Arquivo de grandes ligas - Fair Play

Albert-Pujols-pode-ser-o-primeiro-jogador-estrangeiro-a-integrar-um-dos-clubes-mais-exclusivos-do-beisebol-Getty-Images.jpeg?fit=1200%2C675&ssl=1
Felipe MartinsSetembro 10, 20227min0

A época 2022 da Major League Baseball está chegando ao fim – em pouco mais de um mês, os fãs poderão finalmente acompanhar a pós-temporada e a corrida real pelo título da World Series. Outros, porém, devem amargar o final antecipado da época, e já começar a sonhar com um possível retorno no próximo ano.

Mas antes que tudo se encerre em outubro, ainda temos muito o que acompanhar na maior liga de beisebol do planeta. Toda a comunidade, por exemplo, aguarda ansiosa a chegada de uma incrível marca por um veterano da MLB – que deve acontecer nos próximos dias! E antes que a época 2022 acabe, já temos a notícia de mudanças previstas nas regras para a partir de 2023.

Com tanta coisa em andamento e com toda a expectativa em torno dos próximos dias, confira a coluna de Natan Pires o que podemos esperar da MLB nas próximas semanas!

Albert Pujols se aproxima de mais uma marca histórica!

Os esportes têm o poder de criar histórias únicas, com seus heróis e vilões. Muitas dessas histórias conhecemos apenas por leitura ou vídeos antigos. Porém, vez ou outra somos agraciados pelos deuses do esporte com a oportunidade de presenciar a história sendo feita. Na época 2021, por exemplo, foi possível acompanhar Miguel Cabrera alcançar a marca de 500 home runs (rebatida máxima do esporte, em que a bolinha é rebatida para além dos limites do campo) na carreira, e pouco tempo depois, o venezuelano chegou às três mil rebatidas.

O que poucos imaginavam era que o final da época 2022 iria nos deixar na imensa expectativa de contemplar outra lenda na corrida para alcançar outra marca rara: a de 700 home runs na carreira. Estamos falando de Albert Pujols, veterano que tem uma carreira invejável, irrepreensível e incomparável.

https://platform.twitter.com/widgets.js

Em 22 anos de MLB, o dominicano acumulou estatísticas impressionantes: mais de 3.000 rebatidas válidas, quase 700 home runs, além de mais de 2.000 corridas impulsionadas. Foram onze seleções para o Jogo das Estrelas (incluindo oito consecutivas entre 2003 e 2010), prêmio de Calouro do Ano, três vezes consagrado como Jogador Mais Valioso da Liga Nacional e dois anéis de campeão da World Series, ambos pela equipa do St. Louis Cardinals.

Estes números e conquistas são suficientes para mensurar o tamanho do Pujols, que aos 42 anos faz uma época acima da média da liga e mantém viva a esperança de alcançar a marca histórica apenas no último mês de temporada. Pujols está apenas a cinco home runs de se juntar ao seleto clube dos jogadores com 700 home runs – a lista contém apenas três jogadores em toda a história, e é formada por Barry Bonds, Hank Aaron e Babe Ruth. Caso consiga o feito, Pujols será inclusive o primeiro jogador nascido fora dos Estados Unidos a realizar a façanha.

Mudanças de regras encaminhadas para a época 2023!

Sabemos muito bem que o beisebol é o mais tradicional dentre os esportes americanos. Com mais de 100 anos de liga profissional, algumas mudanças ocorreram conforme necessidade. Mas não é difícil entender também que isso fez com que o esporte não fosse o mais adepto às mudanças, e cada vez que surgem, as discussões se prolongam. De um lado, a tradição; do outro, o progresso necessário e o entendimento que a modernização precisa acontecer.

Lista de novas regras foi divulgada pela Major League Baseball pelas redes sociais (Foto: Reprodução/Twitter @MLB)

Há anos é discutida a possibilidade real de alterações no jogo para que o tempo de partida possa ser encurtado – o beisebol é considerado um dos esportes mais demorados e morosos, principalmente pelo longo tempo em que a bolinha fica parada, sem ser colocada em jogo. Pois na última reunião entre o comitê dos jogadores e da MLB, ocorrida no começo do mês de setembro, ficou decidido um pacote de mudanças para a época 2023. As novidades envolvem principalmente a otimização do tempo de jogo, mas também a segurança dos atletas durante as partidas. Confira a lista:

Relógio de arremessos (Pitch Clock):

Talvez a mudança mais relevante no que tange a reduzir o tempo de jogo, o relógio será introduzido e funcionará da seguinte maneira: cada arremessador terá 15 segundos cronometrados entre um arremesso e outro caso não haja corredores nas bases, e 20 segundos caso haja atletas em base. É estimado que a medida reduza a duração dos jogos em cerca de 25 minutos, e é uma das demandas mais recorrentes nos últimos anos.

Além disso, o receptor (que chama os arremessos) é obrigado a estar em posição faltando nove segundos para o arremesso; o rebatedor deve obrigatoriamente ter os dois pés dentro do espaço destinado ao rebatedor, e estar alerta para o arremesso com oito segundos faltando. Sendo assim, o relógio inicia a partir do segundo arremesso da partida, e começa quando o arremessador tiver a bola, o rebatedor estiver posicionado, e o receptor já esteja em posição.

Obviamente haverá ajustes quando houver troca de atletas ou algum outro fator que afete o andamento da partida, mas para o caso de arremessadores ou receptores que não cumpram com a regra do relógio, haverá penalidade com a contagem de uma bola automaticamente (quatro bolas são necessárias para que o rebatedor ativo ganhe a base livremente). O rebatedor também será punido caso não cumpra com a regra (receberá um strike, que equivalem a um arremesso dentro da zona de strike; com três acumulados, o rebatedor é eliminado).

Bases maiores e restrição na movimentação defensiva

Outras duas regras alteradas envolvem o contexto defensivo do esporte. As bases serão aumentadas de 15 para 18 polegadas (um aumento equivalente a 7,6 centímetros), aumentando a área de contato para jogadores que tentam roubar as bases e evitando lesões comuns hoje em dia. A mudança será sentida principalmente na primeira base, em que a maior parte dos acidentes acontecem (é muito comum um defensor ser pisado não intencionalmente).

No caso do posicionamento defensivo, as novas regras matam o chamado ‘shift’, em que os defensores se deslocam para longe da posição inicial. Isto ocorre para que a defesa tenha melhor cobertura do campo para cada rebatedor, considerando a capacidade e estatísticas de um atleta – alguns rebatem mais bolas para o campo direito, outros, mais para o campo esquerdo, e assim vai.

Esta mudança gera sentimentos contrários, para além da discussão ‘tradição x modernização’. Neste caso, o entendimento de muitos torcedores é que o ‘shift’ é parte da estratégia da partida, e pode gerar um efeito contrário – o rebatedor pode colocar a bola em jogo justamente no espaço gerado pela mudança defensiva. De qualquer forma, a partir da época 2023, o defensor da segunda base e o interbases deverão obrigatoriamente estar, respectivamente, de cada um dos lados da segunda base e dentro do espaço do campo interno (geralmente delimitado pela parte de saibro do campo).

Com tantas mudanças em vista, é certo que já podemos criar muita expectativa para a próxima época. Não deixe de acompanhar as colunas semanais sobre a Major League Baseball aqui no FairPlay, e confira as redes sociais do Beisebol Mundo Afora para mais conteúdo sobre o esporte em língua portuguesa!


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS