Pode Zverev ser tão grande quanto os maiores?

André Dias PereiraMaio 14, 20183min0

Pode Zverev ser tão grande quanto os maiores?

André Dias PereiraMaio 14, 20183min0

Alexander Zverev conquistou este domingo, em Madrid, o seu terceiro Masters 1000 e o nono troféu ATP na carreira. Aos 21 anos de idade, o alemão é já o número três mundial e tem um talento comparado aos melhores. Mas pode Zverev atingir o patamar de superestrelas como Djokovic, Nadal ou Federer?

Contra Dominic Thiem levou 1h19 para vencer a final dos Masters 1000 por duplo 6-4. Não se trata exatamente de uma surpresa. O triunfo mostra o bom momento do alemão que, na semana passada, venceu também em Munique.

A grande surpresa do torneio acabou por ser a eliminação de Rafael Nadal. O maiorquino perdeu não apenas o seu primeiro jogo na terra batida este ano (7-5 e 6-3), mas também o seu primeiro set. Foi contra Dominic Thiem, que acabaria por ser finalista vencido.  O austíaco conseguiu a sua segunda vitória sobre o espanhol – a outra foi em 2016, no ATP Buenos Aires – e atira Nadal também para fora da liderança mundial. Mesmo sem jogar, Roger Federer será novamente o número um do ranking ATP.

Rafael Nadal foi eliminado um dia depois de ter batido novo recorde. Alcançou 50º set consecutivo sem perder, destronando Jonh McEnroe.

“Em termos de resultado e de qualidade de jogo ele é o melhor jogador do mundo depois do Big Four. Aliás, neste momento, é melhor atrás de Roger Federer e Rafael Nadal“, disse Dominic Thiem, rendido ao talento do alemão.

Grand Slam e a pedra no sapato

Nadal caiu nos quartos de final mas estabeleceu record vitorioso de 50 sets consecutivos. Foto: Sky Sport

Este foi o segundo título do alemão em duas semanas. Antes, em Munique, venceu Philipp Kohlschreiber por duplo 6-3 na final.

Depois de um arranque de época de altos e baixos, o alemão parece estar novamente a ganhar confiança. O ano passado, foram cinco títulos conquistados: Montepellier, Munique, Washington, Roma e Canadá.

Com um serviço muito forte e um estilo agressivo, sobretudo a partir da linha, a Zverev parece faltar regularidade ao longo da temporada. É capaz de vencer os maiores, mas também ser eliminado precocemente, como aconteceu em Roterdão, este ano. Andrea Seppi, semi-finalista, eliminou o alemão logo na segunda ronda.

Por enquanto continua a faltar resultados em Grand Slam. O seu melhor registo foi alcançar as meias-finais em Roland Garros, em 2016 e 2017. Poderá ir mais longe este ano, ou surpreender o super-favorito Rafael Nadal? Poderá ainda ser cedo para prever uma situação como essa, mas aos 21 anos de idade Zverev é, provavelmente, o mais promissor jogador da nova geração.

“Nos Grand Slams ainda não teve os resultados esperados. Penso, contudo, que será difícil pará-lo assim que começar a avançar nos torneios”, disse ainda Thiem sobre o alemão.

Este foi, aliás, o terceiro Masters 1000. Os outros foram conquistados em Roma e no Canadá. Agora, as baterias estão apontadas para Roland Garros. Até onde poderá ir o alemão?

 

Alexander Zverev venceu assim o ATP 1000 Madrid


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter