Arquivo de Águas Santas - Fair Play

scp-hand-1-2.jpg?fit=1200%2C913&ssl=1
Bernardo GalanteSetembro 30, 20226min0

O Sporting Clube de Portugal e a AA Águas Santas/Milaneza estão com um pé na Fase de Grupos da EHF European League de andebol. Na EHF Champions League, o cenário não é favorável para o campeão nacional ao fim de três jornadas.

O mar das tormentas que o Dragão não desfaz

O Futebol Clube do Porto, nas últimas épocas, tem sido um ávido representante da nossa nação na mais prestigiada competição de clubes a nível europeu – a Liga dos Campeões -, contudo, esta temporada, o cenário está extremamente desfavorável para os azuis e brancos. Em três jornadas, os dragões não somam qualquer ponto. Na passada terça-feira somaram a terceira derrota, desta feita, frente ao triacontacampeão croata, o RK Zagreb.

O RK Zagreb (Rukometni Klub Zagreb) é o dono do andebol croata, sendo esta afirmação sustentada por um simples facto: em 30 edições da Paket24 Premijer Liga (campeonato nacional desde que foi reconhecida a independência, em 1991), o RK Zagreb venceu-a por outras tantas vezes. O histórico croata conta com uma lenda do andebol russo nos seus quadros – o veterano ponta Timur Diborov -, no entanto, teoricamente a equipa comandada por Ivica Obrvan é considerada como uma das mais frágeis do grupo A.

Na primeira metade do encontro, a vantagem esteve sempre do lado dos croatas, algo que os dragões nunca conseguiram contrariar. Desde o 4-3, o emblema de Zagreb esteve sempre na frente com vantagens a rondar os dois ou três golos de vantagem. A poucos segundos da ida para o intervalo, os croatas perderam a bola numa transição ofensiva e ainda deu para Daymaro Salina reduzir a desvantagem para 16-15.

Na segunda parte, o Futebol Clube do Porto ainda empatou o encontro por duas vezes – primeiramente a 16 bolas e, de seguida, a 18 -, no entanto, a partir do 19-18, a turma de Magnus Andersson nunca mais foi capaz de suster o ímpeto croata. O RK Zagreb ainda esteve a vencer por sete golos de vantagem (29-22), no entanto, o resultado final fixou-se nos 29-23, acabando por ser excessivo. O resultado final não traduz, de todo, a diferença qualitativa entre as duas equipas e o FC Porto ainda tem margem par dar a volta à situação.

O experiente Timur Dibirov foi o melhor marcador do encontro após apontar 10 tentos. O RK Zagreb conquistou os seus primeiros dois pontos, atingindo a 6ª posição do Grupo A, à frente do Dínamo de Bucareste e do FC Porto. Os dragões estão no 8º e último posto com 0 pontos, fruto de 3 derrotas em outros tantos encontros.

Leões com pé e meio na fase de grupos

Fruto da segunda posição na edição transata do Campeonato Placard Andebol 1, o Sporting CP tinha a obrigatoriedade de disputar a 2ª ronda de qualificação, tendo em vista a fase de grupos da EHF European League. Ditou o sorteio que os leões defrontassem os dinamarqueses do Bjerrinbro-Silkeborg.

A equipa nórdica antevia-se como um desafio exigente para a turma de Ricardo Costa, tendo em perspetiva o cenário interno bastante competitivo em que está inserida e, consequentemente, a boa prestação que teve na edição passada da Primo Tours Ligaen (Campeonato Dinamarquês), fruto da 3ª posição, apenas atrás do GOG e do Aalborg, campeão e vice-campeão dinamarquês, respetivamente.

O encontro iniciou-se no Pavilhão João Rocha, pelas 19h45 de terça-feira e, desde cedo, que os verdes e brancos se adiantaram no marcador. No final dos primeiros trinta minutos, o resultado pecaria por escasso, devido à falta de eficácia ofensiva da equipa do Sporting Clube de Portugal, tendo em conta a elevada produção de oportunidades de golo. O placard eletrónico marcava 10-8 ao intervalo.

Na segunda parte, os leões subiram a eficácia e intensificaram a circulação de bola no ataque, tendo isso, efeito imediato. A vantagem no marcador foi-se alargando com a primeira e segunda linha leonina a terem, em consonância, um papel muito ativo na produção ofensiva. O encontro acabou com um 31-22 a favor da turma de Ricardo Costa e que os coloca com pé e meio na fase de grupos da Liga Europeia da EHF.

Águas Santas na frente de um duelo 100% português

O Clube de Futebol “Os Belenenses” e a Associação Atlética de Águas Santas protagonizaram o segundo duelo, entre si, no espaço de 3 dias e que culminou com o mesmo desfecho que o anterior – com a vitória da equipa forasteira.

O encontro iniciou-se às 19h45 (hora portuguesa) no Pavilhão Acácio Rosa e com transmissão n’A Bola TV, sendo este um passo (não menos) importante do andebol português.

Antevia-se um encontro equilibrado e foi assim mesmo o primeiro quarto de hora do encontro – Belenenses e Águas Santas assinalaram consecutivos empates e vantagens mínimas. À entrada dos últimos 10 minutos da primeira metade do encontro, a equipa maiata foi ampliando a vantagem, descolando-se, de forma imediata, da equipa do Restelo. Os atletas recolheram para os balneários ao fim de 30 minutos com um parcial de 10-15 a favor da Águas Santas/Milaneza.

Na segunda parte, os pastéis tinham a missão de recuperar da desvantagem sofrida no encontro e foi isso mesmo que acabara por acontecer… contudo, não sendo suficiente. Aos 50 minutos de jogo, o resultado fixava-se nos 19-20 a favor da equipa visitante, sendo que os homens de Belém contavam com um forte apoio da sua massa associativa – o que acabou por não se revelar determinante- , no entanto, a turma de Ricardo Moreira não tremeu e acabou por nunca sofrer o golo do empate, acabando mesmo por alargar e fixar a sua vantagem nos três golos. 20-23 foi o resultado final.
Gustavo Oliveira (Águas Santas/Milaneza) e Edvaldo Ferreira (CF “Os Belenenses”) foram os melhores marcadores do encontro com 6 golos marcados, cada.

As respetivas partidas da 2ª mão da 2ª ronda de qualificação têm data marcada para o próximo dia 4 de outubro. Os leões visitam Bjerringbro-Viborg pelas 17h45, enquanto o duelo luso está marcado para as 19h45, na cidade da Maia.

selecaoandebolportugal.jpeg?fit=1200%2C939&ssl=1
Bernardo GalanteNovembro 5, 20217min0

A Seleção Nacional A de andebol iniciou a preparação para o Campeonato da Europa de 2022 com uma semana de trabalhos no Luxemburgo, onde venceu a seleção da casa, ontem, por 21-39. Seguir-se-ão, dois amigáveis contra a seleção da Alemanha, nos dias 5 e 7 de novembro, respetivamente.

No lote dos 18 convocados para esta tripla jornada amigável, estrearam-se cinco atletas: André Sousa, Miguel Alves, Francisco Tavares, Pedro Oliveira e Ángel Hernández. Em seguida, damos a conhecer as cinco caras novas da seleção das quinas.

André Sousa | Central | 19 anos | AA Águas Santas

Natural do Porto, André Sousa iniciou a prática da modalidade no Sporting Clube de Espinho em 2011. Daí em diante, não mais parou. Representou o SC Espinho de 2011 a 2016, ano em que trocou de emblema, seguindo-se o Colégio Internato dos Carvalhos, onde permaneceu durante uma temporada. Em 2017, o prodigioso central transferiu-se para o Futebol Clube do Porto, clube que atualmente se mantém ligado em termos contratuais.

No início da temporada 18/19, foi chamado para a 1ª mão da 1ª ronda da qualificação para a EHF Cup (atual EHF European League) num encontro frente ao Potaissa Turda (Roménia), onde os dragões venceram por 41-21. André Sousa, somou mais de 30 jogos pela equipa B dos portistas e cerca de outros 30 pela equipa de juniores antes de somar três empréstimos consecutivos, contando com o da atual temporada 21/22.

Na temporada 19/20, o central atuou pelo FC Gaia ajudando o clube a alcançar a manutenção, numa época em que tinham o estatuto de primodivisionários. Nessa época, André Sousa faturou por 73 vezes entre os 15 jogos que realizou, ajudando o FC Gaia a atingir um prestigioso 7º lugar.

Na época seguinte, o atleta natural do Porto foi emprestado à Artística de Avanca, onde atuou no Campeonato Nacional Placard Andebol1 por 32 vezes, registando 196 golos e contribuindo para a 10ª posição da turma de Ricardo Costa.

Atualmente, encontra-se ao serviço da Associação Atlética de Águas Santas, onde tem-se afirmado como o comandante da turma maiata, contribuindo com 55 golos em 10 partidas. Com 7 partidas realizadas no campeonato nacional, a Águas Santas encontra-se na 5ª posição com 17 pontos, fruto de 5 vitórias e 2 derrotas.

Miguel Alves | Ponta | 25 anos | FC Porto

Miguel Alfredo Silva Alves, 25 anos, é mais um produto natural da cidade invicta. O ponta-direita do Futebol Cblube do Porto formou-se como jogador de andebol, precisamente, nos dragões – clube que ingressou em 2008. Entre 2011/12 a 12/13, Miguel teve uma pequena passagem pelo Colégio dos Carvalhos, na altura, com idade de juvenil.

Em 2017, o atleta natural da Invicta estreou-se pela equipa principal no reduto do Boa-Hora FC num encontro a contar para os 16 Avos da Taça de Portugal, onde contribuiu com 3 golos na vitória por 27-39. Nessa mesma temporada, o atleta somou um total de oito participações no seio da equipa principal.

Na temporada seguinte, ainda com idade de júnior, o atleta foi emprestado ao ADA Maia/ISMAI – clube que representou durante uma temporada e meia – de forma a adquirir minutos no principal escalão do andebol nacional. No emblema da Maia, o atleta somou cerca de 30 partidas, nas quais faturou por 78 vezes.

Em 2017/18, a presença na equipa principal dos dragões começou a ser cada vez mais regular e preponderante. Com a chegada de Magnus Andersson, o jogador teve uma evolução muito significativa, registando muitos momentos importantes a nível ofensivo apesar da forte concorrência de António Areia.

Desde o início da época, Miguel somou um total de 16 jogos, faturando por 44 vezes. A nível de palmarés, o atleta já conquistou 3 Campeonatos Nacionais, 2 Taças de Portugal e 2 Supertaças Portuguesas.

Francisco Tavares | Ponta | 24 anos | SC Sporting

Natural de Almada, Francisco Tavares, iniciou a prática da modalidade no CCRC do Cruzeiro e Rio Seco – clube que representou na temporada 2006/07 com a idade de Mini. Em 2007/08, ingressa no CF “Os Belenenses” com a idade de Infantil. Saiu em 2013, de modo a transferir-se para os juvenis do Sporting Clube de Portugal.

Em 2014/15, ainda na qualidade de júnior, Francisco Tavares começou a integrar a equipa principal do emblema leonino – numa altura em que Frederico Santos era o técnico principal dos leões. Nessa mesma temporada, faturou por 8 vezes em 19 encontros efetuados pela equipa A.

A partir da época 16/17, o ponta-direita natural de Almada começou a ser aposta assídua na equipa principal, período que coincidiu com os únicos títulos conquistados a nível sénior: 2 Campeonatos Nacionais e 1 Taça Challenge.

Em 2018, foi emprestado durante uma época ao Boa-Hora, onde fez 215 golos em 41 partidas ajudando o clube de Alcântara a alcançar a manutenção. Após essa curta passagem por empréstimo no emblema de Alcântara, o ponta leonino voltou, tendo nas últimas duas temporadas contabilizando mais de 250 golos divididos por 85 partidas.

Pedro Oliveira | Ponta |19 anos | Artística de Avanca

Natural do Porto, Pedro Oliveira de apenas 19 anos é um dos maiores prodígios da ponta-esquerda nacional, tendo o selo da formação da Associação Atlética Águas Santas – onde iniciou a prática da modalidade em 2011.

Após nove temporadas a representar o emblema maiato, Pedro Oliveira ingressou no Futebol Clube do Porto, na temporada passada. Em 2021, o ponta-esquerda natural da Invicta, estreou-se pela equipa principal pelas mãos de Magnus Andersson, na vitória frente ao CF “Os Belenenses” por 42-27, onde fez um golo.

O atleta acabou por marcar presença nas duas últimas jornadas do campeonato frente ao Boavista FC e FC Gaia, respetivamente, fazendo assim com que o jovem atleta conte com a conquista de um campeonato nacional no seu currículo. Apesar das três partidas pela equipa principal, o atleta participou em 20 encontros na equipa B dos dragões e mais 2 pelos juniores do FC Porto.

Esta temporada, o atleta foi emprestado à Artística de Avanca orientada pelo conceituado Ljubomir Obradovic, de forma a adquirir uma maior experiência num patamar mais competitivo. Até ao momento, Pedro Oliveira conta com 7 partidas realizadas no Campeonato Placard Andebol 1, onde fez 41 golos.

https://mobile.twitter.com/7metrospt/status/1435922548018008065

Ángel Hernández | Lateral | 26 anos | Kuwait SC

Ángel Dariel Hernández Zulueta, natural da cidade cubana de Matanzas, onde competia antes de ser recrutado pelo Futebol Clube do Porto, em 2015. Atualmente, o lateral-direito luso-cubano, representa as cores dos árabes do Kuwait SC.

Na temporada 2015/16, o canhoto luso-cubano iniciou um percurso de cinco temporadas no andebol luso, onde se iniciou com dois empréstimos ao ADA Maia/ISMAI. O emblema da Maia, antecedeu três épocas à equipa principal do clube-mãe, os dragões do Futebol Clube do Porto.

Na primeira temporada no andebol luso, o atleta realizou apenas 16 partidas no emblema maiato – sendo que chegou apenas em dezembro -, marcando 85 golos. Na época seguinte ao serviço da turma da Maia, Ángel Hernández fez 243 golos em 37 partidas realizadas no Campeonato Placard Andebol 1, tornando-se no 3º melhor marcador da competição.

De 2017 a 2020, o lateral canhoto figurou na equipa principal dos dragões, atuando em mais de 100 partidas e conquistando 1 Campeonato Nacional, 1 Taça de Portugal e 1 Supertaça Portuguesa. Em 2020, o atleta renovou com o FC Porto e saiu por empréstimo para o Qatar, de forma a representar o Al Duhail – tendo sido campeão catari.

Nesta temporada, o atleta antes de ingressar no Kuwait SC, representou o Al-Wehda da Arábia Saudita no Mundial de Clubes, tendo feito 20 golos em 4 partidas.

Apesar de haver cinco estreias no lote dos convocados, também há regressos, como o caso de Diogo Valério (VfL Gummersbach, Alemanha), Tiago Sousa (Águas Santas) e Salvador Salvador (Sporting CP). Nomes como Gilberto Duarte (Montpellier, França), Pedro Portela (Nantes, França), Humberto Gomes (Póvoa), António Areia, Daymaro Salina, Fábio Magalhães e Leonel Fernandes (FC Porto), Alexis Borges (Benfica) e João Ferraz (Suhr Aarau, Suíça) ficaram de fora.


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS