Andebol 1 à Lupa: história na Champions e domínio na European League

Bernardo GalanteOutubro 28, 20215min0

Andebol 1 à Lupa: história na Champions e domínio na European League

Bernardo GalanteOutubro 28, 20215min0
Mais um trio de resultados de excelência para o andebol nacional, com nota alta para o empate do FC Porto frente ao campeão europeu analisados no Fair Play

O Sporting CP e o SL Benfica, contribuíram novamente para um percurso português imaculado, na Liga Europeia de andebol. Na Liga dos Campeões, o FC Porto esteve perto de alcançar um resultado histórico frente ao campeão europeu, o FC Barcelona.

LEÃO DEMOLIDOR PASSA COM DISTINÇÃO NA HUNGRIA

O Sporting Clube de Portugal visitou, em partida a contar para a 2ª jornada da EHF European League, o terreno do sexto classificado do Campeonato Húngaro – o Tatabanya. Após uma vitória tirada a ferros frente aos suíços do Kadetten, na primeira jornada, os leões do andebol chegaram à Hungria como claros favoritos à vitória. Desde o primeiro minuto, os comandados de Ricardo Costa superiorizaram-se à turma do Tatábanya KC, dando ainda para mostrar a áurea dos jovens leoninos como é o caso de Martim Costa, Francisco Costa, André José ou Eduardo Almeida.

Na Audi Aréna, a turma leonina chegou à liderança do marcador com muita facilidade. Ao intervalo, os leões iam vencendo por cinco golos de diferença, fixando o placar eletrónico em 13-18.

A entrada na segunda metade da partida correu de feição para a turma de Alvalade, sendo que rapidamente chegaram aos oito golos de diferença e, a partir daí, os leões não tiraram o pé do acelerador, acabando por vencer o encontro por 15 golos de diferença (23-37). O pivot georgiano Erekle Arsenashvili contratado ao ABC, no último defeso, foi o melhor marcador do encontro com 9 tentos em 10 remates.

A equipa portuguesa com a segunda vitória em dois jogos, o que lhes vale a liderança do Grupo D, juntamente com os gregos do AEK de Atenas – ambos com 4 pontos.

CRÓNICOS CAMPEÕES RUSSOS CAEM PERANTE UMA ÁGUIA OFENSIVAMENTE DEMOLIDORA

O Chekhovskiye Medvedi apresentou-se no Pavilhão Nº2 da Luz como o crónico campeão russo, fruto de 20 campeonatos conquistados de forma consecutiva. Nem esse número desarmou as águias. Os comandados de Chema Rodríguez, mostraram-se superiores desde o primeiro minuto, tendo controlado toda a primeira parte. Petar Djordjic apresentava-se com um braço direito quente, demonstrando-se mortífero para os guardiões russos – Dmitry Pavlenko e Artem Grushko. Ao intervalo, os encarnados encontravam-se a vencer por 21-15.

A ida aos balneários não beneficiou o SL Benfica que chegou entrou na segunda metade adormecido e, que permitiu aos russos recuperar da desvantagem de seis golos. Simultaneamente, os comandados de Vladimir Maksimov alimentavam a esperança de sair de Lisboa, com um resultado positivo. Aos 40 minutos de jogo, a armada russa do Chekhovskiye Medvedi reduzia a desvantagem, fixando o marcador em 25-23.

A partir deste momento, o SL Benfica voltou a reencontrar-se na partida, sendo que a vantagem mínima nunca passou dos dois golos de diferença. Alexander Kotov, autor de seis golos, apresentou-se na segunda parte como uma arma bastante forte da ofensiva oriunda de Chekhov.

Até ao final do encontro, o marcador foi-se mantendo pelos quatros ou cinco golos de diferença, acabando por consumar-se a vitória das águias por 38-35, contribuindo para o registo 100% vitorioso na EHF European League de andebol.

Petar Djordjic e Ole Rahmel foram os artilheiros de serviços da turma da capital tendo, em conjunto, apontado 21 tentos (onze do sérvio e dez do alemão) dos 38 das águias. Com este resultado, o SL Benfica lidera o Grupo B juntamente com os dinamarqueses do GOG, ambos com 4 pontos (2 vitórias em 2 jogos) e seguem focados no apuramento para a fase seguinte desta European League de andebol.

EXIBIÇÃO EXCECIONAL (QUASE) BATEU O CAMPEÃO EUROPEU

O Futebol Clube do Porto recebeu o campeão europeu de andebol em título – o FC Barcelona – no Dragão Arena, num encontro a contar para a 6ª jornada da EHF Champions League. À entrada para as quatro linhas, os catalães encontravam-se na vice-liderança do grupo B, enquanto os dragões situavam-se na 6ª posição.

Fruto de uma entrada na partida (quase) perfeita, os comandados de Magnus Andersson chegaram rapidamente a um parcial de 3-0, o que significaria uma vantagem muito interessante de três golos para os dragões. Durante toda a primeira parte, o Futebol Clube do Porto esteve praticamente sempre em vantagem, saindo para o intervalo a vencer por 17-14. Ivan Sliskovic destacava-se na ofensiva portista com 6 golos aos 30 minutos.

Na entrada da segunda parte, a turma da Invicta entrou novamente muito bem, chegando a uma vantagem de 7 golos de diferença (21-14). Fruto de um jogo menos conseguido de Gonzalo Pérez Vargas, o treinador do FC Barcelona Carlos Ortega, fez entrar o guardião argentino Leonel Maciel, catapultando para uma recuperação muito boa dos Blaugrana.

Com um apoio fantástico da massa associativa presente no Dragão Arena, o encontro manteve-se em aberto até ao último segundo, sendo que o FC Barcelona acabou por conseguir levar um empate para casa (33-33). Do lado portista, o lateral Ivan Sliskovic foi o melhor marcador com 7 golos. Do cômputo geral, o espanhol Aleix Gómez foi o melhor marcador do encontro, apontando 11 golos.

Com este resultado, o Futebol Clube do Porto subiu ao 5º lugar do Grupo B, igualando o Paris Saint-Germain com 5 pontos em 6 jogos.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter