de imprensa face à não inclusão de João Mario entre os titulares. Na esquerda, Pedro Gonçalves (Nuno Santos, se Pedro recuar), Jovane mais solto, e na direita Tiago Tomás ou Vietto.

O que esperar do jogo?

Provavelmente será um jogo muito táctico e até haver golos não deverá ser muito ritmado. O Sporting tentando fazer recuperações de bola altas para as transições rápidas que a equipa tanto gosta. O Porto, a tentar pegar no jogo, apostando na profundidade de Marega e nas diagonais de Corona e de Luis Díaz.  A equipa de Sérgio vai tentar pressionar a saída de bola do Sporting, uma vez que os centrais não são especialmente bons com bola, apostando na agressividade de Marega, Corona e Octávio na pressão em zonas altas. A equipa de Rúben, a tentar ultrapassar rapidamente essa primeira fase de pressão deixando o adversário exposto e desequilibrado.

Com o jogo a zeros, as equipas vão dar primazia à coesão da equipa, deixando a criatividade para segundo plano e para zonas de terreno em que uma eventual perda de bola deixe a equipa menos exposta.

Mas a partir do primeiro golo, muito pode mudar…

Gritos de Guerra

Basta uma derrota para a confiança cair e isso é normal nos clubes grandes. Uma derrota nestes clubes e ainda para mais no Sporting tem um impacto muito grande. Nós não nos podemos desviar do nosso caminho com base num resultado. Nós vamos dar a mesma resposta ao FC Porto, caso ainda estivéssemos na Europa. Nada vai mudar. Temos confiança no nosso trabalho. – Rúben Amorim

Poderá haver surpresa na caraterística do jogador que se encaixa num modelo de jogo. Um Nakajima e um Felipe Anderson são diferentes de Corona ou Otávio, por exemplo. A diferença é dada pelas caraterísticas. Mas existe um conhecimento coletivo e também individual, cada vez mais, dos jogadores que compõem o onze. Estamos preparados para isso. – Sérgio Conceição

E agora os famosos prognósticos de sofá

O Porto, mesmo jogando fora, será favorito. Equipa mais estruturada com valores mais afirmados no futebol português e, ainda por mais, vindo de uma derrota caseira, não quererá deixar os “seus créditos por mãos alheias”. Do outro lado, o Sporting, eliminado das provas europeias, quer provar que pode ser mais que “outsider” na luta pelo título e que se pode bater de igual para igual.

Prognóstico: 1-2.

Jogadores em destaque: Nuno Mendes e Corona

E por agora é tudo, aqui do meu sofá.


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS