Exceção médica garante Djokovic em Melbourne

André Dias PereiraJaneiro 5, 20222min0

Exceção médica garante Djokovic em Melbourne

André Dias PereiraJaneiro 5, 20222min0

Após avanços e recuos parece que Novak Djokovic vai  jogar o próximo Australian Open. O número 1 do mundo confirmou no seu Instagram que vai disputar o primeiro Major do ano, entre 17 e 30 de Janeiro.

Em causa está a não vacinação contra o Covid-19. Por várias vezes o número 1 mundial posicionou-se contra a vacinação obrigatória. Para poder defender o título de 2021, Djokovic viu ser-lhe concedida uma isenção do comprovante de vacina por parte da organização.

O tema não é pacífico, nem entre a organização nem entre os tenistas. O ano passado, o sempre polémico Nick Kyrgios declarou que apesar de ter tomado todas as vacinas não concordava com a exigência da vacinação obrigatória. Novak Djokovic não perdeu tempo em se posicionar ao lado do australiano, defendendo a liberdade de escolha: “Não importa se é no ténis ou em qualquer outra área da vida, todos devem ter a liberdade de escolher o que querem ou não fazer”.

Recorde-se também que desde o início da pandemia, Nolan tem colecionado polémicas. Desde a organização de torneio nos Balcãs, que culminou com vários jogadores e público infectado, à preparação de Grand Slams.

Outro caso curioso é o de Tennys Sandgren. O número 96 do mundo desistiu do torneio por não estar vacinado, contudo, pediu regime de exceção por acreditar que não cumpria os protocolos exigidos no país.

Certo é que o Governo já tinha anunciado, ainda em 2021, que para jogar o Australian Open todos os jogadores teriam que apresentar o certificado de vacinação. Um dos visados era justamente Djokovic, que para já perdeu a possibilidade de jogar ATP Cup.

Nadal quase a postos

Craig Tiley, diretor do torneio, garante que não existe uma exceção para Djokovic. O que acontece é que foram pedidos 26 exceções e a maioria não cumpria todas as regras.

Novak Djokovic pode assim lutar pelo seu décimo título em Melbourne. Caso o faça torna-se o primeiro a atingir 21 Majors. Mas Nadal também está na parada. O espanhol regressou à competição na variante de pares do ATP 250 de Melbourne. Juntamente com o também maiorquino Jaume Munar, a dupla venceu Sebastian Baez e Tomas Etcheverry.

Após uma longa paragem, Nadal vai ganhando ritmo para o primeiro Major do ano. E mesmo não sendo favorito, é interessante acompanhar o nível a que se vai apresentar. Talvez o torneio que o maiorquino tem mais chances de vencer é Roland Garros.  Até porque há Medveded e Zverev a jogarem o melhor ténis das suas carreiras. De fora do torneio está Roger Federer. O suíço também se encontra a recuperar de duas cirurgias e na melhor das hipóteses só deverá voltar em Wimbledon.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter