A Magia da EuroLeague: o que se tem passado pelos 1/4s de final

Fair PlayAbril 26, 202111min0

A Magia da EuroLeague: o que se tem passado pelos 1/4s de final

Fair PlayAbril 26, 202111min0
A EuroLeague está a andar a todo o ritmo e José Andrade põe-nos a par do que se passa pelos quartos-de-final da competição de basquetebol europeu

Para a minha estreia aqui no Fair Play, nada melhor que falar dos quartos de final da maior competição de clubes no basquetebol europeu, a EuroLeague. Estamos na segunda ronda e com as 4 melhores equipas cada vez mais perto de serem encontradas. Por isso mesmo venham daí que temos muito basquetebol de excelência para se analisar.

Artigo de José Andrade

CSKA Moscovo 2 – 0 Fenerbahce

Para começar em grande, um dos duelos mais históricos do basquetebol europeu e da EuroLeague. No primeiro jogo, o CSKA levou a melhor sobre os turcos. Os russos, atuais campeões europeus, começaram muito mal, muitos problemas, muitos erros, mas acabaram por vencer por 92-76, depois de irem melhorando e “afinando” alguns detalhes. Para piorar tudo para a equipa de Moscovo, no começo do jogo, o poste Tornike Shengelia lesionou-se logo nos primeiros minutos, quando fraturou a mão. Apesar dos problemas, os russos conseguiram equilibrar o primeiro quarto, melhoraram na defesa e começaram a limitar mais o jogo do Fenerbahce.

No segundo período deste jogo, a equipa de Moscovo começou a abrir a vantagem, os turcos estavam com problemas em defender principalmente as penetrações de Will Clyburn e o CSKA ia aproveitando todo o espaço dado. Nando de Colo ia sendo o mais inconformado e quem mais ia levando o Fenerbahce em busca da vitória. O intervalo acabou por fazer bem à equipa de Istambul, Igor Kokoškov mudou a estratégia defensiva optando agora por uma defesa em zona e com isso os russos já não conseguiam penetrar nem entrar tão facilmente na defesa turca.

A verdade, é que no último quarto os canários voltaram a cair de rendimento, principalmente depois da saída de Gudurić, ele que tinha sido a peça fundamental no equilíbrio da equipa. Os russos aumentaram a pressão e os erros turcos foram se somando, isso levou a que o jogo do CSKA funcionasse e a vantagem fosse aumentando. Daniel Hackett com 20 pontos foi a grande figura desta partida e do lado turco a maior figura foi o Nando De Colo com 27 pontos, 4 ressaltos e 3 assistências.

No segundo jogo, o CSKA voltou a vencer, desta vez por 78-67 e assim os russos venceram os dois duelos em Moscovo levando assim as decisões para Istambul. Tarefa difícil para os canários amarelos, pois nunca nenhuma equipa conseguiu reverter um 2-0, mesmo assim sabemos que os homens de Kokoškov não vão desistir nunca.

No jogo a equipa visitante entrou a querer mostrar mais do que mostrou no jogo anterior, mas Nando de Colo acabou por sair com uma lesão no nariz, com isso voltou a ser Marko Gudurić homem que liderou a equipa de Istambul. O Fenerbahce venceu o primeiro quarto apresentando um jogo coletivo mais forte, enquanto a equipa da casa ia errando mais e sentindo mais problemas com o jogo coletivo dos turcos.

Depois vieram os nervos, ambas as equipas sentiram o peso do jogo e os erros foram se somando, principalmente do lado russo que continuava a errar mais, para combater isso Dimitris Itoudis montou uma estratégia em que o CSKA deixou de procurar o jogo rápido, para passar a trocar mais bola e isso revelou-se fundamental para a melhoria da equipa de Moscovo que foi nesta mudança que cresceu no jogo, recuperando e mais tarde conseguindo mesmo passar para a frente. Os turcos viram De Colo reentrar a errar muito e a diferença maior nos últimos minutos voltaram a ser os turnovers da equipa visitante.

Armani Milano 2 – 0 Bayern de Munique

Dois grandes jogos neste duelo entre italianos e alemães e, tal como esperado, tivemos um grande equilíbrio, com o Milano a ser melhor, a vencer os dois jogos e a estar a uma vitória apenas de garantir um lugar entre as 4 melhores equipas da EuroLeague 2021.

No primeiro duelo, o Bayern começou melhor e venceu mesmo a primeira parte deste duelo, tudo porque os alemães iam dominando nos duelos das tabelas, com Jalen Reynolds como sempre em grande, ia sendo novamente o responsável por esta superioridade. A defesa alemã ia garantindo a vantagem neste jogo ao intervalo. No segundo tempo, Ettore Messina mudou o Milano e os italianos entraram com tudo, passaram a “contornar” a defesa da equipa de Munique e com isso o foram se aproximando e reduzindo a vantagem dos alemães.

O último quarto foi muito emocionante e foi decidido no último lance de jogo. O Olimpia tentou segurar a posse, lançar já no final, mas Delaney falhou e no contra-ataque a apenas 5 segundos James Gist lançou e conseguiu marcar. Para terminar e vencer este duelo, faltavam apenas 1.2 segundo e Messina voltou a dar uma aula ao desenhar uma jogada perfeita que terminou com LeDay a encestar e a fazer o lançamento decisivo.

No segundo jogo, Messina voltou a levar a melhor no duelo com Trinchieri. Vitória do Milano por 80-69, num jogo bem diferente, aqui o Milano controlou do princípio ao fim, um jogo onde os alemães deram tudo, mas os italianos foram muito superiores. Bayern sempre muito aguerrido, sempre a lutar, mas neste jogo não conseguiram produzir o que tinham conseguido no duelo anterior, tanto nos duelos dos garrafões como no aproveitamento ofensivo.

Muita luta, mas neste duelo os italianos foram realmente melhores. Um jogo que começou equilibrado, mas o que fez a diferença para a equipa de Milão foi a defesa agressiva e mais forte que impediu o jogo interior dos visitantes de funcionar. O Bayern nunca deitou a toalha ao chão, foi sempre tentando, mas realmente o Milano foi sempre superior e dominador neste jogo da EuroLeague.

Kevin Punter foi a maior estrela desta partida com 20 pontos.

FC Barcelona 1 – 1 Zenit St. Petersburgo

A segunda eliminatória que teve o seu primeiro jogo na passada quarta, dia 21 e que jogo foi. O Barcelona recebeu e perdeu com o Zenit por 74-76, um jogo que colocava o líder da fase regular com o oitavo classificado, duas equipas que se foram destacando pelas defesas fortes e agressivas. O Barça começou a partida a sentir dificuldades no jogo interior, perante um duelo de duas equipas que defendem como poucas, foi a defesa russa que se começou por superiorizar. O Zenit a condicionar mais o jogo do Barcelona e isso a juntar às dificuldades no garrafão, ia fazendo com que os visitantes estivessem melhor no jogo. A diferença para o lado dos catalões foi a rotação, Sarunas Jasikevicius teve nos jogadores do banco os responsáveis pela aproximação ao à equipa de St. Petersburgo.

Os erros espanhóis custaram a perda da vantagem que as segundas linhas catalãs conseguiram, por isso tudo empatado no primeiro quarto. No segundo quarto, os problemas no jogo interior deixaram o Barcelona com uma desvantagem maior. Sarunas mudou, aproveitou o intervalo para colocar o Barça a defender mais em cima, a pressionar mais Pangos na busca do erro russo. Neste terceiro quarto os Blaugranas passaram a jogar melhor, defensivamente conseguiram “conter” os russos e ofensivamente já não cometiam tantos turnovers. O jogo equilibrava ainda mais e por isso o último quarto foi muito intenso.

O Zenit acaba por vencer, não tremendo nunca perante o aumento da pressão catalã. Jogo onde Mirotic e Calathes estiveram abaixo do normal, por isso mesmo a grande figura da equipa da Catalunha foi Brandon Davies que conseguiu 18 pontos, 9 ressaltos e 1 assistência. Do lado do Zenit esteve a grande figura da partida, Kevin Pangos com 19 pontos, 3 ressaltos e 9 assistências. Primeira batalha foi ganha pelos russos. No segundo jogo, O Barcelona venceu por 81-78 o Zenit, uma vitória importante que empatou e animou ainda mais esta grande eliminatória.

Novo jogo onde as defesas se destacaram, que fizeram a diferença e que tornaram este jogo num duelo menos espetacular e mais tático, foram as defesas que se evidenciaram desde o começo da partida. Um jogo onde nem sempre se jogou bem, onde em alguns momentos se produziu pouco ofensivamente e isso levou a uma partida por vezes jogada a um ritmo mais lento e distante do basquetebol espetacular de outros duelos. A maior diferença para o primeiro jogo, foi o jogo mais apagado de Kevin Pangos na primeira parte. Muitas faltas, ataques lentos e pouco móveis, as defesas agressivas e baixa percentagem nos lançamentos da linha de três pontos, tudo motivos para a baixa pontuação neste duelo.

Mesmo assim um grande equilíbrio, jogo tático e defensivo, por isso Sarunas tentou mudar o jogo lançando uma carta nova neste duelo de treinadores na busca pelos desequilíbrios, falo do Leandro Bolmaro, o extremo argentino foi responsável por mudar o jogo, entrando bem e jogando da melhor forma dos dois lados da quadra.

O ataque catalão esteve sempre abaixo do normal, muitas falhas, o Zenit apesar de também não estar assertivo no ataque, conseguiu empatar já no terceiro quarto fruto sempre da superioridade do jogo interior. Realmente foi um jogo pouco agradável para quem gosta de basquetebol de ataque, a grande melhoria foi no último quarto quando Kyle Kuric e Pangos surgiram mais inspirados no jogo, mas mesmo assim as defesas continuavam a fazer toda a diferença. Jogo acabou empatado no tempo regulamentar e no prolongamento o equilíbrio continuou, foram os lances livres a fazer a diferença para a equipa da casa neste 2º jogo dos quartos-de-final da EuroLeague.

Nikola Mirotic foi a figura pela negativa, esteve muito apagado nestes dois duelos e bem longe do nível que apresenta normalmente. Depois de Pangos no primeiro jogo, neste segundo o grande protagonista foi Brandon Davies com 22 pontos, 8 ressaltos ainda 1 roubo de bola.

Anadolu Efes 2 – 0 Real Madrid

Os espanhóis sentiram problemas e naturalmente perderam estes dois primeiros jogos. Pablo Laso apostou em Tristan Vukčević, um extremo-poste que foi assim a grande surpresa desta partida, pois ele nunca tinha sido titular na Euroleague pela equipa de Madrid. Alberto Abalde foi quem assumiu o lugar de Gabriel Deck, mais um talento do basquetebol europeu que se mudou para a NBA.

Como eu disse, os espanhóis começaram melhor, mas foram acumulando erros que permitiram aos turcos empatar e passar para a frente. O tiro exterior foi sendo o ponto forte do Real Madrid, mas o Efes foi-se superiorizando ao longo da partida com os acertos defensivos, o maior acerto no ataque e acabaram mesmo por vencer, uma vitória de 90-63. Muitas perdas de bola, muitos erros e defensivamente uma equipa mais perdida foram estes os pontos que fizeram a diferença para que os Turcos vencessem este primeiro duelo.

No segundo jogo, a equipa de Istambul voltou a vencer para a EuroLeague e desta vez de forma ainda mais tranquila por 91-68. Foi o jogo com menos qualidade destes playoffs, longe do primeiro e dos outros, um Real Madrid que voltou a entrar bem e foi o segundo quarto e os erros que os Madrilenos foram acumulando que fizeram toda a diferença, foi aí que os Turcos “fugiram” no marcador e conseguiram a vantagem deste segundo duelo. Jogo pouco inspirado dos blancos, a juntar aos erros na defesa a derrota nesta segunda batalha acabou por ser natural. Vasilije Micić foi a maior figura, merece todo o destaque, mais um grande jogo, neste segundo duelo liderou os turcos com 23 pontos neste encontro da EuroLeague.

O MVP ATÉ AQUI

O MVP destas duas jornadas dos Playoffs da Euroleague foi sem dúvida Kevin Pangos, o jogador que esteve bem nos dois jogos, que se destacou em duelos muito intensos e que marcou 19 e 23 pontos nas duas partidas.

Uma estreia a mostrar os grandes duelos que estamos a ter na Euroleague, melhor maneira de começar aqui no Fair Play com o melhor basquetebol europeu. Espero que tenham gostado deste texto e que não deixem de acompanhar estes duelos intensos e de excelente basquetebol.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter