Os Melhores Jogadores Portugueses de Rugby em 2021 pt.1

Francisco IsaacDezembro 8, 20214min0

Os Melhores Jogadores Portugueses de Rugby em 2021 pt.1

Francisco IsaacDezembro 8, 20214min0
A lista de 15 jogadores portugueses de rugby que se destacaram em 2021 dividido em três partes, considerando todas as ligas e selecção nacional

Sem uma classificação de 15 ao 1, escolhemos 15 jogadores do rugby português que estiveram em evidência tanto na selecção nacional, Lusitanos ou nos seus clubes (em Portugal ou Europa), divididos em três partes, que vão desde os “mágicos”, os trabalhadores-natos, os “enforcers” ou os comandantes! Esta é a parte 1, fica a saber quem são os primeiros 5.

RODRIGO MARTA (BELENENSES RUGBY/LUSITANOS/PORTUGAL)

Taça de Portugal, Supertaça pelo Belenenses Rugby com vários ensaios à mistura, e titularidade a 100% na Seleção Nacional durante toda a campanha quer do Rugby Europe Championship 2021 como nos dois “amigáveis” frente ao Canadá e Japão (70 metros conquistados e os típicos side steps de prima qualidade, para além das famosas captações no ar de enorme nivel), tendo ainda sido um dos principais decisores no percurso 100% vitorioso dos Lusitanos na Super Cup. Merece uma oportunidade de tentar ganhar nome nos principais “reinos” de rugby europeus, muito por conta do talento enorme que expõe em cada iniciativa com a bola em seu poder, como pelo que faz sem ela, sendo uma excelente unidade no recuperar da oval no ar ou no fechar do corredor. 2021 voltou a ser um ano de alto calibre do polivalente 3/4s e, agora, é aguardar por igual nível no próximo ano.

RAFAEL SIMÕES (CDUL/LUSITANOS/PORTUGAL)

Se houve jogador que nos surpreendeu pela positiva neste ano de 2021, foi o segunda-linha Rafael Simões, que foi 100% titular pelos “Lobos” no Rugby Europe Championship (marcou dois ensaios e assistiu por duas vezes, registando ainda 6 tackle-busts) e durante a Janela de Internacionais de Outubro, assim como foi uma das principais referências dos Lusitanos (2 ensaios). Poder de choque, destreza e excelente pormenores de handling no contacto, fisicalidade dominante e uma mentalidade de nunca desistir, o jogador do CDUL é actualmente um dos melhores polivalentes do rugby português, tendo alinhado em todas as posições da terceira-linha e segunda-linha, o que faz de si uma das unidades de maior valiossidade do elenco de Patrice Lagisquet.

ANTHONY ALVES (STADE MONTOIS/PORTUGAL)

O maciço pilar do Stade Montois tem sido um dos nomes de maior impacto de Patrice Lagisquet, onde a exigência física tremenda é correspondida pelo poder de ganhar uma certa vantagem na formação-ordenada, com esta participação do primeira-linha a valer alguns (ou até vários) momentos positivos para os “lobos” neste ano de 2021. Alinhou como titular em cinco dos sete encontrados disputados pelas Quinas, sempre como titular, com a exibição frente à Rússia ou Japão a serem o melhor cartão de apresentação possível, oferecendo confiança, destreza e poder no trabalho dos avançados. Pelo seu clube da ProD2, Anthony Alves já foi selecionado como um dos melhores de jornada pela empresa desportiva francesa, focando sempre a sua versatilidade, mobilidade e impacto directo no pack do Stade Montois.

JOÃO GRANATE (GD DIREITO/LUSITANOS/PORTUGAL)

Foi uma época soberba para o asa de 24 anos, que se afirmou totalmente no contexto internacional como um asa de extrema inteligência na saída das fases-estáticas (duas acções fundamentais contra a Rússia, parando no sitio aquilo que podia ter sido jogadas perigosas), formidável qualidade de turnover no breakdown (pelo menos 7 protagonizadas no Rugby Europe Championship), mobilidade sofisticada no participar no jogo corrido, apresentado-se como um apoio de impacto como se mostra pelos 4 ensaios marcados ao serviço de Portugal e Lusitanos (Rússia, Japão, Delta e Brussels Devils). Pelo GD Direito realizou igualmente uma grande temporada, assumindo-se, neste momento, como um dos enforcers da equipa de Monsanto, que procuram regressar aos títulos nacionais depois de terem estado na final da Divisão de Honra 2020/2021.

JOSÉ LIMA (CARCASSONNE/PORTUGAL)

Tem composto uma dupla sensacional com Tomás Appleton na seleção portuguesa, como se prova não só pelos ensaios individuais (dois, um deles de belo efeito contra o Japão) mas principalmente pela plataforma de jogo ofensivo que ambos fornecem aos Lobos, somando ainda a grande qualidade na defesa, com 4 placagens de impacto (o adversário recuou) o que ajudou a fechar a defesa de Portugal em certos períodos. No Carcassonne não tem um estatuto tão inabalável como aufere, merecidamente, nos “Lobos”, não deixando de ter somado mais de duas mãos cheias de excelentes prestações, como aconteceu contra o Vannes  na ProD2 desta temporada, relembrando que só voltou ao rugby de clubes em Janeiro deste ano que está a findar.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter