Arquivo de Futebol - Fair Play

Galiotte.jpg?fit=1200%2C1200&ssl=1
Marcial CortezNovembro 29, 20216min0

Palmeiras, dezembro de 2016. O presidente Paulo Nobre entrega a faixa presidencial para Maurício Galiotte, para um mandato de dois anos. O Palmeiras de Paulo Nobre passara pelos 100 anos de vida do clube, com altos e baixos na gestão, mas com duas conquistas importantíssimas para o renascimento da equipa: a Copa do Brasil 2015 e o Brasileirão 2016.

Galiotte assumiu com o discurso de manter um Palmeiras protagonista no cenário do futebol. Não prometeu titulos, pois dizia que as conquistas seriam uma conseqüência natural desse protagonismo. O outro pilar de sua promessa de campanha era a saúde financeira do clube.

Em seu primeiro mandato, conquistou o Brasileirão em 2018, mas sofreu dois reveses importantes – o vice campeonato brasileiro em 2017, ao perder o primeiro lugar para seu maior rival, e o Paulista de 2018, em que perdeu novamente para o mesmo adversário. Neste período, uma alteração no estatuto do clube garantiu um mandato de 3 anos ao seu sucessor.

E foi o que ocorreu ao final de 2018. Em novo pleito, Galiotte foi reeleito para o triênio 19/20/21, No primeiro ano, o Verdão não ganhou nada, mas se manteve vivo e nas cabeças em todas as competições que disputou. Na época de 2020, a terrível pandemia de Covid-19 paralisou o futebol e atrasou todos os certames no ano. Mesmo assim, na retomada da bola no relvado, o Pameiras conquistou três títulos de grande importancia: o Paulista, a Copa do Brasil e a Libertadores.

E no último ano de seu mandato, já no crepúsculo da gestão, o Verdão conquistou novamente a Glória Eterna e se tornou, ao lado de Grêmio, Santos e São Paulo, a equipa brasileira mais vitoriosa da História da Libertadores. Assim, o Palmeiras se consolida como uma das principais equipas do país, ao acumular quinze títulos nacionais (10 Brasileiros, 4 Copas do Brasil e 1 Copa dos Campeões) e quatro títulos internacionais de peso (3 Libertadores e 1 Mundial de Clubes).

Abel Ferreira carrega a Copa Libertadores, conquistada duas vezes por ele no mesmo ano. Foto: Reprodução Instagram Oficial Conmebol

Mas voltemos ao tema, o presidente Maurício Galiotte. Por que, mesmo com tantos números a favor, ele recebe críticas por parte dos adeptos? A resposta não é simples. A torcida do Palmeiras, como já escrevemos várias vezes aqui, precisa ser estudada. Não há motivo para criticar o trabalho da atual gestão do Verdão. Galiotte conseguiu cumprir 100% de suas promessas de campanha.

 

Gestão Humanizada

O trabalho da diretoria extrapolou as quatro linhas dos relvados. Durante o auge das restrições impostas pela pandemia de Covid-19, o Palmeiras tomou a decisão de não demitir nenhum funcionário, apesar da queda brutal nas receitas da equipa. O clube ficou fechado a maior parte do tempo, e o valor que os associados pagaram durante o período de fechamento foi devolvido em forma de créditos. O Programa Avanti seguiu a mesma linha e hoje, com a volta do público aos estádios, os adeptos que continuaram a pagar o plano regularmente utilizam seus créditos para a compra de ingressos e outros benefícios.

A saúde financeira do clube também está em dia. O Palmeiras fechou seus balanços anuais com superávits, com exceção de 2020, ano das principais restrições da pandemia, em que o clube fechou com déficit. Mas a boa notícia é que, de acordo com o último boletim financeiro divulgado em 30/09, o déficit de 2020 já foi superado e o clube trabalha novamente no azul, o que significa que Galiotte vai cumprir sua promessa de campanha e entregará à nova presidente já eleita, Leila Pereira, um time campeão e um clube financeiramente saudável, com contas no azul e dívidas em dia.

A Tríplice Coroa de 2020

Na época de 2020, o Palmeiras conquistou o Campeonato Paulista, ao vencer o seu maior rival na final. Ainda sob o comando de Vanderley Luxemburgo, os miúdos recém promovidos da base deram conta do recado e conquistaram um título que o Palmeiras não via desde 2008.

No segundo semestre, o Verdão ousou e apostou no até então desconhecido técnico português Abel Ferreira. Nem o mais otimista adepto do Palmeiras poderia imaginar o que essa parceria iria conquistar. O português conquistou a Libertadores, com uma vitória histórica na meia final contra o River Plate na Argentina. Na seqüência, garantiu o título da Copa do Brasil ao vencer o Grêmio do então técnico Renato Portaluppi tanto no jogo da primeira quanto no jogo da segunda mão.

Três conquistas numa só época. Mesmo assim, os adeptos alviverdes seguiram a reclamar da gestão e do técnico. O péssimo desempenho no Mundial de Clubes da FIFA, seguido pela perda dos campeonatos Recopa Sulamericana, Supercopa do Brasil contra o Flamengo e Paulista frente ao São Paulo, fizeram com que a torcida perdesse a confiança no time, e com as oscilações no Brasileirão a voz das cornetas aumentou consideravelmente.

Maurício Galiotte e a Tríplice Coroa (Libertadores, Copa do Brasil e Paulista) conquistada na época 2020

A Glória Eterna em 2021. Pela terceira vez na História.

E mesmo com todo esse cenário, Galiotte manteve a firmeza e segurou o técnico, apesar das pressões. Com uma campanha impecável na Libertadores, o Verdão ficou em segundo lugar na classificação geral após a primeira fase, perdendo o primeiro lugar para o Atlético Mineiro. Nas fases decisivas, o Alviverde eliminou o Universidad Catolica do Chile, os rivais brasileiros São Paulo, Atlético Mineiro e o Flamengo do mesmo técnico Renato Portaluppi na finalíssima.

Com gols de Rafael Veiga pelo Palmeiras e Gabigol pelo Flamengo, o jogo final empatou no tempo normal em 1-1. Na prorrogação, o avançado Deyverson, que entrara no início do tempo suplementar, aproveitou uma bola recuada pela defesa e cravou o segundo gol que deu a vitória ao time do Allianz Parque.

Foi o terceiro título da História, o segundo de Abel Ferreira. E ganho no mesmo ano, apesar de ser em épocas diferentes. Foram 10 meses de intervalo entre o primeiro e o segundo títulos da Libertadores. O Palmeiras entra no seleto grupo de equipas com 3 Glórias Eternas, ao lado de Santos, São Paulo e Grêmio.

O futuro? Ninguém sabe. Essa é a “pergunta do milhão”. Há quem acredite que Abel Ferreira vai desistir de tudo e voltar pra sua família em Portugal. Há quem acredite que o Palmeiras trará a família de Abel para o Brasil e manterá o projeto de técnicos a longo prazo. Os próximos desafios já tem data marcada – Mundial de Clubes em fevereiro e Supercopa Sulamericana, ainda sem data definida.

Obrigado, Maurício Galiotte. Seja bem vinda, Leila Pereira. Que venham mais e mais conquistas.

Palmeiras vai disputar o Mundial de Clubes nos Emirados Árabes, em fevereiro 2022. Foto: Reprodução Instagram Oficial Conmebol

 

 


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS