Daniel Ricciardo faz McLaren regressar às vitórias na F1

Luís PereiraSetembro 14, 20214min0

Daniel Ricciardo faz McLaren regressar às vitórias na F1

Luís PereiraSetembro 14, 20214min0
Daniel Ricciardo conseguiu fazer a McLaren regressar às vitórias, nove anos depois, ao vencer o GP de Itália.

Daniel Ricciardo conseguiu fazer a McLaren regressar às vitórias, nove anos depois, ao vencer o GP de Itália. Numa corrida marcada por mais um embate entre os dois candidatos ao título, foram os McLaren a ficar com os “despojos de guerra”, ainda que a vitória tenha sido alcançada com todo o mérito.

Aliás, o mérito começou logo no arranque, em que Ricciardo chegou à primeira curva antes de Verstappen, ao arrancar melhor do que o líder do campeonato. Atrás dos líderes era Lando Norris que tinha arrancado, Lewis Hamilton e assistia-se a uma luta britânica pelo terceiro lugar.

Apesar de não ter feito até então uma época propriamente positiva, Ricciardo ia conseguindo gerir facilmente a liderança da corrida. Verstappen bem tentava forçar o andamento, mas apenas conseguiu desgastar os pneus mais depressa do que o australiano da McLaren, que com isso forçou a sua equipa a decidir parar Ricciardo mais cedo, forçando o ritmo, e fazendo uma rapidíssima paragem nas boxes, tempo esse digno de uma paragem da…Red Bull. Quis a ironia que os mestres das paragens rápidas estivessem em dia não e quando a Red Bull manda parar Max Verstappen o tempo perdido nas boxes foram uns longos 11 segundos.

A longa paragem do neerlandês não era só o que Ricciardo precisava, mas também Norris e Hamilton. Os britânicos responderam ao parar logo de seguida, para tentar sair na frente, e conseguiram.

Só que Hamilton conseguiu regressar mesmo na frente de Verstappen e logo na primeira curva deu-se um novo capítulo da grande rivalidade atual da F1. Nenhum dos pilotos cedeu, nenhum deu espaço e o resultado final foi choque, e ambos os carros em cima da gravilha, fora da corrida.

O embate é apenas o segundo da época, mas não promete ser o último, neste confronto pelo campeonato do mundo de pilotos. Apesar do fim da corrida dos candidatos ao título, não era o fim da corrida em Monza. Aliás, alheios de tudo o que se estava a passar estavam Ricciardo, Leclerc e Norris. O piloto da Ferrari tinha aproveitado o acidente e eventual safety car para trocar de pneus e sair na frente do jovem piloto da McLaren.

Só que o dia prometia ser “papaia”. No recomeço Ricciardo arrancou bem, e não menos bem arrancou Norris, atrás de Leclerc, que com uma espetacular ultrapassagem colocou ambos os McLaren na frente. A partir daí foi gerir o ritmo e garantir que ninguém iria impedir a lendária equipa de F1 de voltar a vencer uma corrida nove anos depois de Jenson Button ter vencido em Interlagos pela equipa britânica. Vitória com dobradinha e volta mais rápida acabou por ser um culminar do fim do maior jejum de vitórias daquela que ainda é uma das mais bem-sucedidas equipas de F1, apenas atrás da Ferrari.

A fechar o pódio ficou Bottas, que arrancou do último luga (!) isso porque o finlandês aproveitou o GP de Itália para utilizar novos compostos da unidade motriz, mas nem isso o impediu de cumprir a promessa que tinha feito à equipa de chegar ao pódio.

Mas no final de contas o importante foi ver o regresso às vitórias de um dos nomes mais sonantes da F1, o regresso à forma de Ricciardo e ver que a franca recuperação que a McLaren tem feito nos últimos anos não deve passar despercebida.

Hamilton e Verstappen também ficarão sempre ligados à história deste GP, mas pelos piores motivos. Os comissários acharam que o piloto da Red Bull foi o maior culpado do incidente e por isso terá de cumprir uma penalização e três lugares na grelha na próxima corrida.

GRANDE PRÉMIO DE ITÁLIA

 CAMPEONATO DO MUNDO DE PILOTOS

CAMPEONATO DO MUNDO DE CONSTRUTORES


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter