Arquivo de Imortal - Fair Play

WhatsApp-Image-2021-12-09-at-12.09.32-2.jpeg?fit=1200%2C800&ssl=1
José AndradeMaio 25, 20226min0

Neste novo texto vamos falar sobre 5 jogadores estrangeiros que se evidenciaram na Liga Betclic Masculina em equipas além das do topo da tabela. Com os playoffs a decorrer e com o novo campeão nacional cada vez mais perto de ser encontrado, nós hoje vamos falar sobre 5 das apostas de fora do nosso país que brilharam nesta temporada na Liga Betclic Masculina.

Brandon Anderson – Pepe rápido da nossa Liga Betclic Masculina

Começamos pelo base que esteve na Ovarense nesta temporada, era uma aposta da equipa para liderar e ser um dos destaques da Liga e foi isso mesmo que aconteceu ao longo da época, mesmo com os problemas deste conjunto aveirense. O base, Brandon Anderson tinha feito uma boa época na liga britânica depois de se ter destacado muito na NCAA com os Bears da Brown University. Falamos de um base que tem na mudança de ritmo a sua maior virtude, os ataques ao cesto em que ele consegue deixar todos sentados mudando de velocidade foi a arma mais usada e em maior destaque nesta temporada. Se brilhou com essas mudanças de velocidade, mostrou também melhorias em alguns pontos onde já se destacava em Worcester. Um base que ainda brilha muito com a bola nas mãos, não sendo um base muito forte fisicamente consegue se destacar pela inteligência e por tratar muito bem a bola, além disso ainda é um atirador de elite. Base que não pode ter espaço porque ganha na velocidade e porque ainda tem facilidade de tiro, cresceu na construção e no assumir de jogo.

Lamar Morgan – Mais que um role player

O Illiabum acabou por não conseguir a manutenção, mas a equipa teve vários jogadores em destaque. Lamar Morgan não será quem mais se destacou, mas mostrou ser uma peça importante e muito regular. Neste terceiro ano em Portugal, mostrou o que já tinha mostrado na Maia, é um jogador que defende e ataca bem. Falamos de um 2 que tem crescido muito, olhando para Lamar Morgan de Coppin State, depois na Maia e agora nesta temporada, notamos uma grande evolução principalmente no 1×1 em busca do cesto. É um jogador que rende em transição, que sabe conduzir bem a bola, mostrando também aí uma grande evolução, depois no tiro exterior também consegue bons números e tal como nos outros pontos uma evolução constante. Destacar ainda o facto de ser um bom defensor conseguindo ganhar duelos a jogadores mais fortes e mais rápidos. É mais que apenas um role player de garantias, é um jogador com capacidade para ser um titular de valor pela regularidade.

Delaney Blaylock – Um 2 de alto nível

Chegou ao Póvoa como um jogador capaz de atuar como 3 e 2, sendo que se afirmou como esperado a 2. Vinha de se destacar na NCAA2 em Lewis University ao lado de um base como Kendale Mccullum que brilha no Giessen da Liga alemã. Depois disso Delaney esteve na Irlanda onde mostrou uma grande evolução e onde brilhou valendo o salto para a Ucrânia onde voltou a ser uma das figuras no Odessa equipa que teve uma temporada complicada. Chegava à Póvoa como sendo um jogador que precisava de ter bola e foi isso que aconteceu nesta temporada, sendo que um dos destaques foi a sua evolução no jogo sem bola. É um jogador com um reportório de fintas, que se evidencia no 1×1 e na procura pelo tiro uma das suas armas principais. Boa condução de bola, tem no canto a sua zona preferencial, mas é um jogador que mostrou mais que ser apenas um jogador de transições e tiro rápido, mostrou uma evolução grande na gestão de ritmos de jogo.

Alex Thompson – Perfil de luxo

O Lusitânia mostra todas as temporadas um grande acerto nas apostas para jogadores estrangeiros em especial no jogo interior e este ano não foi diferente com Julien Ducree, um 5 de equipa grande, melhor até que alguns das equipas de topo da tabela, mas hoje vamos falar de Alex Thompson, um 4 que brilhou e se evidenciou bastante nesta temporada. Se Ducree é um jogador fisicamente imponente, Thompson é exatamente o contrário. Alex Thompson é um 4 já com alguma experiência na Europa, chegou à República Checa depois de estar sempre em bom plano na NCAA. Depois da República Checa brilhou na Finlândia e na Alemanha, era um dos jogadores que mais queria ver nesta temporada e não desiludiu, esteve muito bem. Falamos de um 4 que se destaca com a bola nas mãos, tem ótimas mãos, uma meia distância de muita qualidade, destaca-se de frente para o cesto, mas tem evoluído no jogo de costas para o cesto onde não sendo um jogador com muitos quilos, se evidencia pela mobilidade. É um 4 muito inteligente que sabe aproveitar muito bem cada espaço dado pelos adversários ou ganho pelos seus colegas mais fortes. Jogador de equipa grande por defender e atacar muito bem, além claro da sua inteligência e mobilidade.

Anthony Smith – Músculo para dar e vender

Para terminarmos vamos até ao algarve para falar de Anthony Smith, um jogador que se destaca pela capacidade física. Destacou-se na NCAA na Murray State ao lado de Jaiveon Eaves um base muito interessante que está atualmente na Geórgia, depois disso Portugal e a ida para a Sérvia onde esteve no Borac onde conseguiu 16.9 pontos de média por jogo e ainda mostrar que estava um jogador ainda mais evoluído principalmente na meia distância. Chegou ao Imortal para ser uma peça importante e acabou por sê-lo. Falamos de um jogador que se destaca pelo físico, sendo não só pelos quilos e altura, mas também pela condição física, depois é um jogador que ataca e joga bem de costas e de frente para o cesto, é um ressaltador de elite e depois tem evoluído muito no jogo sem bola, o ponto onde teve a sua maior evolução nesta estadia no algarve, algo que já tinha sido muito trabalhado na sérvia e onde voltou a mostrar um grande crescimento sob o comando do mister Luís Modesto. Um jogador que pode ser poste ou extremo-poste, cada vez mais completo e se melhorar ainda mais a meia distância será cada vez mais para outros voos.

Ficaram aqui 5 jogadores estrangeiros em destaque na nossa Liga Betclic Masculina ao longo desta última temporada, todos jogadores em equipas além das do topo da tabela, atletas que mostraram a muita qualidade existente além das equipas grandes nesta nossa Liga Betclic Masculina.

Sporting-vs_edited.jpg?fit=1000%2C667&ssl=1
José AndradeMarço 20, 202210min0

A Liga Betclic Masculina está ao rubro e por isso mesmo esta semana dedicamos um texto para abordar a situação da maior competição de clubes do nosso basquetebol masculino falando um pouco a época de cada uma das equipas e ainda falando de alguns dos maiores destaques individuais na Liga Betclic Masculina onde o Sporting CP segue na liderança.

O trio da frente – Águias e dragões em busca de suceder ao Leão

Começamos pelo topo da tabela, onde Sporting CP, SL Benfica e FC Porto continuam na luta pelo primeiro lugar, os leões em busca de revalidar o título conquistado na época passada e os dois rivais muito pressionados para conseguirem regressar aos troféus.

  • Sporting CP – Continuidade de processos

O atual líder, mantém a força que nos mostrou na temporada passada, os comandados de Luís Magalhães levam menos derrotas que na temporada passada, voltaram a iniciar a temporada com a “queda” da Basketball Champions League, mas seguiu-se a conquista da Supertaça, boas séries de vitórias, a conquista da Taça Hugo Santos que havia sido perdida na época transata e uma caminhada histórica na FIBA EuropeCup. A turma de Alvalade leva apenas duas derrotas nesta Liga Betclic Masculina, as duas com o FC Porto, mas a verdade é que esta equipa tem conseguido mostrar mais regularidade que os rivais, continua a evidenciar uma força mental muito grande e uma qualidade de jogo que permite “dominar” na nossa Liga. Travante Williamns é a grande figura, o jogador mais utilizado na Liga Betclic Feminina, leva 29.2 minutos, é juntamente com Diogo Ventura, António Monteiro e Miguel Maria Cardoso um dos jogadores que esteve nos 19 jogos na competição. Travante lidera também por pontos, 16.1 de média sendo também aqui o melhor do Sporting CP. Uma equipa sólida, muito coesa e um líder que aparenta mais força do que na temporada passada.

  • SL Benfica – Pressão elevada para retomar os títulos

Mudando para o outro lado da segunda circular, o SL Benfica mudou muito esta temporada, a começar no timoneiro, Norberto Alves regressou à luz para tentar liderar esta equipa no regresso aos troféus. Muitas caras novas, obviamente com destaque para José Barbosa, Bem Rondhame, mais tarde ainda Frank Gaines e Ivan Almeida, quatro estrelas que aterraram no Pavilhão Fidelidade e que se juntaram a Betinho Gomes para ajudar a dar alegrias aos benfiquistas. Um Benfica mais forte, menos small ball, menos tiro exterior, mais força no jogo interior, mas uma equipa que continua sem conseguir vencer os dois maiores rivais, sendo que nos 6 confrontos com os outros grandes, o conjunto de Norberto Alves saiu sempre derrotado. A equipa da luz leva menos derrotas que na época passada, já caiu da FIBA EuropeCup e já perdeu um troféu, na primeira final disputada esta temporada. O grande investimento coloca muita pressão nesta equipa que depois da perda da Taça Hugo Santos, da saída europeia, tem a Taça de Portugal e o campeonato como únicos objetivos, sendo que precisa de melhorar e conseguir fazer o que ainda não conseguiram esta temporada, derrotar os rivais. Betinho Gomes continua a ser a maior referência, Rondhame o jogador mais utilizado da Liga Betclic e por isso mesmo um dos candidatos a MVP da temporada e Gaines a maior arma ofensiva.

  • FC Porto – Busca por títulos 

Uma época marcada por polêmica, isto porque o FC Porto ameaçou desistir da Liga Betclic depois dos jogos em que não compareceu, uma situação que obrigou a que a Federação interviesse para o bem do basquetebol nacional. O conjunto de Moncho Lopez, reforçou a sua base forte com Charlon Kloof em grande destaque, mas uma equipa que continua a lançar jovens, que pratica o melhor basquetebol a nível nacional e que internamente só perdeu em jogo jogado com o CAB Madeira naquele que foi um dos resultados mais surpreendentes desta temporada, depois teve dois desaires fruto dos jogos em que não compareceu. Nas grandes figuras individuais dos azuis e brancos, temos Kloof e Odomes obviamente os dois mais utilizados da Liga Betclic, mas é obrigatório destacar Miguel Queiroz, uma das figuras não só do FC Porto como também da liga e um dos melhores jogadores portugueses desta temporada. Falamos de um Porto mais forte e que joga tudo na conquista da Liga Betclic Masculina sendo que em 5 jogos com os rivais diretos apenas perdeu um deles e logo o mais decisivo, tudo isto apimenta ainda a próxima fase da nossa Liga que vai de certeza ser muito emocionante.

Oiveirense, Lusitânia, Imortal e CAB Madeira – Projetos cimentados

Aqui agrupamos 4 equipas da nossa Liga Betclic, o Lusitânia, o Imortal e o CAB como equipas cimentadas na nossa Liga, três equipas muito fortes que criam sempre dificuldades aos primeiros classificados, já a Oliveirense depois de dominar e ter as suas conquistas está em processo de “rebuild” sem deixar de ser a equipa mais próxima dos três grandes. No caso do Lusitânia falamos de uma equipa que é um exemplo na aposta de jogadores, mais uma vez acerto total nas entradas com Julien Ducree a ser mais um jogador interior que chega e brilha muito na nossa Liga Betclic, mas o maior destaque dos açorianos tem sido Francisco Amiel, o base que deixou o Sporting conseguiu na equipa de Nuno Barroso o tempo de jogo que lhe faltava e tem mostrado aquilo que já sabíamos, é um dos melhores bases portugueses.

Falando do Imortal, foi uma equipa que mexeu muito, que sofreu muitas alterações perdendo as suas maiores figuras, mas que se soube “remodelar”. Os algarvios têm vindo a fazer uma época com alguns problemas, sentiram algumas dificuldades em dezembro e janeiro, foram dois meses tenebrosos onde sofreram 6 derrotas em 7 jogos, mas a verdade é que já reentraram no caminho dos triunfos conseguindo com isso também subir ao quinto lugar da Liga Betclic que tem sido um dos lugares que nos tem proporcionado uma das melhores lutas nesta temporada. Na equipa de Luís Modesto, o destaque individual em maior evidência é Anthony Smith, mais uma aposta certeira da equipa algarvia, o jogador que assume o maior protagonismo no que diz respeito aos pontos, mas muito deste ótimo rendimento é devido a duas peças que se tem destacado muito, falo de Fábio Lima que se reencontrou nesta mudança para o Imortal e ainda de Sérgio Silva, jogador do SL Benfica, mas que se assumiu mais uma vez como uma das estrelas da Liga Betclic Masculina.

Já os madeirenses, são uma equipa totalmente consolidada, um dos melhores projetos do nosso basquetebol e uma das revelações desta temporada. Uma equipa nova, ótimas apostas, destaco a aposta em jovens como Diogo Peixe, Tomás Dias, Francisco Barroca e Jorge Embaló, mas é uma equipa que joga bem e que se assume como uma das melhores defesas da Liga Betclic à frente por exemplo do Imortal. No CAB Madeira os maiores destaques individuais são obviamente, Jalan McCloud e Fred Thomas, médias de 17.2 e 17.0 pontos respetivamente, mas é necessário destacar Nuno Sá, o jogador que volta a brilhar muito e a ser uma das figuras em bom plano na Liga Betclic tal como havia sido nas temporadas transatas na Ovarense.

Na Oliveirense, a equipa manteve a base nacional como jogadores como João Grosso ou João Guerreiro, este último o melhor na Liga Betclic no que diz respeito ao tiro exterior, mas a verdade é que é um conjunto que além de mais uma vez perder as maiores figuras, perdeu ainda o seu timoneiro, como tal é uma equipa em reconstrução, mas que nem por isso deixa de jogar bem, de criar problemas e de ter um dos candidatos a MVP na temporada, falo claro de Shaun Wiillet, um atleta fisicamente muito forte, não muito técnico, mas que se tem assumido como a estrela maior da equipa da Oliveirense e como um dos craques em maior destaque na Liga Betclic.

Póvoa – A equipa revelação da temporada na Liga Betclic Masculina

Os comandados de José Ricardo, recém-chegados à Liga Betclic são a grande revelação coletiva desta temporada, a equipa mantém ótimo basquetebol jogado que nos habitou na Proliga, um trabalho excecional de José Ricardo um dos melhores treinadores nacionais. O Póvoa é uma equipa com uma base sólida nacional, jogadores na sua maioria formados no cube ou na zona, jogadores jovens com elementos como Nuno Oliveira e Sérgio Duarte como peças determinantes pelo que oferecem e pela muita experiência que possuem. Depois a aposta em jogadores estrangeiros revelou-se acertadíssima, sem as condições financeiras de outros clubes conseguiram Diego Kapelan e Nakye Sanders dois dos maiores destaques individuais nesta temporada na Liga Betclic Masculina. Destaque ainda para João Embaló um dos melhores jovens do nosso basquetebol e candidato a revelação da época, ele que leva 4.9 pontos, 5.6 ressaltos e 1.0 assistências de média por jogo nesta temporada.

Ovarense e Vitória SC – as desilusões da temporada

Aqui passamos a duas equipas que estão abaixo da temporada, não gosto de falar no negativo, mas é impossível não colocar estes dois emblemas como as desilusões porque falamos de equipas com peso e estatuto e que vinham de boas temporadas e acima de tudo com bom basquetebol praticado. Nestas duas equipas apesar da temporada abaixo do esperado, existem vários destaques, com os dois maiores a serem Gustavo Teixeira e Carlos Cardoso, dois jovens bases de muito talento que se assumem como dois dos melhores jovens da Liga e ainda como dois dos melhores jogadores nacionais da Liga e da temporada.

Illiabum e Académica Coimbra – Nunca baixam os braços

Duas equipas que se encontram nos dois últimos lugares, a verdade é que estes dois conjuntos mais humildes têm impressionado pela determinação, em especial o Illiabum que foi um dos conjuntos que subiu nesta temporada e que mesmo estando nos lugares inferiores da tabela classificativa já criou problemas às equipas do topo da tabela. Nos destaques individuais, temos de falar em Pedro Pinto no Illiabum e Filip Simic nos estudantes, dois jogadores que se têm evidenciado mesmo com as maiores dificuldades das suas equipas.

Ficou aqui um pouco do que tem sido a época das equipas da Liga Betclic Masculina, mais uma vez uma temporada onde os destaques tem sido muitos, onde aquele trio continua numa luta incessante pelo primeiro lugar e onde as surpresas e os ótimos jogos não param semana após semana.

Esgueira-vs.-Vagos-3-.jpg?fit=1200%2C801&ssl=1
José AndradeFevereiro 22, 20226min0

Regressamos com o nosso habitual texto sobre basquetebol feminino, esta semana com as três craques que mais se destacaram num fim de semana marcado pelo acerto de calendário, além dos grandes jogos da Taça de Portugal e é dos destaques de cada um deles que vamos falar hoje.

Gabriela Raimundo – Espalhar classe semana após semana

Começamos os nossos destaques por Aveiro, para falar de Gabriela Raimundo que foi quem mais se evidenciou na vitória do Esgueira por 54-40 frente ao Galitos, no dérbi aveirense que garantiu à equipa de André Janicas a passagem à final-four da Taça de Portugal. Um jogo onde muito se lutou, que começou com as duas equipas a não conseguir pontuar e onde as manas Raimundo voltaram a ser dos maiores destaques como em quase todos os jogos. Galitos sentiu a falta de Jeanne Morais, surgiu de novo em bom plano Daniela Domingues, mas a vitória foi do Esgueira que teve Inês Ramos e entre outras jogadoras, Daniela Jesus em bom plano, esta última com um trabalho mais “invisível”.

Esgueira venceu, tirando o terceiro quarto foram sempre melhores e a jogadora em maior evidência foi Gabriela Raimundo, sempre preponderante no ataque e na defesa, a jogadora que mais se destacou na criação, na pressão defensiva e no que fez as suas colegas jogar. Gabriela Raimundo foi a jogadora mais esclarecida, novamente a mais forte na pressão alta e ainda teve o condão de pontuar naquele que foi o momento decisivo quando pontuou no começo do último período recolocando a vantagem do Esgueira em 12 pontos e tirando o Galitos do jogo, porque o Esgueira não mais voltou a facilitar neste duelo levando a melhor com Gabriela Raimundo a ser a melhor surgindo nos momentos chaves, nos dois lados do campo, pontuando e criando em nova excelente exibição. Gabriela Raimundo conseguiu 14 pontos (com 5 em 14 lançamentos de campo, 1 em 6 no tiro exterior e 3 em 4 na linha de lances livres) além disso registou mais 3 ressaltos, 2 assistências e 3 roubos de bolas.

Joana Ramos – A guia no desaire algarvio

No nosso segundo destaque, vamos até ao Algarve para falar de Joana Ramos que se evidenciou na derrota do Imortal frente ao GDESSA por 65-69. O Imortal mostrou o porquê de liderarem na 1ª Divisão e voltaram a deixar à vista de todos que são equipa de topo. Desde os primeiros segundos que tivemos um grande jogo, alta intensidade e vários duelos que nos deixaram empolgados em casa, como a “luta” entre Letícia Josefino e Monique Pereira ou entre as Márcias e ainda o duelo entre as bases criadoras, Joana Ramos e Leonor Serralheiro, todas estas atletas estiveram em grande destaque, e foi mesmo Joana Ramos que se evidenciou mais neste duelo. O GDESSA começou melhor, mas o Imortal alterando processos e sabendo sempre corrigir os erros conseguiu estar o jogo todo na discussão da partida. Duas equipas que circulam muito bem a bola, que pressionam alto, que jogam e jogaram muito bem, jogadoras experientes que entraram muito bem como a Rosinha Rosário na luta das tabelas ou Sofia Ramalho Gomes que entrou logo com um passe de excelência.

O Imortal esteve na frente muito tempo, o GDESSA depois de um período menos bem reentrou no jogo e acabou por conseguir vencer assim que o tiro exterior começou a cair, pois e apesar da grande luta, a equipa do Barreiro foi mais forte nas tabelas. Grande jogo, duas equipas personalizadas e que jogam muito bem. Maianca Umabano foi a melhor marcadora, mas o grande destaque foi Joana Ramos, uma base que era vista como atiradora e que nesta temporada tem mostrado que consegue criar como poucas e foi isso mesmo que se viu neste jogo. Os melhores períodos do Imortal foram com Joana Ramos em destaque, a pegar no jogo, a anular o mais possível Márcia da Costa Robalo, nas transições, na pressão defensiva e a ser a elemento mais criativa, além disso Joana Ramos ainda surgiu a pontuar em momentos importantes. Joana Ramos neste jogo brilhou com 18 pontos (7 em 13 nos lançamentos de campo, 1 em 3 no tiro exterior e 3 em 4 nos lances livres) depois registou 1 ressalto, 2 assistências e 1 roubo de bola neste desaire do Imortal frente ao GDESSA que avançou assim até à final-four da Taça de Portugal.

Raquel Laneiro – Excelência em estado puro

No nosso último destaque deste fim de semana, vamos até aos Açores para falar de Raquel Laneiro que foi a estrela maior no triunfo do União Sportiva por 68-62 sobre o Quinta dos Lombos. A equipa açoriana começou melhor, com um jogo rápido e com Raquel Laneiro desde cedo em grande evidência. Jogo cedo marcado pelo duelo entre Licinara Bispo e Letícia Rodrigues, uma luta das jogadoras interiores que marcou a partida inteira. União Sportiva a saber ocupar muito bem o campo, transições certeiras, tiro exterior a cair e velocidade que acontecia devido a Raquel Laneiro que fazia a sua equipa jogar com clarividência. Quinta dos Lombos subiu de rendimento quando passou a pressionar mais em cima a portadora da bola, quando Ashton Milender assumiu mais o jogo e quando entrou Ana Furtado. O Quinta dos Lombos teve no jogo interior a sua maior arma, como é sempre, mas a equipa sentiu muito o jogo menos conseguido de Ndioma Kane.

Jogo físico, muito veloz e foi a inteligência que ganhou esta partida e ai está aquela que é a craque desta partida para nós, Raquel Laneiro, porque foi com a base internacional portuguesa que a equipa açoriana esteve melhor, conseguiam ter mais tempo de ataque, os passes eram feitos no timing perfeito, a leitura de jogo de Raquel Laneiro voltou a fazer a diferença e saltar à vista. Joana Alves e Mariana Carvalho foram outros dos nomes em destaque, principalmente Joana Alves, mas a melhor foi Raquel Laneiro que brilhou muito pelo que anotou nesta partida, mostrando e reforçando o que havia dito na semana passada, está de volta a melhor Raquel Laneiro, com os índices físicos e de confiança cada vez mais perto daqueles que a base nos habituou. Neste triunfo que colocou o União Sportiva nos quartos de final, onde a equipa dos Açores terá pela frente o SL Benfica para discutir o acesso à final-four da Taça de Portugal, Raquel Laneiro brilhou com 12 pontos (Foram 4 em 9 de lançamentos de campo, 3 em 5 na linha de três pontos e 1 acerto em 1 tentativa na linha de lances livres) além disso foram 4 ressaltos, 4 assistências e 3 roubos de bola.

Ficaram aqui os nossos maiores destaques, foram três bases, três jogadoras que não foram as melhores pontuadoras, mas foram quem mais se evidenciou na criação e foram elas que brilharam e fizeram as respetivas equipas brilhar num fim de semana onde tivemos mais um cheirinho da festa da Taça de Portugal e ainda mais jogos de excelência que continuam a mostrar o porquê de ninguém poder perder nenhum jogo do nosso basquetebol feminino.


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS