Verstappen colhe vitória no GP de França com Leclerc fora de pista

Nuno CanossaJulho 25, 20224min0

Verstappen colhe vitória no GP de França com Leclerc fora de pista

Nuno CanossaJulho 25, 20224min0
Charles Leclerc até liderava a prova mas um erro do monegasco ofereceu mais um GP a Max Verstappen que se isola cada vez mais no 1º lugar

Na penúltima corrida antes da pausa de verão, o líder do campeonato de pilotos e atual campeão Max Verstappen aproveitou o despiste de Charles Leclerc na volta 18 e conquistou a 7ª vitória da temporada aumentado a diferença entre os dois pilotos para 63 pontos.

Na realidade, tudo apontava para uma 3ª vitória consecutiva da Ferrari (Sainz em Silverstone, Leclerc na Áustria) com o monegasco a conseguir a 16ª pole position da carreira no sábado. E depois de um bem-conseguido arranque na corrida e de uma boa defesa aos persistentes ataques de Verstappen nas primeiras voltas, Leclerc parecia o piloto mais bem-encaminhado para a vitória distanciando-se em quase 2 segundos no momento em que perdeu o controlo do monolugar num oversteer.

Ileso de qualquer arranhão ou maior preocupação, e numa mensagem de rádio em que a sua frustração e desilusão ficaram claramente evidenciadas, Charles voltou a referir o pedal que lhe dera calafrios na última corrida. No entanto, após a sua desistência, o mesmo falou em erro próprio e assumiu não ser merecedor de um campeonato cometendo tais falhas.

A partir daí, e após um safety car virtual, Verstappen só voltou a aparecer na transmissão televisiva no momento em que cruzou a meta pela 53ª vez, sendo novamente o 1º a deslumbrar a bandeira de xadrez. Quem também correu sozinho na maior parte do GP de França foi Lewis Hamilton que conseguiu o primeiro 2º lugar da época para a Mercedes. Aliás, este foi mesmo o melhor fim-de-semana da temporada para a equipa liderada por Toto Wolff, que viu George Russell arrancar o 3º lugar a Sergio Perez numa luta incessante que terminou com uma ultrapassagem perspicaz do piloto britânico num arranque após o término de um novo safety car virtual (Zhou).

A Mercedes está num claro ascender de forma e é cada vez mais capaz de competir pelos lugares cimeiros quer em ritmo de qualificação, quer na própria corrida. Já Perez foi um dos maiores castigados pela gestão dos seus pneus, numa tarde de altas temperaturas no solo – que Verstappen geriu bem.

Com Red Bull e Mercedes a registarem os 4 primeiros lugares, num verdadeiro flashback da temporada passada, foi Carlos Sainz que finalizou a corrida em P5 levando para casa a volta mais rápida e o título de piloto do dia. No entanto, e apesar de ter partido em 19º por alteração da centralina, o cenário poderia ter sido muito mais animador para o piloto espanhol que foi, quiçá, o que gerou mais títulos de notícia durante os 3 dias.

SAINZ NUMA CORRIDA CONTRA O TEMPO… E CONTRA A EQUIPA?

Com alterações no carro, a missão de Sainz no sábado passou por qualificar-se para a Q3 e abrir caminho para a volta mais rápida de Leclerc. Já no domingo, partindo do fundo da grelha devido às penalizações, Carlos foi protagonista de várias ultrapassagens – com e sem DRS -, aproveitando-se de um maior rendimento dos pneus médios em relação aos duros e face às condições do piso. Aliás, na primeira paragem do piloto da Ferrari, a estratégia fora novamente os pneus médios, porém um arranque tardio das boxes levou a uma saída perigosa que quase resultou num acidente com um dos Williams.

Sem qualquer surpresa, uma penalização de 5 segundos foi atribuída ao piloto espanhol, que foi servida numa nova paragem nas boxes bastante discutida pelo próprio. Isto porque Sainz acabara de ultrapassar Perez e levava um ritmo nuns médios bem conservados que prometiam conseguir encaminhar Carlos a um pódio mesmo com os 5 segundos acrescentados ao seu tempo. No entanto, a Ferrari, entre todos os planos pré-definidos, voltou a optar pelo menos proveitoso, cumprindo a penalização naquela que já é a pit lane mais lenta do circuito.

A ocupar os 4 seguintes lugares, surgem os pilotos de Alpine e McLaren, cuja luta pelo 4º lugar do campeonato de construtores está cada vez mais renhida. Empatados à entrada do Grande Prémio francês, Alonso (6º) e Ocon (8º) levaram a melhor sobre Norris (7º) e Ricciardo (9º) naquela que é cada vez mais uma época desapontante para a McLaren.

Depois de em 2021 não terem existido quaisquer desistências, foram 5 as deste ano num fim-de-semana para esquecer para a AlphaTauri – Pierre Gasly (12º) & Yuki Tsunoda (DNF) -, Haas – Mick Schumacher (15º) & Kevin Magnussen (DNF), Alfa Romeo – Valtteri Bottas (14º) & Zhou Guanyu (DNF) e Williams – Alexander Albon (13º) & Nicholas Latifi (DNF)

Quanto à Aston Martin, finalizaram em P10 (Lance Stroll) e P11 (Seb Vettel) após um excelente arranque de corrida e numa curva final que quase resultava num acidente entre ambos após uma tentativa de ultrapassagem pelo piloto alemão.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter