O onze de melhores jogadores contratados no Verão de 2018 (Portugal)

Francisco IsaacSetembro 2, 201810min0

O onze de melhores jogadores contratados no Verão de 2018 (Portugal)

Francisco IsaacSetembro 2, 201810min0
De Vlachodimos a Edinho, este é o onze de melhores jogadores contratados neste período de transferências! Qual foi para ti a melhor? E a mais inesperada?

O período de transferências fechou e os clubes portugueses agora vão ter de aguentar até Janeiro para dar uns apertos ao plantel. Porém, a larga maioria dos emblemas nacionais conseguiram operar boas transferências e reforçar os seus elencos em condições. Entre as 330 chegadas oficiais, montámos o nosso melhor onze que tem a ver com a qualidade técnica, o encaixe económico dispensado nas aquisições e o valor individual de cada atleta.

GR – ODYSSEAS VLACHODIMOS (SL BENFICA)

Uma (boa) larga maioria dos adeptos do Sport Lisboa e Benfica gritavam por um guarda-redes novo para esta época, depois da insegurança demonstrada por Bruno Varela, do fracasso juvenil de Svilar e do retirar de Júlio César ainda com a época a decorrer.

A direcção vermelha-e-branca acedeu ao pedido e fez chegar um guardião algo “desconhecido” para os adeptos portugueses, mas de créditos firmados na Grécia: Odysseas Vlachodimos.

Com um nome parcialmente heróico, Vlachodimos chegou à Luz sob um nevoeiro de dúvidas mas que rapidamente se desfizeram, muito pela boa pré-época realizada e de um início de temporada de qualidade (jogos com o Fenerbahçe e PAOK foram exemplo disso mesmo), revelando-se como o nº1 que os vice-campeões nacionais precisavam. Chegou por 2,5M€, um valor algo irrisório comparado com a qualidade que o grego de 25 anos tem.

DE – FÁBIO COENTRÃO (FC RIO AVE)

Reforço praticamente de última hora, Fábio Coentrão veio como jogador livre depois de ter rescindido com o Real Madrid.

Lateral-esquerdo versátil, rápido na reposição de bola e possuidor de uma técnica bem desenvolvida, para além de ter uma raça endiabrada o internacional português vem para ser uma contratação de luxo da equipa de José Gomes. Jogou sempre como titular no Sporting CP na temporada passada, tem experiência de Liga dos Campeões e ainda é visto como um dos melhores na sua posição em Portugal.

É um reforço de qualidade que chega para dar outra dimensão ao futebol dos vilacondenses… um regresso a casa especial!

DD – SEBÁSTIAN CORCHIA (SL BENFICA)

O leitor pode pensar o porquê de incluirmos Corchia neste onze quando o lateral-direito chegou lesionado, um factor normalmente negativo e que até pode contribuir para o fracasso de um atleta a curto-prazo… mas o lateral internacional pela França vai demonstrar que merece toda a atenção nesta temporada.

Rápido no ataque à bola, tem um dom para atirar os extremos adversários para fora do campo, denotando uma classe especial e que vai encantar a falange encarnada, Corchia é sem dúvida um dos defesas a seguir em 2018/2019.

Infelizmente, não teve uma temporada boa no Sevilha em que alinhou apenas em 20 jogos e nem sempre como titular. Contudo, não há dúvida alguma da qualidade do francês e no recomeço do Campeonato em finais de Setembro já deverá ser lançado por Rui Vitória.

DC – PABLO SANTOS (SC BRAGA)

Abel Ferreira queria um novo “poste” no eixo-defensivo do SC Braga e recebeu-o com a contratação de Pablo Santos, ex-CS Marítimo, por 2/3M€. Central pejado de energia, especialista no jogo aéreo, criterioso na discussão com os avançados adversários e que ainda contribui no ataque, é assim o novo parceiro de Bruno Viana no centro da defesa dos bracarenses.

Estranhamente, Abel Ferreira já tinha um parelha defensiva de qualidade em que Raul Silva tirou altos dividendos na época transacta… todavia, o brasileiro também ex-CS Marítimo não esteve tão bem na pré-época e Pablo Santos agarrou a oportunidade para se afirmar no eixo-defensivo da formação bracarense.

É daqueles centrais que vai ter sucesso na Liga NOS e a época na Madeira demonstrou toda a qualidade num dos melhores centrais dos campeonatos nacionais portugueses.

DC – FÁBIO CARDOSO (CS SANTA CLARA)

Entrada em grande para Fábio Cardoso no Campeonato português, com dois golos em três jogos, fruto da sua qualidade dentro da área e na condução de bola, para além de ter um poder de explosão bastante bem trabalhado. Formado nas escolas do SL Benfica, o central esteve um ano na Escócia ao serviço do Rangers e regressa à Primeira Liga de novo, depois de ter alinhado pelo Vitória FC e Paços de Ferreira.

É ágil na saída com bola, não arrisca desnecessariamente a posse de bola, intervém bem na luta pelos “ares”, identifica-se bem no comando da defesa e tem uma noção dotada de como operar junto de avançados mais móveis.

Foi um reforço que chegou a zeros ao Santa Clara e que vem para fazer um par interessante com o veterano Accioly. Contratação de ponta que já começou a decidir tanto na baliza contrária com golos como cortes salvadores na sua.

MDC – NUNO COELHO (BELENENSES SAD)

O Belenenses SAD (não confundir com o CF “Os Belenenses” em virtude do processo litigioso entre SAD e clube do Restelo) procurou neste Mercado de Verão adicionar alguma experiência ao seu jovem elenco e encontrou esse elemento em Nuno Coelho.

O trinco que também pode actuar como médio-centro ou defesa-central, chegou a custo-zero depois de várias épocas de serviço ao FC Arouca e volta a marcar presença na primeira liga.

Aos 30 anos é um dos trincos de melhor capacidade de recuperação e adaptação ao jogo, bom gestor das dinâmicas da equipa, sempre vocacionado a relançar o jogo em profundidade. É o típico de jogador que Silas aprecia e entrou logo a titular no onze do técnico do Belenenses, não tendo falhado qualquer minuto nos quatros primeiros jogos da temporada. Um regresso à Liga NOS positivo e logo a custo-zero para os azuis do Jamor.

MC – ANDRÉ ANDRÉ (VITÓRIA SC)

Bom filho a casa retorna, e André André como bom “filho” do Vitória Sport Clube regressou ao clube depois de algumas épocas no FC Porto. Assinou até 2021 e veio por intermédio de uma troca com os campeões nacionais em título (o FC Porto adquiriu a totalidade do passe de Moussa Marega desta forma). Uma troca positiva para os lados de Guimarães, sem dúvida. André André chegou ao plantel vimaranense e em três jogos assumiu uma preponderância fundamental no meio-campo, agilizando processos e dinamizando as combinações entre-linhas de ataque.

Verdade que o início de época foi tudo menos “feliz” para Luís Castro, mas ao fim de três derrotas em jogos oficiais, o Vitória SC foi até ao Dragão ganhar por 3-2, com André André a assumir o papel de organizador e recuperador, para além da sua voz de comando ser fulcral para a contínua intensidade do meio-campo do Vitória.

Chega praticamente como jogador-livre e em quatro jogos já leva dois golos e uma assistência, para além da assertividade no passe, excelente reacção de movimentos e ocupação de espaços.

MOC – JOÃO NOVAIS (SC BRAGA)

O Fair Play já tinha feito menção à contratação de João Novais pelo SC Braga na nossa antevisão da Liga NOS, contudo não podíamos de voltar a deixar de referir esta excelente aquisição dos bracarenses.

João Novais foi um dos melhores jogadores do Rio Ave na temporada passada (o Sporting CP optou por Ruben Ribeiro o jogador mais “vistoso”, mas devia ter tido atenção ao potencial de Novais) assumindo-se como um genial condutor de jogo, um genial dinamizador no ataque e que leva aos defesas contrários à “loucura” com a dificuldade em controlá-lo.

Abel Ferreira viu no português de 24 anos uma forma de abrir o caminho para o último terço do território com mais facilidade, de dar outra eloquência às combinações junto da grande área e de um atleta mais versátil e que tem uma panóplia de detalhes e pormenores de outra dimensão… chega ao Braga e merece-o pela qualidade que transborda.

ED – NANI (SPORTING CP)

Exactamente como André André, Nani voltou a “casa” e desde que aterrou em Lisboa para voltar a jogar pelo seu Sporting CP tem sido fundamental na conquista de pontos. Golos, assistências, inteligência junto da linha com propensão para ganhar uma boa parte dos seus duelos individuais, conferindo outras qualidades ao lado direito ou esquerdo do ataque dos leões que Gelson Martins não conseguia dar.

Como uma boa parte dos atletas desta lista chegou sem qualquer valor de transacção, o que faz de Nani um excelente activo num elenco que até parecia muito tremido antes e durante a pré-temporada.

Nani foi dos principais elementos no derby com o SL Benfica, que vai muito para além do golo marcado a partir da grande penalidade… recuperou sempre bem a bola, originou vários lances de ataque perigoso para o Sporting e deu sempre a cara nos momentos mais difíceis.

Uma das contratações do ano da Liga NOS.

EE – AVTO (GD CHAVES)

Deslumbrou na Ledman LigaPro durante cinco anos ao serviço do Gil Vicente e Académico de Viseu e volta a ter a oportunidade de singrar ao mais alto nível em Portugal ao serviço do GD Chaves de Daniel Ramos. Um extremo-esquerdo georgiano com um potencial enorme, está a fazer assim o seu regresso a uma divisão que conheceu bem durante os seus primeiros anos em Portugal e tem tudo para conquistar os adeptos da Liga NOS.

É um daqueles jogadores raçudos que não desiste dos seus lances, mesmo que tenha perdido o controlo do esférico, castigando os laterais adversários com bons dribles, lançamentos em profundidade e entradas pela quina da área inesperadas.

Assume-se como um atleta fisicamente inteligente, fazendo bom uso do seu corpo para ganhar a frente, posicionando-se bastante bem na linha ou na ocupação de espaços no meio-campo. Mantenham a atenção em Avtandil Ebralidze durante esta época!

PL – EDINHO (CD FEIRENSE)

A maioria dos leitores vão-se manifestar ao dizer que “então onde está Ferreyra” e poderão ter razão nesse ponto, uma vez que o possante avançado argentino chegou como jogador livre ao SLBenfica e tem feito um bom trabalho dentro da área (poucos golos mas há-de demonstrar a sua qualidade na hora das decisões), contudo, era impossível não escolher Edinho, um veterano em Portugal que tem um faro de golo muito curioso.

Mudou-se de Setúbal para Santa Maria da Feira e o efeito Edinho fez-se logo sentir: 5 jogos e 4 golos. O melhor arranque de sempre do Feirense na sua História na primeira liga tem carimbo total de Edinho, que está muito perto de chegar à meia centena de golos na Liga NOS. Muito complicado no jogo aéreo, irritante na hora de tentar roubar-lhe a bola, genial na hora de finalizar, Edinho é aos 36 anos um dos avançados a ter cuidado na Liga NOS.

Pode não ser um goleador, mas não há dúvidas que quando é necessário decide os jogos mais importantes.

O Fair Play deixa ainda menção a 7 outros jogadores de forma muito curta para ter atenção com: Quentin Beunardeau (CD Aves), Éder Militão (FC Porto), Florent Hanin (Vitória SC), Danny (CS Marítimo), Bruno Lamas (CD Santa Clara), Davidson (Vitória SC) e Facundo Ferreyra (SL Benfica)


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter