25 Abr, 2018

Arquivo de FP+ - Fair Play

1524581437702020.jpg?fit=1060%2C600&ssl=1
Ricardo LestreAbril 24, 201810min0

Falta cerca de um mês para o término dos principais campeonatos europeus e um pouco mais para o pontapé de saída do mercado de verão. Com a ajuda da plataforma Transfermarkt, reunimos os 58 jogadores que se encontram em final de contrato com os respetivos clubes e, em diferentes categorias, dividimos e sugerimos alguns negócios que poderão ser levados a cabo no defeso, não colocando de parte, obviamente, as várias renovações de contrato que irão ou não acabar por surgir. Hoje, nesta primeira parte, as luzes estarão apontadas para os ‘Alvos Iminentes’, ou seja, os ativos mais apetecíveis, sobretudo devido à relação idade/rendimento, desta lista.

Lazio: Stefan de Vrij

Liverpool: Emre Can

OGC Nice: Mario Balotelli, Maxime Le Marchand

Schalke 04: Max Meyer

Manchester United: Daley Blind, Luke Shaw, Marouane Fellaini

Arsenal: Jack Wilshere, Santi Cazorla

Shakhtar Donetsk: Bernard, Facundo Ferreyra

Fiorentina: Milan Badelj

Juventus: Giorgio Chiellini, Kwadwo Asamoah

Bayern Munique: Arjen Robben, Franck Ribéry

Besiktas: Oguzhan Özyakup

Crystal Palace: Yohan Cabaye, James McArthur, Joel Ward, Bakary Sako

FC Porto: Iván Marcano, Diego Reyes, Iker Casillas

Eintracht Frankfurt: Lukas Hradecky

Paris Saint-Germain: Hatem Ben Arfa

Swansea City: Ki Sungyong

Hull City: Abel Hernández

AFC Ajax: Amin Younes, Nick Viergever

Saint-Étienne: Jonathan Bamba

Tigres: André-Pierre Gignac, Javier Aquino

CSKA Moscovo: Bibras Natcho, Georgi Schennikov

Lanús: Lautaro Acosta

Werder Bremen: Zlatan Junuzovic

Real Madrid: Achraf Hakimi

Eibar: Dani García

Everton: Joel Robles

Dínamo Kiev: Evgen Khacheridi, Dieumerci Mbokani

FC Zenit: Domenico Criscito

West Bromwich Albion: James Morrison

Manchester City: Yaya Touré

Leicester City: Robert Huth

SM Caen: Damien da Silva

UC Sampdoria: Ivan Strinic

Chievo Verona: Perparim Hetemaj

FC Nantes: Adrien Thomasson

Al Jazira: Romarinho

Friburgo: Marc-Oliver Kempf

FC Fulham: Ryan Fredericks

Real Sociedad: Sergio Canales

Getafe: Vicente Guaita

Saint-Étienne: Kévin Théophile-Catherine

Augsburgo: Marwin Hitz

ALVOS IMINENTES

Stefan de Vrij

Idade: 26 anos

Nacionalidade: Holandesa

Posição: Defesa-central

Valor de mercado: 40 milhões de euros

De Vrij é um nome já bastante cogitado pelos grandes colossos europeus. Defesa-central de 26 anos, internacional pela Seleção da Holanda e titular absoluto na Lazio, desde a sua chegada em 2014 que tem deixado excelentes apontamentos dentro de campo, confirmando o rótulo de ‘hot prospect’ que lhe havia sido colocado ao serviço do Feyenoord. De Vrij estreou-se ao serviço dos De Trots van Zuid com apenas 17 anos e, aos 20, assumiu a braçadeira de capitão do clube, tornando-se no mais jovem de sempre a atingir tal façanha.

Forte fisicamente, alto e com um ótimo jogo aéreo, é no passe que se encontra a sua grande virtude. De Vrij atuou inicialmente como médio, recuou mais tarde para lateral, até se estabelecer no centro da defesa. Na presente edição da Serie A, soma uma taxa de sucesso no passe de 91,9% e uma média de 1,3 duelos aéreos ganhos por jogo. A tudo isto, junta uma capacidade técnica interessante aliada a uma leitura de espaços/timings de antecipação bem apurada.

O seu futuro tem sido bastante cogitado e o Internazionale parece ser o destino mais provável assim que consumada a sua saída da capital italiana. No entanto, conjuntos como Liverpool, Manchester United e Arsenal continuam à espreita e são, certamente, os clubes mais indicados para darem seguimento à sua evolução.

Max Meyer

Idade: 22 anos

Nacionalidade: Alemã

Posição: Médio-centro; Segundo-avançado

Valor de mercado: 20 milhões de euros

Meyer é mais um produto de qualidade made in Schalke 04. Médio desenvolvido nas camadas jovens do clube desde o ano de 2009, altura em que proveio do modesto MSV Duisburg. A titularidade indiscutível do internacional alemão de 22 anos na principal equipa dos Die Knappen remonta à temporada 2013/2014 e aos seus tenros… 18 anos de idade.

O camisola 7 agitou o mercado europeu desde bem cedo pelo facto de a sua decisão em não renovar o contrato com o emblema germânico se ter tornado pública por uma alegada insatisfação com as declarações do anterior técnico Markus Weinzierl, que o criticou por não se esforçar tanto como os seus companheiros. E a verdade é que Max Meyer não é um jogador intenso nem combativo. É sim um elemento muito inteligente na ocupação de espaços, no drible curto e na visão de jogo daí que esteja destinado a uma equipa que faça da posse de bola a sua grande virtude. Tem uma grande velocidade de raciocínio e é muito forte no capítulo do último passe, o que contrasta com a pouca velocidade atlética, diga-se.

A evolução sob o comando técnico de Domenico Tedesco – passou de um 8 para um segundo-avançado – é notória e a sua maturidade táctica impressionante. Muitos são os clubes que monitorizam a sua situação, mas Barcelona e Arsenal continuam na pole position e, em ambos os casos, os cenários, parecem, à primeira vista, os ideais.

Oğuzhan Özyakup

Idade: 25 anos

Nacionalidade: Turca

Posição: Médio-ofensivo

Valor de mercado: 10 milhões de euros

Um dos maiores talentos turcos da sua geração Ozyakup é, nos dias de hoje, pedra basilar na equipa principal do Beşiktaş JK. Formado na academia do AZ Alkmaar, o internacional turco nascido em solo holandês – atuou em ambas as Seleções em diferentes escalões -, despertou bem cedo a atenção de emblemas de topo. Optou, aos 16 anos de idade, por rumar ao Arsenal FC de Arsène Wenger e o francês foi acompanhando de bem perto a sua evolução. Chegou a figurar nas convocatórias da equipa principal, embora sem grande sucesso, e a primeira titularidade deu-se numa partida para a Taça de Inglaterra. Em 2012, e perante algum desalento por não ter conseguido justificar o hype criado em seu redor, rumou ao gigantes do Besiktas. E o destino não poderia ter sido o mais acertado.

Envergando a camisola 10 das Águias Negras, Ozyakup tem sido um dos mais consistentes jogadores da formação comandada por Senol Gunes. Abarca uma qualidade técnica e de passe impressionantes, visão de jogo acima da média, condução de bola e percepção táctica muito apuradas. É capitão e líder da equipa. Atua prioritariamente como playmaker, mas pode desempenhar o papel de um 8. O seu grande handicap, contudo, prende-se com a frágil condição física e escassa contribuição defensiva no momento da transição.

Os rumores apontam a um eventual interesse do Arsenal, mas, para além dos Gunners, conjuntos que apresentem uma filosofia atacante serão sempre bem-vindos.

Bernard

Idade: 25 anos

Nacionalidade: Brasileira

Posição: Extremo

Valor de mercado: 16 milhões de euros

Bernard é um velho conhecido dos portugueses. Depois de brilhar no Brasileirão com as cores do Atlético Mineiro, o extremo brasileiro esteve muito perto de ingressar no Futebol Clube do Porto no verão de 2013. Era, portanto, mais um jogador jovem com imenso potencial que saía das escolas do samba.

O Shakhtar Donetsk, clube ucraniano famoso pela sua ligação com o mercado canarinho, entrou em cena e a hipótese de rumar à Invicta acabou por esfumar-se. 25 milhões de euros, foi o montante que o Shakhtar desembolsou para garantir os serviços do talentoso extremo ex-Galo em definitivo. A adaptação não foi a desejada e Bernard teve imensas dificuldades numa fase inicial, muito por culpa dos conflitos políticos que afetavam a região da Crimeia.

Desde a entrada de Paulo Fonseca que o Shakhtar Donetsk voltou a reviver os seus tempos áureos. Grande parte do elenco, com Facundo Ferreyra, Taison e Bernard à cabeça, ultrapassou os problemas existentes e o foco tornou a ser, novamente, o futebol. O técnico português liderou os Mineiros à conquista de um novo campeonato e a uma sensacional campanha na Liga dos Campeões, num grupo extremamente difícil encabeçado pelo Manchester City de Pep Guardiola e o Nápoles de Maurizio Sarri.

Com isto, o valor de mercado de todos os ativos, o de Bernard incluído, disparou de forma acentuada. A rapidez, o drible desconcertante, os golos, as assistências e os grandes pormenores individuais regressaram ao seu cardápio – ao invés do mau temperamento – e a atenção de emblemas de topo também. O leque de interessados é grande, mas Liverpool, Arsenal, Chelsea, Inter de Milão e AS Roma aparecem em primeiro plano. Porém, o Nápoles de Sarri continua à espreita e parece ser um destino bastante interessante.

Emre Can

Idade: 24 anos

Nacionalidade: Alemã

Posição: Médio-defensivo; Médio-centro

Valor de mercado: 28 milhões de euros

Can, apesar dos seus 24 anos, tem já um estatuto a preservar no mundo do futebol. Proveniente das camadas jovens do Eintracht Frankfurt, rumou bem cedo para os quadros do Bayern Munique, tento completado a restante formação na Baviera. Em 2013, deu-se a transferência para o Bayer Leverkusen e o seu rendimento foi tão impressionante que o Liverpool, no verão de 2014, desembolsou cerca de 12 milhões de euros pelo seu passe.

Por terra dos Beatles, Emre Can viu a sua cotação subir a pique desde a entrada de Jürgen Klopp para o comando técnico e, graças ao gegenpressing, ao futebol intenso/físico e inteiramente focado nas transições rápidas, o internacional alemão consolidou um posto no onze inicial dos Reds. Can tem um excelente porte físico, é bom no choque, na recuperação de bolas e nas cavalgadas impressionantes com a bola nos pés. A capacidade técnica foi-lhe sempre reconhecida como o principal defeito, mas as demais características fizeram com que se tornasse um elemento imprescindível para o ex-treinador do Borussia Dortmund.

A contas com uma lesão, Can encontra-se afastado dos relvados desde Março, contudo, o interesse da Juventus parece não ter esmorecido. A Vecchia Signora e Serie A parecem ser a cereja no topo do bolo para a sua carreira.

30652458_1840073979365662_1662753587433832448_n.jpg?fit=1200%2C686&ssl=1
Xavier OliveiraAbril 19, 201811min0

O snooker é considerado um dos desportos mais importantes no mundo para o desenvolvimento intelectual de qualquer ser humano, pelo esforço psicológico a que sujeita os seus praticantes. O fair play, o cavalheirismo e o desportivismo presentes nos panos verdes são atributos que dificilmente se encontram tão bem representados noutra modalidade quanto aqui.

Se nunca viu snooker, ou raramente costuma acompanhar, saiba que o ponto mais alto da época começa já no próximo dia 21 de abril. Esse referido ponto alto é o mundial, que se joga em Sheffield, na Inglaterra. Facilmente pode perceber abaixo o porquê de este ser mais um excelente ano e de ser, simultaneamente, uma bela oportunidade para começar a acompanhar mais de perto este desporto. Em Portugal, o mundial pode ser acompanhado em direto e em exclusivo no Eurosport, com comentários de Nuno Miguel Santos e Miguel Sancho.

É muito difícil apontar um único favorito à vitória este ano, sendo que há vários jogadores a perfilarem-se como candidatos ao título. De todos os 16 jogadores já apurados para o quadro final, fizemos uma análise sobre aqueles que são provavelmente os oito maiores candidatos a sagrar-se campeão do mundo, com base no que fizeram esta época e no seu historial. Neste lote estão incluídos alguns jogadores que nunca provaram o sabor da vitória, com outros repetentes também à mistura.

Mark “The Jester from Leicester” Selby

Esteve longe de ser uma época brilhante para o inglês, mas a verdade é que tal como no ano passado, a vitória no China Open, último torneio antes do mundial, pode ser um bom prenúncio para o que Selby pode fazer em Sheffield. Será o nº 1 do ranking mundial capaz de vencer o terceiro título de campeão do mundo consecutivamente, destronando a concorrência com o seu estilo de jogo particularmente defensivo? Ou terão os adversários os seus tacos bem preparados para abater a muralha defensiva natural de Leicester? A acontecer essa terceira vitória de forma consecutiva, será a primeira vez desde a era de Stephen Hendry. Para que se perceba um pouco melhor a qualidade deste jogador, segue um pequeno resumo da sua carreira e da sua época.

Nacionalidade: Inglaterra (Leicester)

Idade: 34 anos

Profissional desde 1999

Ranking Atual: 1º lugar

Finais 2017/2018: 2 (International Championship e China Open)

Títulos 2017/2018: 2 (International Championship e China Open)

Títulos de Campeão do Mundo: 2014, 2016 e 2017

Tacadas centenárias (Acima 100 Pontos): 518

Tacadas máximas (147 pontos): 2

Prémios monetários amealhados: 4.708.241 Libras

Mark Selby a erguer o troféu de campeão do mundo em 2017 (Fonte: Sporting Life)

Ronnie “The Rocket” O’Sullivan

Dispensa qualquer tipo de apresentações, pois estamos a falar daquele que é considerado por muitos um dos melhores jogadores de todos os tempos. Dotado de um talento natural para a modalidade, O’Sullivan tem no Crucible o seu teatro dos sonhos, mas também dos pesadelos, já que por várias vezes lá protagonizou episódios no mínimo caricatos. Esta época esteve particularmente imparável, tendo vencido as cinco finais de ‘majors’ em que esteve presente, sendo estes números que falam por si só. A grande questão no que toca ao inglês, está em saber se Ronnie estará com a disponibilidade mental para aguentar os 17 dias desta dura prova. De qualquer forma veremos se será este ano que o britânico alcança Sir Steve Davis em número de títulos de campeão do mundo, algo que já procura desde 2013, altura em que conseguiu ganhar o seu último mundial.

Nacionalidade: Inglaterra (West Midlands)

Idade: 42 anos

Profissional desde 1992

Ranking Atual: 2º lugar

Finais 2017/2018: 7 (English Open, Shanghai Masters, UK Championship, World Grand Prix, Players Championship, Hong Kong Masters, Champion of Champions)

Títulos 2017/2018: 5 (English Open, Shanghai Masters, UK Championship, World Grand Prix, Players Championship)

Títulos de Campeão do Mundo: 2001, 2004. 2008, 2012 e 2013

Tacadas centenárias (Acima 100 Pontos): 944

Tacadas máximas (147 pontos): 14

Prémios monetários amealhados: 9.700.000 Libras

Judd “The Ace in the Pack” Trump

Desde que apareceu a jogar como profissional no ano de 2005, nunca mais ninguém perdeu de vista este jovem prodígio. Tornou-se profissional aos 16 anos e desde então tem vindo sempre a crescer como jogador. Ano após ano é apontado como um dos grandes favoritos à vitória, mas tem falhado sempre até agora, muito devido a falta de maturidade que muitas vezes demonstra. No ano passado, Judd Trump esteve particularmente mal, não só na mesa, onde perdeu logo na primeira ronda para Rory McLeod, mas também fora dela, onde em entrevista ao Fair Play antes do início do mundial, teceu duras críticas a Mark Williams. Esta não foi uma época particularmente boa, mas o inglês não deixa de ser apontado por alguns especialistas como um dos maiores favoritos a vencer em Sheffield.

Nacionalidade: Inglaterra (Bristol)

Idade: 28 anos

Profissional desde 2005

Ranking Atual: 4º lugar

Finais 2017/2018: 2 (European Masters, Shanghai Masters)

Títulos 2017/2018: 1 (European Masters)

Títulos de Campeão do Mundo: Nada a assinalar

Tacadas centenárias (Acima 100 Pontos): 528

Tacadas máximas (147 pontos): 3

Prémios monetários amealhados: 2.656.014 Libras

Judd Trump após vitória do European Masters, na Bélgica

John “The Wizard of Wishaw” Higgins

Estamos perante um dos nomes mais consagrados da história do snooker mundial. John Higgins é invariavelmente um candidato a campeão do mundo, algo que já não acontece desde 2011. No ano de 2017, chegou à final onde saiu derrotado frente a Selby por 18-15. Terá a idade um peso grande nas horas de maior pressão? Ou será que Higgins está como o “vinho do Porto, quanto mais velho melhor”? A componente física é algo que pode ter um peso negativo no jogo do escocês, sendo certo que esta temporada venceu três títulos pontuáveis para o ‘ranking’ mundial, tendo sido assim um dos melhores no que toca a esta época. Para conseguir brilhar em Sheffield, Higgins terá de estar bem melhor que aquilo que mostrou nos últimos dois torneios que antecederam o mundial.

Nacionalidade: Escócia (Wishaw)

Idade: 42 anos

Profissional desde 1992

Ranking Atual: 5º lugar

Finais 2017/2018: 3 (Indian Open, Welsh Open e Championship League)

Títulos 2017/2018: 3 (Indian Open, Welsh Open e Championship League)

Títulos de Campeão do Mundo: 1998, 2007, 2009 e 2011

Tacadas centenárias (Acima 100 Pontos): 719

Tacadas máximas (147 pontos): 8

Prémios monetários amealhados: 7.442.109 Libras

Mark “Welsh Potting Machine” Williams

Depois de no ano passado ter falhado a presença no mundial, ao ter ficado fora do top-16 e, depois de perder nas qualificações, o veterano galês regressou ao circuito esta época como um nível técnico que há muito já não se lhe via. Esta temporada foi o terceiro jogador a amealhar mais dinheiro para o ‘ranking’, só batido por Ronnie e Selby. Quando está em “dia sim”, fica difícil alguém pará-lo, restando a dúvida se Mark Williams estará com a disponibilidade psicológica para enfrentar um torneio tão longo e desgastante. A última vez que o galês venceu um mundial foi em 2003, a uns distantes 15 anos.

Nacionalidade: País de Gales (Ebbw Vale)

Idade: 43 anos

Profissional desde 1992

Ranking Atual: 7º lugar

Finais 2017/2018: 2 (Northern Ireland Open e German Masters)

Títulos 2017/2018: 2 (Northern Ireland Open e German Masters)

Títulos de Campeão do Mundo: 2000 e 2003

Tacadas centenárias (Acima 100 Pontos): 427

Tacadas máximas (147 pontos): 2

Prémios monetários amealhados: 5.291.416 Libras

Mark Williams a festejar a vitória do German Masters (Fonte: Snooker HQ)

Ding “Star of the East” Junhui

É o único chinês a perfilar no top-16 atualmente. Sem dúvida que é um dos grandes favoritos a erguer o título de campeão do mundo em Sheffield, depois de em 2016 ter mostrado ser capaz de ombrear com os melhores, ao ter alcançado a final onde perdeu para Selby. Relativamente a esta temporada, chegou a duas finais, tendo vencida apenas uma, o World Open, sendo que na outra foi “atropelado” por O’Sullivan. E por essa final perdida percebemos que se Ding estiver mentalmente forte, o que nem sempre acontece, será extremamente difícil alguém parar o “dragão da China”.

Nacionalidade: China (Jiangsu)

Idade: 31 anos

Profissional desde 2003

Ranking Atual: 3º lugar

Finais 2017/2018: 2 (World Open e World Grand Prix)

Títulos 2017/2018: 1 (World Open)

Títulos de Campeão do Mundo: Nada a assinalar

Tacadas centenárias (Acima 100 Pontos): 473

Tacadas máximas (147 pontos): 6

Prémios monetários amealhados: 3.124.700 Libras

Shaun “The Magician” Murphy

Foi uma época muito interessante por parte do inglês, tendo alcançado cinco finais, onde venceu apenas uma. Os problemas físicos têm atormentado um pouco este final de temporada a Shaun Murphy, as constantes dores de costas não têm permitido que se este mostre ao seu melhor nível. Já provou o sabor da vitória no Crucible, em 2005, chegando a este mundial numa segunda linha de favoritos a vencer.

Nacionalidade: Inglaterra (Harlow)

Idade: 35 anos

Profissional desde 1998

Ranking Atual: 8º lugar

Finais 2017/2018: 5 (China Championship, Paul Hunter Classic, UK Championship e Players Championship e Champion of Champions)

Títulos 2017/2018: 1 (Champion of Champions)

Títulos de Campeão do Mundo: 2005

Tacadas centenárias (Acima 100 Pontos): 454

Tacadas máximas (147 pontos): 5

Prémios monetários amealhados: 3.645.662 Libras

Shaun Murphy a festejar a vitória sobre O’Sullivan no Champion of Champions (Fonte: World Snooker)

Neil “The Thunder From Down Under” Robertson

Chegou a estar fora do top-16 perto do final da temporada, mas com alguns bons resultados recolocou-se dentro dos lugares mais desejados do ‘ranking’, o que permitiu que o australiano garantisse entrada directa no mundial. Com duas finais vencidas esta época, uma delas num verdadeiro ‘thriller’ frente a Cao Yupeng, sendo que o maior inimigo do campeão do mundo de 2010, são alguns problemas pessoais pelo qual tem passado ultimamente e que podem pôr em causa uma boa prestação deste em Sheffield.

Nacionalidade: Austrália (Melbourne)

Idade: 36 anos

Profissional desde 1998

Ranking Atual: 10º lugar

Finais 2017/2018: 2 (Hong Kong Masters e Scottish Open)

Títulos 2017/2018: 2 (Hong Kong Masters e Scottish Open)

Títulos de Campeão do Mundo: 2010

Tacadas centenárias (Acima 100 Pontos): 558

Tacadas máximas (147 pontos): 3

Prémios monetários amealhados: 3.596.315 Libras

Quadro Final

Quadro Mundial 2018 (Fonte: Facebook World Snooker)

Aposta Fair Play: Mark Selby

Possível Surpresa: Kyren Wilson

O Campeonato do Mundo em Portugal pode ser acompanhado em directo e exclusivo nos canais do Eurosport e, que vai ser jogado entre o dia 21 de Abril e 7 de Maio.

O presente artigo foi realizado no âmbito da parceria que o Fair Play estabeleceu com o Sapo24, e a sua publicação original pode ser consultada aqui.


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS