Arquivo de Fórmula 1 - Fair Play

destaque-1.jpg?fit=1200%2C675&ssl=1
Luís PereiraJunho 22, 20222min0

Max Verstappen continua em boa forma, ao vencer o GP do Canadá, na frente de Carlos Sainz, que ainda pressionou no final.

Foi uma corrida sem grandes incidentes, ainda menos para o piloto neerlandês, que mostrou o porquê de estar a comandar o campeonato. Fez uma qualificação impecável, em condições muito difíceis, mas onde nunca pareceu que a pole iria fugir.

Também na corrida nunca pareceu que a vitória iria fugir ao piloto da Red Bull, dominando desde o arranque, e nem um virtual safety car no final, que favoreceu a estratégia de Carlos Sainz, o abalou.

Carlos Sainz foi o melhor Ferrari do fim de semana, uma vez que Leclerc teve de mudar componentes, o que o tirou da luta. O espanhol assumiu o desafio, puxou dos galões e pressionou bastante para chegar à vitória na parte final da corrida, mas sem sucesso. Verstappen não cometeu qualquer erro, não colocou nenhuma roda mal, e por muito andamento que tivesse, Sainz só conseguia chegar-se perto do Red Bull, mas nunca foi uma real ameaça.

Posto disto, não deixou de ser um bom resultado para Sainz, mas o espanhol vai sentir-se desiludido por ainda não ter sido desta a chegar à vitória. Quem também fez uma boa corrida foi Lewis Hamilton, que obteve o apenas segundo pódio do ano. A Mercedes que tem tido grandes problemas este ano, espera que este tenha sido uma corrida onde começam a ficar mais próximos da luta pelos lugares dianteiros.

Logo atrás de Hamilton ficou Russell, que desta vez se viu batido pelo ilustre colega, mas ainda assim é mais uma corrida no top5, numa grande época do britânico.

A completar o top5 ficou Leclerc, que recuperou bastantes lugares, mas começa a ver Verstappen demasiado distante, o que irá dificultar imenso a luta pelo título.

Logo a seguir veio da dupla da Alpine, com Ocon à frente de Alonso. Alonso que partiu da linha da frente, mas uma estratégia conservadora e problemas com o componente elétrico da unidade motriz, levaram ao espanhol a terminar bem longe do pódio.

A Alfa Romeo também conseguiu pontuar com ambos os pilotos e a fechar o top10 ficou o Aston Martin de Stroll.

Max Verstappen conseguiu não só estender a vantagem que leva na liderança do campeonato, como também conseguiu vencer pela primeira vez no Canadá. Segue-se Silverstone, numa corrida onde os britânicos não irão querer muito ver nem os Red Bull, nem os Ferrari a vencer.

GRANDE PRÉMIO DO CANADÁ

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS E CONSTRUTORES

destaque.jpg?fit=1200%2C1500&ssl=1
Luís PereiraJunho 15, 20223min0

Max Verstappen deixou o Azerbaijão com uma grande folga na liderança, depois de vencer a corrida e ver ambos os Ferrari desistirem.

Uma corrida que prometia que iria trazer alguma incerteza, o natural em Baku, foi na verdade um quase passeio para a Red Bull, muito por causa do infortúnio da Ferrari.

O lugar da pole foi mesmo conquistado por Leclerc, mas os Red Bull estavam logo atrás, liderados por Sergio Pérez. No arranque foi mesmo o mexicano a levar a melhor, passando logo para a liderança, deixando Leclerc à merce de Verstappen.

Cedo se começou a entender que desta vez a Ferrari tinha um andamento de corrida superior nesta fase, conseguindo encurtar a distância para a liderança. Apesar desse bom andamento o primeiro de dois desastres abateu-se sobre os Ferrari, quando o carro de Sainz deu de si e o piloto espanhol foi forçado a parar e trouxe um virtual safety car.

O azar de um Ferrari parecia ser a sorte de outro, porque desta forma presentou-se como o momento perfeito para a paragem de Leclerc, que conseguia parar de pneus sem perder muito tempo.

A Red Bull tentou responder, parando primeiro Pérez e mais tarde Verstappen, mas não tinham resposta para a Ferrari, e a única coisa que conseguiram foi inverter a posição dos próprios pilotos, com vantagem para o neerlandês.

Só que um azar nunca vem só, pelo menos para a Ferrari, e quando parecia que era uma questão de apenas gerir a corrida, o motor de Leclec decidiu dar as últimas e desistiu. Mais uma desistência para o monegasco, que já chegou a ter uma grande vantagem na liderança do campeonato, vê-se agora com muitos pontos para recuperar.

Isto deixou a porta aberta para uma dobradinha fácil para a Red Bull, com Verstappen a cimentar ainda mais a sua posição como líder do Campeonato. Foi também a 25ª vitória do jovem piloto, que já começa a ter um registo com números que parecem de um piloto bem mais veterano.

Pérez teve de se contentar com o segundo lugar, mas nota-se que o mexicano começa a aproximar-se em andamento do ilustre colega de equipa. Em terceiro lugar, longe de grandes disputas ficou o “senhor consistência”, George Russell, numa corrida onde os Mercedes voltaram a sentir muitas dificuldades.

Apesar das dificuldades, Lewis Hamilton fez uma corrida de recuperação até ao quarto lugar, apesar das dores de costas que teve de enfrentar. Hamilton disputou a posição com Gasly, que fez uma boa corrida, a melhor até agora da época para o francês. Quem também fez a melhor corrida da época foi Sebastian Vettel, que terminou no sexto lugar, na frente de Alonso e da dupla de pilotos da McLaren, com Ricciardo na frente de Norris. A completar o top 10 ficou Ocon.

Com estes resultados a Red Bull e Verstappen conseguiram criar uma margem forte, que vai ser preciso a Ferrari lutar muito para conseguir dar a volta.

GRANDE PRÉMIO DO ARZEBAIJÃO

CAMPEONATO MUNDIAL DE PILOTOS

CAMPEONATO MUNDIAL DE CONSTRUTORES

destaque-scaled.jpg?fit=1200%2C800&ssl=1
Luís PereiraAbril 12, 20223min0

Charles Leclerc não deu hipótese à concorrência e venceu o GP da Austrália, mostrando que a Ferrari e o monegasco são os principais candidatos ao título. Foi um domínio em toda a linha, dominando desde os treinos livres, à qualificação e claro, na corrida. Leclerc nunca largou a liderança e a vitória nunca pareceu estar em causa, pois mesmo ninguém teve andamento para competir com ele, nem o rival das duas anteriores corridas, Max Verstappen.

O neerlandês nunca conseguiu ser uma verdadeira ameaça, apesar de ter sido o único que teve alguma hipótese de o vir a ser. Só que o piloto da Red Bull teve um azar que esta época já lhe bateu à porta e teve mais um problema na unidade motriz. O segundo lugar parecia garantido, mas não está a ser um bom início de época para a fiabilidade dos carros da equipa austríaca.

Apesar disso, foi na mesma a Red Bull a ficar com um piloto no segundo posto deste GP da Austrália, com o mexicano Sérgio Pérez. Pérez ainda travou um duelo interessante com Hamilton na disputa pelo lugar do pódio, mas teve a sorte de um safety car surgir no momento em que parecia que o britânico ia levar a melhor sobre ele. Só que no recomeço foi o mexicano da Red Bull a ter melhor andamento e o lugar no pódio ficou garantido.

Quem completou o pódio foi um Mercedes, mas não o de Lewis Hamilton, mas sim de George Russell, que conquistou o seu primeiro pódio pela Mercedes. O jovem britânico, teve mais sorte com a entrada do safety car do que o seu colega de equipa, mas depois disso conseguiu sempre manter andamento para não deixar Lewis Hamilton chegar-se a ele.

Lewis Hamilton, apesar de ter tido andamento para lutar com um dos Red Bull, teve de se contentar com o quarto posto e deixar mais um pedido às pessoas que trabalham na fábrica para melhorar o monolugar das flechas de prata se querem ter hipóteses de lutar por algum dos campeonatos.

Quem também teve, pela primeira vez este ano, uma corrida positiva foi a McLaren. Lando Norris e Daniel Ricciardo terminaram em quinto e sexto, naquilo que pareceu um avanço significativo de andamento, mas os pilotos continuam a afirmar que não houve melhorias no monolugar, e que apenas o traçado da pista australiana beneficiava mais o carro britânico.

Esteban Ocon foi o melhor dos Alpine, apesar de não ter sido o mais rápido, mas uma corrida discreta levou o francês aos pontos, algo que não conseguiu o seu ilustre companheiro de equipa, Fernando Alonso. A fechar o top 10 ficaram Bottas, Gasly e Albon, que fez a sua única paragem na última volta, conseguindo assim um ponto para a Williams, naquilo que foi uma fantástica gestão dos pneus.

Com este resultado, Leclerc cavou um grande fosse na liderança do campeonato, e os rivais vão ter muito que melhorar se não querem ver o jovem piloto da Ferrari a chegar facilmente ao título.

GRANDE PRÉMIO DA AUSTRÁLIA

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

CAMPEONATO DO MUNDO DE CONSTRUTORES

 


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS