Os destaques da primeira fase dos playoff e playout da Liga Betclic 2022

José AndradeAbril 8, 20227min0

Os destaques da primeira fase dos playoff e playout da Liga Betclic 2022

José AndradeAbril 8, 20227min0

Para hoje, vamos falar de 3 + 1 destaques dos primeiros jogos dos playoffs e do playout da Liga Betclic Feminina, por isso mesmo venham dai que a tarefa foi muito complicada, mas estes são os nossos 4 destaques desta semana.

Maianca Umabano – A excelência de sempre

O GDESSA venceu o Esgueira por 86-78 num jogo de alta intensidade no Pavilhão Clube do Povo de Esgueira. Uma entrada demolidora da equipa do Barreiro que esteve a grande maioria do tempo na frente, o Esgueira lutou, ainda conseguiu empatar, mas o GDESSA foi mais forte. Um jogo marcado pelos lançamentos de lances livres, o Esgueira falhou apenas 1 e o GDESSA 2, um se não o melhor jogo da época na linha de lances livres na Liga Betclic Feminina. O GDESSA soube aguentar o ímpeto do Esgueira, principalmente no segundo e terceiro quarto, a experiência pesou muito, Márcia da Costa Robalo e Sofia Ramalho Gomes determinantes, com destaque para Rita Rodrigues que entrou numa altura delicada para o lugar de Letícia Josefino que havia sido excluída por faltas e a jovem poste não tremeu e esteve muito bem.

No Esgueira, as irmãs Raimundo sempre incansáveis, sempre muito bem, mas a zona interior com Trudy e Vashti foi o ponto forte e que elevou o Esgueira. O destaque maior desta partida foi Maianca Umabano, como acontece em todos os jogos voltou a estar imparável, muito importante nos dois lados do campo, com o tiro exterior a cair em momentos decisivos e mais uma vez a estar muito bem na defesa. Maianca Umabano conseguiu 17 pontos (4 em 7 de lançamentos de campo e 3 em 7 no tiro exterior) ainda conseguiu 1 ressalto, 4 assistências e 1 roubo de bola. Partida espetacular e GDESSA em vantagem no primeiro jogo dos quartos de final da Liga Betclic Feminina.

Kahlia Lawrence – Exibição monstruosa

O Vitória SC recebeu e venceu o SL Benfica por 80-72 e conseguiu assim fazer o que ninguém havia feito na Liga Betclic Feminina, derrotar e terminar a invencibilidade da equipa de Eugénio Rodrigues. As vitorianas confirmam a excelente segunda metade de época, tal como tinha falado aqui, estavam claramente em crescendo e o facto das coisas nem sempre terem corrido bem retirava alguma pressão e podiam surpreender, aí está, confirmado isso e o Vitória SC entra com tudo nos playoffs da Liga Betclic Feminina. Entrada demolidora da equipa da casa, Benfica com um acerto muito abaixo do normal nos lançamentos de campo, algo que não é nada habitual nas encarnadas. Grande jogo, muita luta e a prova de como a Liga Betclic Feminina é incrível e de como tudo está em aberto.

Benfica tem dois jogos em casa para dar a volta, mas Vitória SC na frente e com uma demonstração de muita qualidade no arranque dos playoffs. Vários destaques individuais, como Laura Ferreira e Joana Soeiro no Benfica, já do lado do Vitória SC, Kourtni Perry dominou no jogo interior, Sara Ressurreição sempre muito bem, não sabe jogar mal, mas Maria Oliveira foi uma das protagonistas, esteve em grande neste jogo e só não foi a figura maior do Vitória porque Kahlia Lawrence esteve monstuosa. Neste triunfo, Kahlia Lawrence conseguiu, 31 pontos (10 em 15 em lançamentos de campo, 2 em 5 na linha de três pontos e 5 em 5 na linha de lances livres) ainda obteve 6 ressaltos, 3 assistências e 2 roubos de bola.

Laura Silva – Muita qualidade

O Vagos venceu o CAB Madeira por 69-65 num jogo disputado até ao último segundo. As madeirenses tiveram duas entradas em grande, primeiro e terceiro quarto foram da equipa de Fátima Silva, mas depois os turnovers acabaram por custar este triunfo às madeirenses. O Vagos manteve-se sempre seguro, mesmo quando estavam atrás no marcador, a exclusão de Susana Carvalheira pesou, mas foi bem “substituída” com destaque aí Inês Pinto que teve triplos decisivos. Muita luta, foi o jogo mais discutido, porque foi do princípio ao fim do encontro, belo jogo na Madeira e tudo em aberto, claro que o Vagos ficou em vantagem, mas a verdade é que o CAB deixou à vista a muita qualidade que possui, também aqueles que tem sido os problemas desta temporada. Jogo de alto nível, a festa dos playoffs brindou-nos com grandíssimo jogo na Madeira com o Vagos a sair na frente neste duelo dos quartos de final da Liga Betclic Feminina.

Nos destaques individuais tivemos vários, Manuela Rios e Martha Burse à cabeça do lado do Vagos, além claro das Joanas, Canastra e Cortinhas que como sempre entram, jogam bem e fazem a diferença na partida. Do lado do CAB Madeira, Madison Torresin com um grande jogo, voltou a estar muito bem, depois Isabel Berenguer, mais uma jogadora que não sabe jogar mal e que sempre rende, ainda Carolina Bernardeco que brilha em todos os jogos, nem sempre foi fácil, mas sempre muito bem, mas o maior destaque foi Laura Silva. Apesar do desaire, Laura Silva merece o maior destaque desta partida onde conseguiu 12 pontos (3 em 5 de lançamentos de campo, 1 em 5 na linha de três pontos e 3 em 3 na linha de lances livres) além de 3 ressaltos e 1 assistência, uma jogadora incansável que assumiu o jogo e que agitou a partida recolocando o CAB em jogo por diversos momentos.

Raquel Alves – Exibição de luxo

Para terminarmos, o Francisco Franco foi a Coimbra vencer o Olivais FC por 62-55 e está assim em vantagem no playout da Liga Betclic Feminina. Mais um jogo onde o Olivais entrou muito bem, o primeiro quarto foi da equipa da casa que mais uma vez sentiu dificuldades com o decorrer da partida, principalmente em termos de estatura e físicos, porque Dayna subiu ainda mais de rendimento no segundo e terceiro quarto criando assim mais problemas à equipa da casa. Também mais uma vez, vimos o Olivais a terminar bem a partida. Um Francisco Franco muito forte, com Dayna Rouse em grande destaque, mas com o jogo que caracterizou esta equipa ao longo da temporada. Do lado do Olivais, jogaram bem, estiveram por cima em diversos momentos, mas mais uma vez acabaram por perder. Francisco Franco em vantagem na luta pela manutenção, levam assim a eliminatória para a Madeira com um ascendente e com uma vantagem segura neste playout da Liga Betclic Feminina.

A verdade é que além de jogar bem e apesar de tudo, sabemos que o Olivais vai dar tudo, jogar bem e criar muitas dificuldades ao Francisco Franco. Neste duelo ficaram vários destaques individuais, Dayna Rouse o mais mencionado e o mais incontornável, mas além dela do lado madeirense ainda destaque Katherine Andersen, mas em especial Cristina Freitas que é aquela peça que rende sempre, que raramente erra e que nem sempre tem o destaque merecido.

Do lado da equipa da casa, Eva Carregosa também ela sempre incontornável, Mafalda Pompeu que esteve muito bem e em momentos mexeu com o jogo, mas o maior destaque foi Raquel Alves. Num duelo de alto nível, parecia um jogo de playoff, Raquel Alves foi a estrela, mais uma vez a capitã do Olivais brilhou muito, é claramente um dos destaques maiores desta temporada e começou este playout com uma exibição de luxo. Raquel Alves conseguiu, 21 pontos (2 em 4 de lançamentos de campo, 5 em 9 na linha de três pontos e 2 em 2 na linha de lances livres) obteve ainda 6 ressaltos, 3 assistências e 2 roubos de bola.

Está assim dado o mote para os playoffs e para o playout, grandes jogos, tudo ainda mais ao rubro e em aberto, invencibilidades quebradas, muita luta e a excelência do basquetebol feminino da Liga Betclic feminina que é impossível perder.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter