5 diamantes do andebol português em 2021

Tiago BotelhoMaio 30, 20218min0

5 diamantes do andebol português em 2021

Tiago BotelhoMaio 30, 20218min0
Tiago Botelho escolheu 5 diamantes do andebol nacional, com os nomes de Salvador Salvador e Diogo Rêma a encherem esta análise do autor

Quando me foi pedido para escrever este artigo comecei a pensar nos nomes que aqui iria colocar… Qual o limite de idade? Qual o patamar competitivo? Qual o histórico dos jogadores? Até que ponto jogadores como Diogo Silva, do FC Porto e Salvador Salvador, do Sporting, podem ser colocados nesta lista? Estas foram as perguntas que imediatamente me assolaram o pensamento. A escolha final dos 5 diamantes do andebol nacional recaiu sobre atletas com menos de 20 anos que, joguem, ou já tenham jogado, no campeonato Andebol Placard 1 (1ª divisão).

O primeiro nome que me veio à cabeça é o de um jovem de quem gosto muito. Líder da sua equipa, joga e faz jogar e tem sido um dos grandes responsáveis pelo ABC continuar a estar entre os 10 primeiros classificados, mesmo tendo sofrido cortes atrás de cortes, no seu orçamento anual. Falo-vos de André José, central do ABC de Braga.

Quando os outros nomes começaram a surgir, percebi logo que, para mim, André José apresenta-se num patamar competitivo mais acima que os restantes e portanto fica apenas a menção honrosa ao central que se fala que reforçará o Sporting na próxima época. O mesmo aplico a Diogo Silva, que apesar do seu pouco tempo de utilização no FC Porto e de ser um jovem, já “ostenta” 22 anos (não cumpre por isso o meu critério de idade) e já esteve emprestado ao RK Celje, da Eslovénia, tendo os ajudado a serem campeões nacionais e participado em 14 jogos da Champions League.

Os nomes que se seguem, não cumprem qualquer ordem específica.

SALVADOR SALVADOR (SPORTING CP)

Posição: Lateral-esquerdo
Idade: 19 anos
Altura: 1,98 metros

A sério?! O Salvador aqui?! Sim, respondo eu. Salvador tem um talento imenso e, para mim, ainda está só a arranhar a superfície daquilo a que ele pode chegar.

Salvador tem apenas 19 anos, mas já anda pelos séniores há algum tempo. Há 2 anos era chamado, amiúde, ao plantel principal do Sporting e na época passada foi um dos, ou “o” destaque, do Boa Hora, tendo feito 150 golos em 27 jogos (média de 5,5 golos por jogo), antes de uma lesão colocar um ponto final prematuro na temporada.

Este ano, foi chamado de vez a um plantel do Sporting que, contava com Frankis Marzo e Pedro Valdés. Salvador vê-se assim junto de boa companhia e sem grande pressão para poder evoluir, mas que, ao mesmo tempo, não lhe permitem ter minutos suficientes, até pela estratégia implementada por Rui Silva que pede muito do seu lateral esquerdo ofensivamente. Com a saída de Frankis e após uma renovação de contrato (com uma proposta do FC Porto pelo meio), Salvador deverá ser mais aposta no futuro.

Dono de um forte remate e boa impulsão, Salvador ainda tem muito para polir no seu jogo. Tal como disse atrás, está ainda a arranhar a superfície daquilo a que pode chegar… Dos jogadores desta lista é o único que já foi internacional A tendo feito também parte da selecção de sub-19 que conseguiu um 4º lugar no Mundial do Egipto da categoria, considerado um dos destaques da prova, em conjunto com Martim Costa.

DIOGO RÊMA (FC PORTO)

Posição: Guarda-Redes
Idade: 17 anos
Altura: 1,88 metros

Há quem lhe chame o novo Quintana. Algo exagerado pensarão alguns, mas o que é certo é que Rêma, aos 17 anos é o 3º guarda redes do plantel principal do FC Porto.

Ainda em idade de crescimento, Rêma não enche a baliza com o seu físico como o já falecido guarda redes da selecção nacional enchia, mas se há coisa que o jovem português partilha com o malogrado “Kingtana”, são os reflexos felinos, o rápido movimento de perna e boa leitura do corpo do adversário. Rêma já participou em 18 jogos esta época (1 da Champions League, 6 na 1ª divisão, 9 na 2ª divisão pela equipa B e 2 na taça de Portugal), tendo marcado inclusivé 8 golos. Antes da sua chegada ao Dragão Arena, já tinha feito 13 jogos no campeonato de andebol Placard 1, pelo FC Gaia.

Diogo fez parte da formação numa das melhores escolas do país, o Colégio dos Carvalhos, equipa que já deu tantos bons valores ao andebol nacional, antes de rumar aos juniores do Gaia, e posteriormente ao FC Porto. O único senão e que poderá atrapalhar o crescimento de Diogo, é a posição que ocupa, pois não é fácil para um grande clube como o FC Porto entregar a sua baliza a um jogador tão jovem… todavia, Magnus Anderson tem dado minutos ao jovem natural da cidade do Porto numa demonstração de confiança no jovem talento.

MARTIM COSTA (FC PORTO)

Posição: Central/Latera-esquerdo
Idade: 18 anos
Posição: 1,88 metros

Costuma dizer-se que filho de peixe, sabe nadar, ou que o fruto não cai muito longe da árvore. É o caso de Martim Costa, filho do ex-internacional e agora treinador, Ricardo Costa. Dos centrais que constam desta lista é talvez aquele que melhor remate tem, fruto de ter feito grande parte da sua formação a lateral.

Também ele com passagem pelo Colégio dos Carvalhos, antes de chegar ao juvenis do FC Porto, Martim rebentou no FC Gaia (a jogar maioritariamente a lateral esquerdo), onde era treinado pelo seu pai, tendo feito duas épocas onde participou em 57 jogos e fez 454 golos (!), o que perfaz uma média assombrosa de 7,96 golos por jogo!
Regressa ao FC Porto, onde constam Rui Silva e Miguel Martins, uma das melhores duplas de centrais da Europa, sentindo alguma dificuldade em impôr-se, como seria natural e expectável.

Com a saída de Miguel Martins do FC Porto, agendada para o final desta época, para o Pick Szeged da Hungria, os portistas tem agora a desculpa perfeita para apostar em Martim Costa e dar-lhe oportunidades para ele fazer aquilo que ele tão bem sabe.

Tal como Salvador, Martim foi uma das figuras da selecção nacional de sub-19, que conseguiu o 4º lugar no Mundial de 2019, no Egipto.

ANDRÉ SOUSA (AVANCA – EMP. FC PORTO)

Posição: Central
Idade: 19 anos
Altura: 1,90 metros

Mais um jovem que passou pelo Colégio dos Carvalhos, embora tenha feito grande parte da sua formação no Sp. Espinho, mas ao contrário de Martim Costa, André chegou a estrear-se pela equipa principal do FC Porto, antes de ser emprestado ao Gaia na época de 2019/2020, onde fez 73 golos em 15 jogos (média de 4,86 golos por jogo).

No Gaia coabitou com Martim Costa, seu colega de posição e com Diogo Rêma, numa equipa treinada por Ricardo Costa, treinador que reencontra agora em Avanca, onde está a realizar a sua melhor época da carreira. Ricardo deu-lhe as rédeas da equipa e o jovem André não tem desiludido, guiando uma jovem equipa da Artística de Avanca ao actual 10º lugar na classificação, com um score de 186 golos em 30 jogos (média de 6,2 golos por jogo).

André fez também parte da já falada selecção de sub-19 que conseguiu o 4º lugar no Mundial de Egipto de 2019.

FRANCISCO COSTA (AVANCA – EMP. FC PORTO)

Posição: Lateral/Ponta-Direito
Idade: 16 anos

Na actual formação de Avanca, está o último craque desta lista de andebol e, apesar de ser o mais novo de todos, tem vários pontos em comum com os restantes.

Francisco é irmão de Martim Costa para quem não sabe! Passou também pelo Colégio dos Carvalhos, antes de rumar ao juvenis do Gaia e posteriormente ao FC Porto, com o selo de um dos maiores talentos do andebol nacional. Dono de uma boa estampa física que lhe permite/permitiu jogar a lateral, com a sua elevação ao escalão sénior tem-se fixado mais na posição de ponta.

Foi um dos mais jovens de sempre a estrear-se com a camisola principal do FC Porto tendo participado com 19 golos em 3 jogos.

Emprestado à Artística de Avanca nesta segunda metade do campeonato, sob a alçada do seu pai, Francisco leva já 12 jogos e 49 golos, partilhando o campo com André Sousa.  O futuro é risonho para estes e para outros jovens que populam no campeonato de andebol Placard 1. Existem algumas posições mais carenciadas, nomeadamente a de pivô, mas eu diria que em todas as outras, existe talento para dar e vender, queiram as equipas apostar nele.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter