Lewis Hamilton “diabólico” conquista o GP do Brasil 2021

Francisco IsaacNovembro 15, 20214min0

Lewis Hamilton “diabólico” conquista o GP do Brasil 2021

Francisco IsaacNovembro 15, 20214min0
Foi preciso ir ao fundo do "poço" para Lewis Hamilton resgatar as energias necessárias e ir em busca da vitória no Brasil. A nossa visão da prova aqui no Fair Play

Loucura. Puramente loucura total. É a melhor forma para descrever o sentimento que eletrizou as bancadas do mítico Interlagos, quando Lewis Hamilton finalmente dobrou Max Verstappen na 59ª volta do Grande Prémio de São Paulo/Brasil, pondo fim à sequência de vitórias do actual líder do ranking de pilotos desta Fórmula 1 2021.

Mas porquê a loucura geral? Bem, há diversos elementos que levaram a este sentimento, a começar pelo facto do campeão do Mundo em título ter iniciado este fim-de-semana com uma troca de motor, o que forçou logo uma penalização de 5 lugares na grelha de partida marcada para Domingo. Uma decisão da liderança mecânica da Mercedes, que acabou por surpreender tudo e todos, mas que no final resultou e brotou os  “frutos” desejados. Contudo, as peripécias iniciais para Lewis Hamilton não tinham terminado, já que a dimensão da asa traseira do seu bólide moveu questões em relação à sua legalidade, forçando à FIA a investigar e a aplicar nova penalização, que passava por começar em último na Sprint Race de sábado.

Quando os fãs da Mercedes esperavam pelo pior, Hamilton tratou de dar corda e realizou uma Sprint Race alucinante, ultrapassando quase 14 adversários, para fechar a sua prestação em alta com uma promessa clara de que não se ia render no Grande Prémio, apesar de começar num 10° lugar, ainda longe do pódio. Com Valteri Bottas a ser o rei do Sábado, seguido do combo da Red Bull, Max Verstappen e Sérgio Perez, o “circo” estava montado e prometia oferecer um espectáculo apaixonante aos aficionados, que também estavam curiosos para ver como Carlos Sainz Jr e Lando Norris se davam na pista canarinha.

Curiosamente, foram estes dois a ter logo uma interação acidental no arranque, que acabou por prejudicar a vida do jovem piloto inglês, uma vez que na sequência do toque do seu homólogo espanhol, sofreu dano numa asa, necessitando ir imediatamente à box, e perder assim alguns lugares na classificação geral – acabou por terminar em 10º lugar. No entretanto, o “diabólico” Lewis Hamilton ia arrumando a casa, puxando fervorosamente por si e pelo seu novo Mercedes, apostado em chegar o mais rápido possível à frente de combate… De 10° para 9°, de 9° para… 5° e de repente já estava atrás dos três comandantes da corrida, sendo que era o piloto neerlandês da Red Bull a deter o 1° lugar, isto depois de ter ultrapassado genialmente Bottas no começo da prova.

Ouçam o barulho do público no momento da ultrapassagem

Safety Car entra logo após a primeira volta (destroços espalhados em alguns troços do esfalto), e deixou os primeiros quatro classificados em pé de igualdade. Era agora uma corrida entre a fome, loucura e vibração de Lewis Hamilton, e a segurança, astúcia e força de Max Verstappen, sem que os parceiros de ambos tivessem grande palavra a dizer, ficando aqui lançada a luta pelo 3° lugar, estando o Mundial de Construtores em jogo.

Fast Forward para o 1° grande momento da prova… Volta 48. O líder do pelotão, Verstappen, tentava segurar a sua posição, com o seu rival britânico a fazer sentir a sua respiração quase sobre o ombro do neerlandês, iniciando-se uma frenética dança entre ambos, que atingiu o timbre máximo quando o líder do mundial de pilotos, ao tentar evitar a ultrapassagem, força uma curva mais agressiva, saindo os dois de pista por uma breve golfada de ar. Não houve penalização, corrida boa, nenhum incidente, segue luta com Interlagos em polvorosa!

Se já não bastava o que já tinha acontecido até aqui, ora aí chegou o momento da loucura total na volta 59 quando finalmente Lewis Hamilton meteu o bólide no ponto máximo, apanha a inércia certa e… deixa Max Verstappen para trás. Estava feito, estava destinado, e, melhor de tudo, o título ainda está por decidir o seu dono. Com Valteri Bottas a encerrar na 3ª posição, seguido por Sérgio Perez, Charles Leclerc e Carlos Sainz Jr na 4ª, 5ª e 6ª posição, o GP do Brasil coroou Lewis Hamilton como o seu vencedor, oferecendo-lhe não só pontos precisos para se aproximar do topo do Mundial de Pilotos, como injectar uma dose de confiança enorme, que pode ser decisiva para as três últimas provas, sabendo que a Mercedes tem agora, teoricamente, um carro mais rápido, explosivo e trabalhado para atingir o grande objectivo.

GRANDE PRÉMIO DO BRASIL

CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS | CAMPEONATO DO MUNDO DE CONSTRUTORES


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter