Que ano, Stefanos Tsitsipas!

André Dias PereiraNovembro 25, 20192min0

Que ano, Stefanos Tsitsipas!

André Dias PereiraNovembro 25, 20192min0

No início da temporada, Stefanos Tsitsipas estabeleceu as suas metas: ser top-10, chegar às meias-finais de um Major, ganhar um Masters 1000 e atingir o ATP Finals. O grego cumpriu todas e teve a cereja no topo do bolo. Foi campeão do ATP Finals.

Tsitsipas estava longe de ser o principal candidato ao título. Não apenas por se tratar do seu primeiro torneio mas porque Djokovic, Nadal e Federer tinham ambições importantes. O espanhol e o sérvio jogavam, aliás, a liderança mundial. É certo que não foi desta que o maiorquino ganhou o torneio mas acaba o ano como líder da hierarquia.

De todo o modo, frente a Dominic Thiem o grego ganhou de virada:  6-7 (6-8), 6-2 e 7-6 (7-4). O austríaco passou pela primeira vez a fase de grupos. E de que modo. Nas meias-finais ainda eliminou Zverev, campeão em 2018.

Diga-se, contudo, que o ano de Tsitsipas teve altos e baixos. Isso deve-se também à sua curva de aprendizagem. É bom não esquecer que o grego tem apenas 21 anos de idade. Idade, por exemplo, para jogar ainda a Next Gen Finals.

Após as vitórias em Marselha e no Estoril, Tsitsipas perdeu nas primeiras rondas de Wimbledon e também do US Open. O grego falou no desgaste físico, mas também na necessidade de criar rotinas para alcançar o sucesso no profissionalismo. “Parece que estou sempre a fazer a mesma coisa e o meu cérebro não aguenta mais”, desabafou. Talvez por isso, durante Wimbledon, tivesse passado dias a fio…a ler.

Meta para 2020: consolidação no top-10

Talvez Tsitsipas tenha entendido que perder faz parte do jogo. E que quem joga semana após semana, vai ter momentos baixos no ano. Na conferência de imprensa, no ATP Finals, antes de jogar com Nadal, o grego disse que não suportava perder mais para Nadal. Em 6 jogos, perdeu 5. Tsitsipas reconheceu, então, que já não se castigava tanto por cada derrota. E a verdade, é que para atingir a final do ATP Finals deixou para trás Nadal, Djokovic (fase de grupos) e Federer (meias-finais).

Certo é que Tsitsipas termina 2019 mais maduro e consitente. Por mais ambiciosas que fossem as suas metas no início do ano, Tsitsitas está acima do que sonhara. Aos 21 anos soma já 4 títulos, incluindo o ATP Finals, e é 6 do mundo. Tudo leva a crer que 2020 seja a consolidação no top-10 mundial. E, quem sabe, a disputa por um Major. Este ano, esteve perto de atingir a final. Caiu nas meias-finais em Melbourne. Quem sabe, no próximo ano.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter