US Open: todos contra Djokovic

André Dias PereiraAgosto 26, 20192min0

US Open: todos contra Djokovic

André Dias PereiraAgosto 26, 20192min0

Arranca esta segunda-feira, dia 26, a 139ª edição do US Open. Sem surpresa, Novak Djokovic apresenta-se como o principal candidato à vitória final. Campeão em título, o sérvio venceu 4 dos últimos 5 Grand Slam e é líder do ranking mundial.

Vencedor das edições de 2011, 2015 e 2018 do US Open, Nolan tenta o inédito bicampeonato em Nova Iorque. Com 16 Grand Slam, o sérvio está a 4 de igualar Roger Federer. Em conferência de imprensa, Djokovic admite que esse é um objetivo “e uma responsabilidade”. Talvez por isso, aos 32 anos, Djokovic priorize já os Major na preparação de suas temporadas. Se olharmos para o ano de 2019, o sérvio venceu “apenas” três títulos. Para além de Wimbledon e Australian Open, Nolan ganhou o ATP 1000 de Madrid. Há uma semana, em Cincinatti, caiu nas meias-finais para Daniil Medvedev.

“Especialmente agora, os slams são basicamente o fundamental na forma como eu vejo o ténis. O meu foco principal é a forma de me preparar para eles”, explicou o sérvio.

Outro pormenor que sempre acompanhou Djokovic é a antipatia que recebe por parte do público. Sobretudo em relação a Federer e Nadal. Uma das explicações pode ser por ter entrado no circuito mais tarde e se tornado como que un anti-herói do suíço e do espanhol.

Federer e Nadal, os suspeitos do costume

Se há jogadores que podem travar Djokovic são Federer e Nadal. Sem surpresa, também. O espanhol entra em cena diante John Millman e vai evitar, na sua chave, o suíço e o sérvio. “Tenho de ganhar os meus jogos para ter uma vantagem. Só posso os enfrentar na final. Tenho muito trabalho antes disso para saber se é vantagem ou não”, constatou Nadal.

O espanhol falhou Cincinatti para se preparar para o US Open. Campeão em Montreal, Nadal diz estar “com boas sensações” para o US Open. Na base desse pensamento está o facto de não sentir mais dores nos joelhos, que tanto o têm afetado.

Também Roger Federer, 37 anos, é um eterno candidato ao título. O suíço reconhece que “vai ser difícil” reerguer o título que levantou pela última vez em 2008. A vitória sobre Rafa Nadal em Wimbledon reforça a confiança do suíço, que poderá ter que enfrentar Djokovic nas meias-finais se lá chegarem. A estreia será diante o indiano Sumit Nagal (190º).

Dominic Thiem, Daniil Medvedev, Alexander Zverev, Kei Nishikori e Stefanos Tsitsipas são, naturalmente, outros jogadores a seguir com atenção. Mas os três magníficos continuam a ser os principais candidatos. Até porque Zverev e Tsitsipas não atravessam a melhor forma, e o piso rápido não é o preferencial de Thiem.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter