Arquivo de André Sousa - Fair Play

1651563362_maxresdefault.jpg?fit=1200%2C675&ssl=1
José AndradeMaio 5, 20229min0

Neste novo texto vamos falar da UEFA Futsal Champions League, a maior competição de clubes do futsal europeu que voltou a ser marcada pelo domínio português com duas equipas nas quatro finalistas, mas com o final a sorrir para o Barcelona naquela que foi a reedição da última final. Vários destaques e por isso venham saber mais sobre esta final-four.

Meias-finais: Favoritismos confirmados

O pontapé de saída da competição foi dado na sexta-feira, com o duelo entre o Sporting CP e os franceses do ACCS. O Sporting venceu por 6-2 num jogo complicado frente a uma equipa muito bem trabalhada por Sérgio Mullor, também ele um dos melhores técnicos do mundo. O marcador foi inaugurado por Esteban que desviou o remate de Erick, na cobrança de uma bola parada depois da turma de alvalade ter entrado melhor no encontro. Os franceses apostaram imediatamente no 5×4 buscando ter posse e tentando impedir que o Sporting conseguisse ter domínio no encontro e isso resultou, em primeiro lugar alterou por completo o jogo, com a equipa portuguesa a conseguir-se adaptar a esta mudança e mesmo com menos posse foram conseguindo reagir acabaram mesmo por marcar dois golos seguidos que deixavam a entender um maior conforto no resultado que não se confirmou.

Até ao intervalo, o destaque foi a expulsão de Pany Varela que mais do que condicionar neste duelo, acabou por afetar o jogo seguinte onde se notou a ausência de um dos melhores do mundo e ainda o golo dos franceses que conseguiram aí bater Guitta depois de muitas tentativas. No segundo tempo, o Sporting começa muito bem, a conseguir aumentar a vantagem, mas os gauleses não desistiram e insistiram na resposta sempre através do 5×4. Com guarda-redes avançado, o ACCS voltou a conseguir aproximar-se mais da baliza e mostrando muita qualidade neste momento jogo, acabaram por conseguir reduzir. O Sporting apesar de algumas dificuldades, não se desconcentrou e acabou por marcar mais dois golos fechando o placar. Uma vitória suada, mas que colocava os leões na quinta final em 6 anos.

No outro duelo da meia-final, o Benfica lutou, mas acabou por perder frente ao Barcelona por 4-5 após prolongamento. Num duelo de “loucos”, foi o conjunto português a entrar melhor, depois do cerco à baliza de Didac Plana, Tayebi inaugurou o marcador através de grande penalidade. A resposta dos catalães foi imediata e foi aí que começou o “aperto” ao Benfica, que soube aguentar fruto da exibição de André Sousa. Com o Barcelona por cima, foi o Benfica a marcar de novo, aproveitando um erro no ataque catalão. Apesar da melhoria e de ter controlado mais no primeiro tempo, o Barcelona não conseguiu marcar e viu Afonso Jesus colocar o Benfica com uma vantagem ainda maior, muito para corrigir na segunda-parte no lado blaugrana na ida para os balneários e foi isso que aconteceu. Os segundos 20 minutos foram bem diferente, Barcelona entrou com tudo e consegue chegar ao golo nos instantes iniciais do segundo tempo.

André Sousa e os ferros da baliza começaram a assumir maior protagonismo neste duelo logo cedo nos segundos vinte minutos, mas o Barça acaba por chegar ao golo através de um momento de génio de Ferrão. Poucos minutos depois novo golo do Barcelona e estava tudo ainda mais ao rubro com a equipa de Jesus Velasco a comandar a partida. A dois minutos do final do encontro e já com as duas equipas tapadas por faltas, Dyego bisa e coloca o Barcelona na frente pela primeira vez. O Benfica acaba por apostar no 5×4 e consegue mesmo chegar ao golo por intermédio de Chishkala levando este duelo para prolongamento. No tempo adicional o fator decisivo foi o cansaço. Existiu muita luta e a apenas 17 segundos do final, Dyego assume de novo o papel de herói ao marcar o golo que colocou o Barça na final com o Sporting.

3º e 4º Lugar – Benfica fechou o pódio

No jogo que abriu o domingo, o Benfica venceu o ACCS por 5-2 e conseguiu o último lugar do pódio desta edição da UEFA Futsal Champions League. O primeiro tempo foi muito animado, mas sem muitos golos, jogou-se a um ritmo elevado, mas ninguém conseguiu fazer o gosto ao pé apesar das muitas oportunidades.

Foi já na parte final destes primeiros 20 minutos que Tayebi abriu o marcador dando o mote para o que viria a ser o segundo tempo. A segunda-parte trouxe mais golos, com o Benfica a começar mais “mandão” assumindo o controlo do jogo e deixando os franceses em maiores dificuldades, algo que se agravou com o golo encarnado. Os franceses tal como com o Sporting respondem em 5×4 e conseguiram mesmo chegar ao golo, mas a resposta durou pouco já que o Benfica voltou a marcar. Os franceses mais uma vez em situação de guarda-redes avançado voltaram a marcar, mas o Benfica não tremeu e marcou mais dois até ao final confirmando a superioridade neste duelo.

Final – Catalães roubam coroa da Europa aos leões

Chegávamos ao último e mais aguardado jogo, a reedição da final na temporada anterior, falávamos dos vencedores das últimas 3 edições e de duas equipas que estiveram em 10 das últimas 12 finais desta competição. Os catalães entravam em busca da desforra e acabaram por consegui-la ao vencer o Sporting por 4-0, vitória justa, mas resultado pesado para os leões. O jogo como esperado começou muito equilibrado, mas com ascendente para o lado leonino nestes minutos iniciais. Os dois guarda-redes assumiram cedo grande protagonismo, o Sporting ia estando mais faltoso e o Barça mais perigoso, sempre procurando bolas em profundidade e ataques rápidos. Depois de alguns sustos, os catalães chegaram mesmo ao golo, Sergio Lozano a marcar depois de uma transição rápida, com o capitão blaugrana a conseguir fazer o golo na saída de Guitta.

O Sporting não conseguiu responder ao tento sofrido e acabou por voltar a sofrer pouco depois, Pito a fechar uma primeira-parte onde os leões não conseguiram materializar as oportunidades e viram os catalães ser mais eficazes. O Sporting queria mais, mas Ferrão ainda antes do primeiro minuto desta segunda-parte marcou e deixou os leões com uma tarefa ainda mais complicada. A equipa de Nuno Dias nunca desistiu, apostou no 5×4, tentou até ao fim, mas não conseguiram nunca criar perigo, um jogo atípico desta equipa que nem de bolas paradas conseguiu chegar ao golo. Barcelona ainda chegou ao quarto golo através de Didac, o guardião catalão fechou o placar marcando de baliza a baliza. Portugal termina com duas equipas no pódio desta competição, mas sem o tão desejado ouro.

Destaques individuais desta final-four:

  • Sérgio Lozano – Estrela decisiva

Podíamos juntar Fernando Cardinal aqui, isto porque foram dois atletas que ultrapassaram lesões muito graves, que quase terminaram as suas carreiras por isso, destaque para os dois, com maior protagonismo para o capitão do Barcelona que não só marcou e foi decisivo na final, como voltou a mostrar-se ao melhor nível, sendo determinante e uma das estrelas em evidência nesta final-four.

  • Tomás Paçó – Super época

Depois destaque para o jovem fixo do Sporting, é dos jogadores em melhor forma no futsal europeu, mostrou isso mesmo na conquista da seleção e mais uma vez nesta final-four da UEFA Futsal Champions League. Se Merlim tem mais atenção pela magia e por resolver muitas vezes sozinho, Tomás é fulcral neste Sporting, é um jogador que não falha, que não perde nos duelos mesmo com os melhores do mundo. Tomás Paçó foi dos melhores desta edição, é dos melhores desta temporada e já não existem dúvidas que é um dos melhores 10 jogadores do mundo nesta altura.

  • André Sousa – a muralha encarnada

Mudamos para o rival, para falar de André Sousa, mais um nome que é unanime nos destaques individuais. Tal como Tomás Paçó foi destaque na conquista nacional e tem sido um dos maiores nomes na temporada em Portugal. Um dos melhores momentos de forma de carreira do guarda-redes português e muito por Nuno Silva, o treinador de guarda-redes benfiquista que é o melhor do mundo e que contribuiu para esta fase de André Sousa que nesta final-four voltou a estar a um nível absurdo.

  • Nelson Lutin – a face visível da qualidade gaulesa

Por fim, Nelson Lutin que foi o jogador mais regular desta equipa do ACCS, um ala francês ainda jovem e com muita margem de progressão, tem sido um dos destaques da temporada deste conjunto que já venceu a segunda divisão francesa. É um jogador que tem crescido muito nesta temporada e que foi o mais regular desta equipa na final-four, acabou por marcar nos dois jogos, mas merece destaque por bem mais que isso.

Ficou aqui tudo sobre a UEFA Futsal Champions League, competição marcada pelas duas medalhas portuguesas e pela vingança catalã que roubou a coroa do futsal europeu ao Sporting CP conseguindo assim o seu quatro troféu.

selecaoandebolportugal.jpeg?fit=1200%2C939&ssl=1
Bernardo GalanteNovembro 5, 20217min0

A Seleção Nacional A de andebol iniciou a preparação para o Campeonato da Europa de 2022 com uma semana de trabalhos no Luxemburgo, onde venceu a seleção da casa, ontem, por 21-39. Seguir-se-ão, dois amigáveis contra a seleção da Alemanha, nos dias 5 e 7 de novembro, respetivamente.

No lote dos 18 convocados para esta tripla jornada amigável, estrearam-se cinco atletas: André Sousa, Miguel Alves, Francisco Tavares, Pedro Oliveira e Ángel Hernández. Em seguida, damos a conhecer as cinco caras novas da seleção das quinas.

André Sousa | Central | 19 anos | AA Águas Santas

Natural do Porto, André Sousa iniciou a prática da modalidade no Sporting Clube de Espinho em 2011. Daí em diante, não mais parou. Representou o SC Espinho de 2011 a 2016, ano em que trocou de emblema, seguindo-se o Colégio Internato dos Carvalhos, onde permaneceu durante uma temporada. Em 2017, o prodigioso central transferiu-se para o Futebol Clube do Porto, clube que atualmente se mantém ligado em termos contratuais.

No início da temporada 18/19, foi chamado para a 1ª mão da 1ª ronda da qualificação para a EHF Cup (atual EHF European League) num encontro frente ao Potaissa Turda (Roménia), onde os dragões venceram por 41-21. André Sousa, somou mais de 30 jogos pela equipa B dos portistas e cerca de outros 30 pela equipa de juniores antes de somar três empréstimos consecutivos, contando com o da atual temporada 21/22.

Na temporada 19/20, o central atuou pelo FC Gaia ajudando o clube a alcançar a manutenção, numa época em que tinham o estatuto de primodivisionários. Nessa época, André Sousa faturou por 73 vezes entre os 15 jogos que realizou, ajudando o FC Gaia a atingir um prestigioso 7º lugar.

Na época seguinte, o atleta natural do Porto foi emprestado à Artística de Avanca, onde atuou no Campeonato Nacional Placard Andebol1 por 32 vezes, registando 196 golos e contribuindo para a 10ª posição da turma de Ricardo Costa.

Atualmente, encontra-se ao serviço da Associação Atlética de Águas Santas, onde tem-se afirmado como o comandante da turma maiata, contribuindo com 55 golos em 10 partidas. Com 7 partidas realizadas no campeonato nacional, a Águas Santas encontra-se na 5ª posição com 17 pontos, fruto de 5 vitórias e 2 derrotas.

Miguel Alves | Ponta | 25 anos | FC Porto

Miguel Alfredo Silva Alves, 25 anos, é mais um produto natural da cidade invicta. O ponta-direita do Futebol Cblube do Porto formou-se como jogador de andebol, precisamente, nos dragões – clube que ingressou em 2008. Entre 2011/12 a 12/13, Miguel teve uma pequena passagem pelo Colégio dos Carvalhos, na altura, com idade de juvenil.

Em 2017, o atleta natural da Invicta estreou-se pela equipa principal no reduto do Boa-Hora FC num encontro a contar para os 16 Avos da Taça de Portugal, onde contribuiu com 3 golos na vitória por 27-39. Nessa mesma temporada, o atleta somou um total de oito participações no seio da equipa principal.

Na temporada seguinte, ainda com idade de júnior, o atleta foi emprestado ao ADA Maia/ISMAI – clube que representou durante uma temporada e meia – de forma a adquirir minutos no principal escalão do andebol nacional. No emblema da Maia, o atleta somou cerca de 30 partidas, nas quais faturou por 78 vezes.

Em 2017/18, a presença na equipa principal dos dragões começou a ser cada vez mais regular e preponderante. Com a chegada de Magnus Andersson, o jogador teve uma evolução muito significativa, registando muitos momentos importantes a nível ofensivo apesar da forte concorrência de António Areia.

Desde o início da época, Miguel somou um total de 16 jogos, faturando por 44 vezes. A nível de palmarés, o atleta já conquistou 3 Campeonatos Nacionais, 2 Taças de Portugal e 2 Supertaças Portuguesas.

Francisco Tavares | Ponta | 24 anos | SC Sporting

Natural de Almada, Francisco Tavares, iniciou a prática da modalidade no CCRC do Cruzeiro e Rio Seco – clube que representou na temporada 2006/07 com a idade de Mini. Em 2007/08, ingressa no CF “Os Belenenses” com a idade de Infantil. Saiu em 2013, de modo a transferir-se para os juvenis do Sporting Clube de Portugal.

Em 2014/15, ainda na qualidade de júnior, Francisco Tavares começou a integrar a equipa principal do emblema leonino – numa altura em que Frederico Santos era o técnico principal dos leões. Nessa mesma temporada, faturou por 8 vezes em 19 encontros efetuados pela equipa A.

A partir da época 16/17, o ponta-direita natural de Almada começou a ser aposta assídua na equipa principal, período que coincidiu com os únicos títulos conquistados a nível sénior: 2 Campeonatos Nacionais e 1 Taça Challenge.

Em 2018, foi emprestado durante uma época ao Boa-Hora, onde fez 215 golos em 41 partidas ajudando o clube de Alcântara a alcançar a manutenção. Após essa curta passagem por empréstimo no emblema de Alcântara, o ponta leonino voltou, tendo nas últimas duas temporadas contabilizando mais de 250 golos divididos por 85 partidas.

Pedro Oliveira | Ponta |19 anos | Artística de Avanca

Natural do Porto, Pedro Oliveira de apenas 19 anos é um dos maiores prodígios da ponta-esquerda nacional, tendo o selo da formação da Associação Atlética Águas Santas – onde iniciou a prática da modalidade em 2011.

Após nove temporadas a representar o emblema maiato, Pedro Oliveira ingressou no Futebol Clube do Porto, na temporada passada. Em 2021, o ponta-esquerda natural da Invicta, estreou-se pela equipa principal pelas mãos de Magnus Andersson, na vitória frente ao CF “Os Belenenses” por 42-27, onde fez um golo.

O atleta acabou por marcar presença nas duas últimas jornadas do campeonato frente ao Boavista FC e FC Gaia, respetivamente, fazendo assim com que o jovem atleta conte com a conquista de um campeonato nacional no seu currículo. Apesar das três partidas pela equipa principal, o atleta participou em 20 encontros na equipa B dos dragões e mais 2 pelos juniores do FC Porto.

Esta temporada, o atleta foi emprestado à Artística de Avanca orientada pelo conceituado Ljubomir Obradovic, de forma a adquirir uma maior experiência num patamar mais competitivo. Até ao momento, Pedro Oliveira conta com 7 partidas realizadas no Campeonato Placard Andebol 1, onde fez 41 golos.

https://mobile.twitter.com/7metrospt/status/1435922548018008065

Ángel Hernández | Lateral | 26 anos | Kuwait SC

Ángel Dariel Hernández Zulueta, natural da cidade cubana de Matanzas, onde competia antes de ser recrutado pelo Futebol Clube do Porto, em 2015. Atualmente, o lateral-direito luso-cubano, representa as cores dos árabes do Kuwait SC.

Na temporada 2015/16, o canhoto luso-cubano iniciou um percurso de cinco temporadas no andebol luso, onde se iniciou com dois empréstimos ao ADA Maia/ISMAI. O emblema da Maia, antecedeu três épocas à equipa principal do clube-mãe, os dragões do Futebol Clube do Porto.

Na primeira temporada no andebol luso, o atleta realizou apenas 16 partidas no emblema maiato – sendo que chegou apenas em dezembro -, marcando 85 golos. Na época seguinte ao serviço da turma da Maia, Ángel Hernández fez 243 golos em 37 partidas realizadas no Campeonato Placard Andebol 1, tornando-se no 3º melhor marcador da competição.

De 2017 a 2020, o lateral canhoto figurou na equipa principal dos dragões, atuando em mais de 100 partidas e conquistando 1 Campeonato Nacional, 1 Taça de Portugal e 1 Supertaça Portuguesa. Em 2020, o atleta renovou com o FC Porto e saiu por empréstimo para o Qatar, de forma a representar o Al Duhail – tendo sido campeão catari.

Nesta temporada, o atleta antes de ingressar no Kuwait SC, representou o Al-Wehda da Arábia Saudita no Mundial de Clubes, tendo feito 20 golos em 4 partidas.

Apesar de haver cinco estreias no lote dos convocados, também há regressos, como o caso de Diogo Valério (VfL Gummersbach, Alemanha), Tiago Sousa (Águas Santas) e Salvador Salvador (Sporting CP). Nomes como Gilberto Duarte (Montpellier, França), Pedro Portela (Nantes, França), Humberto Gomes (Póvoa), António Areia, Daymaro Salina, Fábio Magalhães e Leonel Fernandes (FC Porto), Alexis Borges (Benfica) e João Ferraz (Suhr Aarau, Suíça) ficaram de fora.


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS