Cameron Norrie: o improvável campeão de Indian Wells

André Dias PereiraOutubro 20, 20213min0

Cameron Norrie: o improvável campeão de Indian Wells

André Dias PereiraOutubro 20, 20213min0
Cameron Norrie tornou-se o primeiro britânico a ganhar Indian Wells e está na corrida para o Masters Final, em Turim.

À entrada para Indian Wells sabia-se que haveria um campeão inédito. Sem o Big-3 e também sem Dominic Thiem, nenhum antigo campeão jogava o Masters 1000. Poucos poderiam prever, contudo, é que nenhum jogador top-25 chegaria às meias finais.

Cameron Norrie tornou-se, pois, o improvável campeão e também o primeiro britânico a ganhar Indian Wells. Para isso, ganhou na final Nicoloz Basilashvili por 3-6, 6-4, 6-1. Não foi uma final brilhante, mas o britânico cometeu menos erros e mantém-se na luta pelo ATP Finals.

Mas vamos por partes. Indian Wells tornou-se, acima de tudo, uma oportunidade para vários jogadores se destacarem e conseguirem resultados inéditos pela ausência de grandes nomes. Daniil Medvedev, número 2 do mundo, era o grande favorito. Aliás, uma possível vitória aproximaria ainda mais o russo da liderança mundial. Contudo, a derrota para Grigor Dimitrov (4-6, 6-4, 6-3) torna praticamente inviável essa condição antes do final do ano. No mais, as meias finais do búlgaro parecem ser um bom sinal para o antigo campeão do Masters Final 2017. Esse foi, de resto, o seu último título. É também preciso recuar até 2018 para lembrar a última final que disputou (Roterdão). Apesar dos altos e baixos, Dimitrov sempre foi um jogador competitivo. Em Indian Wells deixou para trás nomes como Daniel Altmaier, Reilly Opelka, Daniil Medvedev e Hubert Hurkacz. Apesar para Cameron Norrie (6-2, 6-4) caso dê sequência a estes resultados pode encarar 2022 de outro modo.

Quem também teve um bom torneio foi Taylor Fritz. O norte-americano chegou até às meias-finais, perdendo para Basilashvili (7-6, 6-3). Mas este foi um dos seus principais resultados do ano. Sobretudo a vitória sobre Zverev (4-6, 6-3, 7-6), em 2.20 horas. O alemão, número 4 do mundo, era outro grande candidato ao título. Até porque atravessa um grande momento, como explicam os quatro troféus ganhos este ano. Acabou por falhar, num jogo marcado por um bate boca com um adepto antes de cometer um dupla falta, que iniciou uma série de erros culminando na derrota para Fritz.

Cameron Norrie sonha com Turim

Mas nem tudo foi mau para Zverev. O alemão eliminou Andy Murray (6-4, 7-6) e com isso conseguiu vencer na carreira todos os integrantes do chamado Big-4. Murray foi, aliás, um dos mais acarinhados pelo público. E teve o mérito também de afastar o favorito Carlos Alcaraz. O espanhol, uma das sensações do último US Open, de apenas 18 anos, tinha mais velocidade, força e intensidade. Contudo, o britânico soube valer-se da sua maior experiência, evitando longas trocas de bola. Acabou premiado com um triunfo de 5-7, 6-3 e 6-2.

O título de Indian Wells é o mais importante, até aqui, da carreira de Cameron Norrie. O britânico ganhou dois desde que é profissional, ambos este ano. Para além de Indian Wells, venceu o torneio Los Cabos. Norrie tenta garantir presença agora em Turim, no ATP Finals. Para já, está em décimo lugar, contudo, Nadal, em oitavo, não conta por estar fora da competição. Isto quer dizer que o campeão de Indian Wells está apenas a um lugar de garantir presença no torneio final.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter