Taça de Portugal de andebol masculino: quem vai levantar a prova rainha?

Bernardo GalanteJunho 9, 20223min0

Taça de Portugal de andebol masculino: quem vai levantar a prova rainha?

Bernardo GalanteJunho 9, 20223min0
FC Porto, Sporting CP, SL Benfica e CS Marítimo vão lutar pela Taça de Portugal em andebol e fazemos uma antevisão neste artigo

Os crónicos vencedores da Taça e o “novo” Madeira

A Taça de Portugal é uma competição disputada desde 1971, traduzindo-se em 48 edições, sendo que houve dois curtos interregnos na época de 98/99 e 19/20. Esta é uma competição histórica e, muitas vezes, apelidada como a Festa da Taça, devido ao seu formato, sendo que é propício a surpresas protagonizadas pelos clubes com menor expressão, contudo apenas 6 (!) emblemas portugueses venceram esta prova em 48 anos de existência.

O Sporting Clube de Portugal é o clube mais titulado na prova rainha do andebol português, tendo conquistado por 15 vezes a competição, seguindo-se do ABC de Braga com 12 troféus, o Futebol Clube do Porto com 9, o SL Benfica com 6 e o CF “Os Belenenses” com 4. O Clube Desportivo Xico Andebol e a Associação Atlética de Águas Santas são os outsiders da lista, tendo conquistado a competição por uma única vez, respetivamente.

Na presente edição, que decorrerá no próximo fim-de-semana (11 e 12 de junho), no Pavilhão de Desportos e Congressos de Matosinhos, FC Porto, SL Benfica e Sporting CP têm uma oportunidade de ouro de juntar mais uma Taça de Portugal aos seus respetivos museus.

O outro emblema em prova, o Madeira SAD, terá a oportunidade de fazer história, mas para isso, tem a espinhosa missão de bater nas meias-finais o campeão nacional e detentor da prova, o FC Porto. Na próxima época, o emblema madeirense irá fundir-se com o Club Sport Marítimo e irá disputar as principais provas nacionais com o escudo dos Maritimistas. De momento, encontra-se certa a aquisição de Rúben Ribeiro (ex-FC Porto e AA Águas Santas) e a continuidade de Radule Radulovic, Nuno Silva, Tiago Martins, Tomás Abreu, Nuno Reis, João Macedo, João Gomes, Eldin Vrazalica, Elias António, Délcio Pina e Pedro Peneda – todos estes nomes irão realizar a natural transição de emblema.

Xico Andebol, a última surpresa da Taça

Em 2009/10, o Xico Andebol surpreendeu a elite do andebol português ao conquistar a sua primeira e única Taça de Portugal do seu palmarés. O Clube Desportivo Xico Andebol, sediado no coração de Portugal – a cidade de Guimarães -, era comandado por Nuno Santos, atual selecionador nacional da Seleção Nacional de Sub-18. A conquista da Taça de Portugal foi de tal forma histórica para a turma vimaranense que, até à data, continua a ser o expoente máximo do emblema de Guimarães.

No jovem plantel do Xico, figuravam nomes como Rui Silva, Nuno Silva e João Ferraz, todos eles em inícios de carreira e a rondaram idades entre os 17 e os 20 anos. Rui Silva, na época seguinte, transferia-se para o Sporting Clube de Portugal, enquanto o irmão Nuno Silva e o compatriota João Ferraz rumaram até à ilha da Madeira, de forma, a representar as cores do Madeira SAD.

Nessa mesma temporada, o CD Xico Andebol manteve-se na Primeira Divisão Portuguesa com 8 pontos de avanço sobre o penúltimo classificado, o CS Marítimo. No entanto, essa foi também uma época marcada pela excelente campanha europeia realizada na EHF Challenge Cup – competição que viria a ser ganha pelo Sporting. A turma comandada por Nuno Santos, entrou na Fase de Grupos da competição, sendo que eliminou clubes como o RK Berane (Montenegro), RK Gradacac (Bósnia e Herzegovina), RK Metaloplastika (Sérvia), tendo sido eliminados nos Quartos-de-final pelos finalistas vencidos, os polacos do MMTS Kwidzyn.

Após essa época prestigiante para os quadros do andebol vimaranense, o CD Xico Andebol já desceu da elite do andebol português por três vezes, sendo a última delas, na presente temporada de 2021/22. No entanto, conquistou a 2ª Divisão Portuguesa por duas vezes, em 13/14 e 20/21.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter