Jordan Santos: Quem é o melhor do mundo no futebol de praia?

André CoroadoNovembro 12, 20195min0

Jordan Santos: Quem é o melhor do mundo no futebol de praia?

André CoroadoNovembro 12, 20195min0
Jordan Santos é o melhor jogador do mundo de futebol de praia. Campeão europeu por Portugal e pelo Braga, melhor jogador nas duas competições, o jogador nazareno de 28 anos ultrapassou a concorrência de Rodrigo e Gori para ser considerado o melhor do mundo na modalidade à qual tem acrescentado tanto.

Tem 28 anos, é oriundo da Nazaré e no passado Domingo foi considerado o melhor jogador do mundo na modalidade que abraçou há mais de 10 anos, o futebol de praia.Mas quem é Jordan Santos, o vencedor do Best Player Award de 2019 da Beach Soccer World Wide?

Dos primeiros passos ao título mundial

Nascido no Canadá, filho de pais portugueses vindos da Nazaré, foia vila do centro oeste de Portugal que viu Jordan crescer e manifestar um talento invulgar para a prática futebolística, tanto na relva como nos areais. Habituado a jogar na praia desde muito novo, foi no entanto no futebol de onze que surgiu a sua primeira grande oportunidade, ao integrar as camadas jovens do Boavista FC. A experiência foi dura e não terá produzido os êxitos desejados. Jordan, porém, estava destinado a algo maior…

Ainda na adolescência integrou a formação da Associação Cultura e Desporto “O Sótão”, sagrando-se campeão nacional no seu ano de estreia pela equipa principal em 2009, conquista na qual desempenhou um papel preponderante. O seu talento não passou despercebido à equipa técnica nacional, então liderada por José Miguel Mateus, que tratou de integrar Jordan nos trabalhos da selecção no ano seguinte.

Foi assim que, em Maio de 2010, o jovem nazareno de 18 anos viaja com a selecção para Roma, onde disputou a Taça da Europa, na qual se sagrou vice-campeão e facturou pela primeira vez com a camisola das quinas. Era o início de um longo trajecto de crescimento que culminaria com a conquista, ainda nesse mesmo ano, do Circuito Nacional de Futebol de Praia da FPF pelo Sporting CP e do título de campeão europeu pela selecção nacional. Jordan ia ganhando o seu espaço na equipa lusitana, evoluindo tacticamente e evidenciando já as características técnicas que haviam de o converter um dia no melhor jogador do mundo.

Os anos foram passando e a maturidade desportiva de Jordan ia crescendo, assim como o seu imenso palmarés. Por Portugal, foi bronze no Mundial de Ravena 2011 e campeão do mundialito em 2012, num período algo conturbado na História da selecção que incluiu o não apuramento para o Mundial do Taiti 2013, mercê de uma prestação abaixo das expectativas no torneio de apuramento em Moscovo no ano anterior. Porém, assim como a selecção se reergueu, também Jordan soube capitalizar as lições adquiridas para se apresentar a um nível cada vez mais alto, dando provas inequívocas do seu valor nos anos seguintes de 2013 e 2014, já às ordens de Mário Narciso. Em Portugal, Jordan foi campeão nacional por 3 anos consecutivos, entre 2012 e 2014, primeiro pelo CF “Os Belenenses”, e nos dois anos seguintes pelo SC Braga.

De campeão do mundo a melhor do mundo

O ano seguinte, 2015, permanece como o mais memorável da História do Futebol de Praia português, por ter incluído a conquista do Mundial FIFA realizado em Espinho e também a reconquista da Liga Europeia, que vinha fugindo desde 2010. Contrariamente ao que as estatísticas possam parecer indicar, Jordan revelou-se absolutamente fundamental nessa campanha, ao trabalhar para o equilíbrio colectivo da equipa numa posição mais recuada do que o habitual (posição 3, correspondente ao ala mais recuado). Evidenciava-se claramente a maturidade do atleta, que aparecia frequentemente nos momentos decisivos (é da sua autoria o golo que abre caminho à vitória portuguesa diante da Rússia na meia final do mundial 2015).

Com o passar do tampo, Jordan foi assumindo cada vez mais o estatuto de organizador de jogo da equipa nacional, fazendo valer as suas qualidades técnicas exímias, a sua força e disponibilidade física inesgotáveis e a visão/versatilidade táctica que o distinguiam. Acaba por alcançar um nível de excelência em 2017, quando Portugal fica perto de conquistar quase todas as competições em que participa, acabando no entanto por falhar os objectivos. Já então, era clara a presença de Jordan entre a elite restrita dos melhores jogadores do mundo, todavia acabou por estar ausente do pódio. Foi também nesse ano que voltou a sagrar-se campeão nacional pelo SC Braga e venceu pela primeira vez a Euro Winners Cup (usualmente cognominada de liga dos campeões de futebol de praia).

O ano de 2018 nem sempre correspondeu às expectativas da selecção nacional e do Sporting CP, clube que então representou, com alguns torneios menos conseguidos que tornariam sempre mais difícil a nomeação. o certo é que 2019 seria um ano verdadeiramente de sonho para Portugal, para o SC Braga (ao qual regressou) e para o atleta nazareno, que finalmente veria o seu trabalho e sacrifício reconhecidos pela família do futebol de praia mundial.

O palmarés de Jordan nesta época, tanto a nível colectivo como individualmente, é verdadeiramente assombroso. Pelo seu clube, o SC Braga, conquistou os 4 troféus que disputou: Mundialito de Clubes, Euro Winners Cup (a 3ª consecutiva do clube bracarense), Campeonato Nacional e Taça de Portugal. No caminho, foi ainda eleito melhor jogador da Euro Winners. Na selecção, Jordan alcançou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos Europeus de Minsk, venceu o Mundbialito na sua Nazaré e sagrou-se mais uma vez campeão europeu, na Figueira da Foz, onde foi eleito melhor jogador do torneio mais uma vez. Pelo caminho, ajudou Portugal a qualificar-se para o Campeonato do Mundo, onde irá pela primeira vez envergar a camisola de Portugal com o estatuto de melhor jogador do mundo. Algo que certamente não alterará em nada a mentalidade do jogador português oriundo da Nazaré, que em cada competição deixa tudo em campo por si, pelos seus companheiros e pelo seu país.

O Fair Play dá os parabéns a Jordan Santos pela conquista do troféu e congratula-se por constatar que, depois de Madjer (2015, 2016), o melhor jogador do mundo volta a ser português, reafirmando continuidade do talento do jogador lusitano de futebol de praia!

Um dos golos mais importantes da carreira do Jordan 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter