Arquivo de Modalidades - Fair Play

destaque-scaled.jpg?fit=1200%2C675&ssl=1
Luís PereiraAbril 18, 20212min0

Corrida emocionante em Imola, que viu Max Verstappen vencer na frente de Lewis Hamilton. Temos campeonato!

Apesar da pole ter sido conquistada por Hamilton no arranque, em pista molhada, Verstappen arrancou melhor da terceira posição da grelha e chegou ao final da primeira curva na primeira posição.

A partir daí foi uma luta para manter o carro em pista, em condições bem complicadas. Apesar disso Verstappen e Hamilton mantinham bom andamento, mantendo a luta pela liderança acesa.

Enquanto isso os pilotos começavam a verificar que as condições já pediam pneus de piso seco, e foi nessa altura que Verstappen parou. Hamilton foi uma volta mais tarde, o que o colocou atrás de Verstappen e com alguns pilotos a terem de ser dobrados.

Numa das dobragens, Hamilton perdeu o controlo do carro o que o levou a dar um toque nas barreiras e ir para a gravilha. Apesar disso, Hamilton manteve o seu carro a correr, fez marcha atrás e conseguiu voltar à pista.

Para sorte de Hamilton, depois da sua saída de pista, Russell e Bottas têm um grande acidente, que felizmente não trouxe consequências a qualquer piloto. O embate foi forte e trouxe muitos detritos para a pista, o que provocou uma bandeira vermelha.

Com a corrida interrompida os pilotos conseguiram voltar a respirar e sabiam que iriam voltar para uma pista mais seca, condições mais estáveis e pneus frescos.

Com pneus frescos, Hamilton foi capaz de ir subindo na classificação, de nono, até ao segundo lugar. Uma fantástica recuperação do britânico, que conseguiu ainda a volta mais rápida, mantendo assim a liderança do campeonato.

A fechar o pódio ficou Lando Norris, que fez uma corrida impecável. Depois de ter sido dos mais rápidos na qualificação, mas viu a sua volta mais rápida ser anulada por sair dos limites de pista. Norris conseguiu recuperar do erro de sábado, fez uma corrida onde teve a capacidade de ultrapassar e aguentar Charles Leclerc.

Leclerc teve de se contentar com o quarto lugar, na frente de Carlos Sainz, que recuperou de vários erros quando a pista ainda estava molhada. Ricciardo terminou em sexto, sem nunca ter o andamento demonstrado pelo colega de equipa.

Em mais uma corrida desta temporada, foi mais uma corrida emocionante, que promete ter uma luta bem renhida pelo título de campeão do mundo de F1.

GRANDE PRÉMIO EMILIA ROMAGNA F1/IMOLA

(foto: formula1.com)

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

(foto: formula1.com)
Gilbert-2011.jpg?fit=1000%2C667&ssl=1
Diogo PiscoAbril 15, 20214min0

Apenas existiram duas na história do ciclismo, Rebellin em 2007 e Gilbert em 2011, foram os únicos a conseguir conquistar a semana perfeita nas Ardenas. Não poderá existir falhas para vencer Amstel, Flèche Wallone e Liège-Bastogne-Liège.

busta.jpeg?fit=640%2C471&ssl=1
André Dias PereiraAbril 13, 20211min0

É preciso recuar até Novembro de 2019 para recordar o último título de Pablo Carreño Busta. Aconteceu em Chengdu. Só que a longa espera do espanhol, de 29 anos, terminou. Busta levou a melhor sobre Jauma Munar (6-1, 2-6 e 6-4) e  conquistou o ATP Marbella. Foi o quinto título da sua carreira, em oito finais disputadas.7

A competição contava com alguns nomes importantes do circuito como Martin Klizan, Mikhail Kukushkin, Taro Daniel, Feliciano Lopez, Federico Delbonis, Casper Ruud ou Fabio Fognini.

Apesar do contingente estrangeiro, foram mesmo os espanhóis a dominar a competição. Ao ponto de todos os semi-finalistas serem espanhóis. Para além de Carreño Busta e Jaume Munar, jogaram ainda Carlos Alcaraz e Alberto Ramos-Vinolas. Esta foi, aliás, a primeira final espanhola de um torneio ATP desde 2011.

Para chegar à final, Carreño Busta deixou para trás Mario Martinez (7-2 e 6-3), Soonwoo Kwon (6-4, 6-0) e Alberto Ramos-Vinolas (6-1, 3-6, 7-6).

A edição deste ano marcou o regresso do torneio a Marbella. Na década de 90, jogaram-se duas edições. Em 1996 Mark Kevin Goelner levou a melhor sobre Alex Correjta. Um ano depois foi a vez de Albert Costa ganhar a segunda edição do torneio, que se manteve suspenso até agora.

Com este título, Carreño Busta consolida o 12 lugar no ranking ATP. O espanhol iniciou o seu percurso em 2009, alcançando o primeiro título no Brasil, em 2016. De então para cá tem vindo a acumular finais, contudo, desde 2019 que não atingia nenhuma. O triunfo em Marbella vai, por certo, renovar a sua confiança para os próximos meses e atacar, quem sabe, o top 10 mundial.


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS