Arquivo de Taça de Portugal - Fair Play

Esgueira-vs.-Vagos-3-.jpg?fit=1200%2C801&ssl=1
José AndradeFevereiro 22, 20226min0

Regressamos com o nosso habitual texto sobre basquetebol feminino, esta semana com as três craques que mais se destacaram num fim de semana marcado pelo acerto de calendário, além dos grandes jogos da Taça de Portugal e é dos destaques de cada um deles que vamos falar hoje.

Gabriela Raimundo – Espalhar classe semana após semana

Começamos os nossos destaques por Aveiro, para falar de Gabriela Raimundo que foi quem mais se evidenciou na vitória do Esgueira por 54-40 frente ao Galitos, no dérbi aveirense que garantiu à equipa de André Janicas a passagem à final-four da Taça de Portugal. Um jogo onde muito se lutou, que começou com as duas equipas a não conseguir pontuar e onde as manas Raimundo voltaram a ser dos maiores destaques como em quase todos os jogos. Galitos sentiu a falta de Jeanne Morais, surgiu de novo em bom plano Daniela Domingues, mas a vitória foi do Esgueira que teve Inês Ramos e entre outras jogadoras, Daniela Jesus em bom plano, esta última com um trabalho mais “invisível”.

Esgueira venceu, tirando o terceiro quarto foram sempre melhores e a jogadora em maior evidência foi Gabriela Raimundo, sempre preponderante no ataque e na defesa, a jogadora que mais se destacou na criação, na pressão defensiva e no que fez as suas colegas jogar. Gabriela Raimundo foi a jogadora mais esclarecida, novamente a mais forte na pressão alta e ainda teve o condão de pontuar naquele que foi o momento decisivo quando pontuou no começo do último período recolocando a vantagem do Esgueira em 12 pontos e tirando o Galitos do jogo, porque o Esgueira não mais voltou a facilitar neste duelo levando a melhor com Gabriela Raimundo a ser a melhor surgindo nos momentos chaves, nos dois lados do campo, pontuando e criando em nova excelente exibição. Gabriela Raimundo conseguiu 14 pontos (com 5 em 14 lançamentos de campo, 1 em 6 no tiro exterior e 3 em 4 na linha de lances livres) além disso registou mais 3 ressaltos, 2 assistências e 3 roubos de bolas.

Joana Ramos – A guia no desaire algarvio

No nosso segundo destaque, vamos até ao Algarve para falar de Joana Ramos que se evidenciou na derrota do Imortal frente ao GDESSA por 65-69. O Imortal mostrou o porquê de liderarem na 1ª Divisão e voltaram a deixar à vista de todos que são equipa de topo. Desde os primeiros segundos que tivemos um grande jogo, alta intensidade e vários duelos que nos deixaram empolgados em casa, como a “luta” entre Letícia Josefino e Monique Pereira ou entre as Márcias e ainda o duelo entre as bases criadoras, Joana Ramos e Leonor Serralheiro, todas estas atletas estiveram em grande destaque, e foi mesmo Joana Ramos que se evidenciou mais neste duelo. O GDESSA começou melhor, mas o Imortal alterando processos e sabendo sempre corrigir os erros conseguiu estar o jogo todo na discussão da partida. Duas equipas que circulam muito bem a bola, que pressionam alto, que jogam e jogaram muito bem, jogadoras experientes que entraram muito bem como a Rosinha Rosário na luta das tabelas ou Sofia Ramalho Gomes que entrou logo com um passe de excelência.

O Imortal esteve na frente muito tempo, o GDESSA depois de um período menos bem reentrou no jogo e acabou por conseguir vencer assim que o tiro exterior começou a cair, pois e apesar da grande luta, a equipa do Barreiro foi mais forte nas tabelas. Grande jogo, duas equipas personalizadas e que jogam muito bem. Maianca Umabano foi a melhor marcadora, mas o grande destaque foi Joana Ramos, uma base que era vista como atiradora e que nesta temporada tem mostrado que consegue criar como poucas e foi isso mesmo que se viu neste jogo. Os melhores períodos do Imortal foram com Joana Ramos em destaque, a pegar no jogo, a anular o mais possível Márcia da Costa Robalo, nas transições, na pressão defensiva e a ser a elemento mais criativa, além disso Joana Ramos ainda surgiu a pontuar em momentos importantes. Joana Ramos neste jogo brilhou com 18 pontos (7 em 13 nos lançamentos de campo, 1 em 3 no tiro exterior e 3 em 4 nos lances livres) depois registou 1 ressalto, 2 assistências e 1 roubo de bola neste desaire do Imortal frente ao GDESSA que avançou assim até à final-four da Taça de Portugal.

Raquel Laneiro – Excelência em estado puro

No nosso último destaque deste fim de semana, vamos até aos Açores para falar de Raquel Laneiro que foi a estrela maior no triunfo do União Sportiva por 68-62 sobre o Quinta dos Lombos. A equipa açoriana começou melhor, com um jogo rápido e com Raquel Laneiro desde cedo em grande evidência. Jogo cedo marcado pelo duelo entre Licinara Bispo e Letícia Rodrigues, uma luta das jogadoras interiores que marcou a partida inteira. União Sportiva a saber ocupar muito bem o campo, transições certeiras, tiro exterior a cair e velocidade que acontecia devido a Raquel Laneiro que fazia a sua equipa jogar com clarividência. Quinta dos Lombos subiu de rendimento quando passou a pressionar mais em cima a portadora da bola, quando Ashton Milender assumiu mais o jogo e quando entrou Ana Furtado. O Quinta dos Lombos teve no jogo interior a sua maior arma, como é sempre, mas a equipa sentiu muito o jogo menos conseguido de Ndioma Kane.

Jogo físico, muito veloz e foi a inteligência que ganhou esta partida e ai está aquela que é a craque desta partida para nós, Raquel Laneiro, porque foi com a base internacional portuguesa que a equipa açoriana esteve melhor, conseguiam ter mais tempo de ataque, os passes eram feitos no timing perfeito, a leitura de jogo de Raquel Laneiro voltou a fazer a diferença e saltar à vista. Joana Alves e Mariana Carvalho foram outros dos nomes em destaque, principalmente Joana Alves, mas a melhor foi Raquel Laneiro que brilhou muito pelo que anotou nesta partida, mostrando e reforçando o que havia dito na semana passada, está de volta a melhor Raquel Laneiro, com os índices físicos e de confiança cada vez mais perto daqueles que a base nos habituou. Neste triunfo que colocou o União Sportiva nos quartos de final, onde a equipa dos Açores terá pela frente o SL Benfica para discutir o acesso à final-four da Taça de Portugal, Raquel Laneiro brilhou com 12 pontos (Foram 4 em 9 de lançamentos de campo, 3 em 5 na linha de três pontos e 1 acerto em 1 tentativa na linha de lances livres) além disso foram 4 ressaltos, 4 assistências e 3 roubos de bola.

Ficaram aqui os nossos maiores destaques, foram três bases, três jogadoras que não foram as melhores pontuadoras, mas foram quem mais se evidenciou na criação e foram elas que brilharam e fizeram as respetivas equipas brilhar num fim de semana onde tivemos mais um cheirinho da festa da Taça de Portugal e ainda mais jogos de excelência que continuam a mostrar o porquê de ninguém poder perder nenhum jogo do nosso basquetebol feminino.


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS