Os estádios mais difíceis de vencer na Liga NOS

Rui MesquitaAgosto 2, 20187min0

Os estádios mais difíceis de vencer na Liga NOS

Rui MesquitaAgosto 2, 20187min0
Qual dos estádios portugueses é a maior fortaleza para a sua equipa? Qual o mais "fácil" de vencer? Uma análise aos estádios da Liga NOS!

A Liga NOS está recheada de estádios emblemáticos e com ambientes fantásticos. Muitos deles construídos para o Euro 2004, temos estádios modernos e com equipas de topo. Mas qual o mais difícil para as restantes equipas do campeonato? Tirando os 3 grandes, como fica o top 3? Destacar que nesta contagem contabilizamos equipas que não estiveram as 5 temporadas na Liga NOS. Equipas com apenas uma época de primeira liga foram tidas em conta (casos do União da Madeira, Portimonense, Olhanense, Desportivo das Aves e Penafiel). Para facilitar a consulta incluímos uma coluna com o número de jogos realizados em casa pela equipa em questão.

No topo, os melhores

A resposta curta a esta pergunta, como é de esperar, avizinha-se fácil. Estádio da Luz, Estádio de Alvalade e Estádio do Dragão. As fortalezas dos 3 grandes são as melhor protegidas da Liga portuguesa. Analisámos as últimas 5 épocas e as derrotas concedidas por todas as equipas em casa.

Estádio da Luz (Foto: Visão – Sapo)

Como demonstrado na tabela abaixo, Benfica e Sporting são os que menos derrotas concedem no seu reduto. 4,82% de derrotas em casa são o melhor resultado da Liga e pertence aos rivais de Lisboa. Logo de seguida aparece o Porto com 6,02% de derrotas. Em 5 anos os lisboetas perderam 4 jogos em casa e os dragões 5.

Tal como esperado, os 3 grandes têm os 3 estádios mais difíceis de ganha na Liga NOS. Praticamente empatados, os eternos favoritos à vitória final são também dominadores neste capítulo.

Esquecendo os grandes, quem reina?

Se o top 3 corresponde ao esperado, como será o resto da tabela? Supostamente para o leitor deveriam aparecer as equipas que lutaram (nos últimos 5 anos) pela Europa: Braga, Vitória SC, Marítimo, Rio Ave, etc. Mas corresponderá à verdade? (abaixo falaremos sempre sem contar os 3 “donos” da Liga)

O primeiro lugar é o esperado: Sporting Clube de Braga. Os minhotos têm tido épocas de enorme qualidade que fizeram da “Pedreira” uma fortaleza. Perderam 15 jogos nas últimas 5 épocas, traduzindo-se em 18,07% dos jogos feitos dentro de portas. O clube de Braga é, sem dúvida, o melhor deste pelotão e é com uma boa vantagem que vence esta “luta”. O Estádio Municipal de Braga é conhecido pela sua arquitetura arrojada e pela sua beleza, mas não só. É um dos estádios mais duros da Liga NOS e as estatísticas provam isso mesmo.

O segundo lugar é, talvez, o mais inesperado. Não pertence a nenhuma equipa mencionada acima. Com apenas 23,53% de jogos perdidos em casa: Grupo Desportivo de Chaves. Os flavienses fizeram (nestes últimos 5 anos) duas épocas na Liga NOS mas já são uma das equipas mas respeitadas em Portugal. Nestes 2 anos perderam apenas 8 jogos em 34 jogados no Estádio Municipal de Chaves, um registo impressionante para uma equipa recém-promovida. Fantástico registo na chegada à Liga NOS, mas conseguirão os flavienses manter o seu estádio tão protegido?

Estádio Municipal de Chaves (Foto: Jolec)

Os 4 lugares que se seguem são o espelho de um mito que é, como se vê, bem real. Jogar na Madeira é uma dor de cabeça para qualquer equipa. Do terceiro ao sexto classificado deste ranking aparecem 3 equipas madeirenses. Marítimo em terceiro (25,30%), Nacional em quinto (28,79%) e União da Madeira em sexto (29,41%).

Pelo meio dos insulares, outra equipa do Norte do país: Vitória SC. A equipa de Guimarães perdeu, nos últimos 5 anos, 23 jogos no Estádio D. Afonso Henriques (27,71%). A cidade berço é uma das mais temidas pelas equipas da Liga NOS pelo ambiente quente dos adeptos do Vitória.

Mas voltando às equipas madeirenses, que sempre tiveram fama de deterem fortalezas na ilha. Os grandes sempre mostraram dificuldades em jogar na Madeira (com foco para o FC Porto) e esta análise mostra isso mesmo. Apesar de ter apenas uma temporada na Primeira Liga, o União da Madeira teve um registo fantástico em casa, mesmo descendo de divisão (roubou pontos ao Sporting CP de Jorge Jesus, que poderiam ter sido valiosos na luta pelo 1º lugar).

O Marítimo tem feito épocas de excelência, com equipas competitivas e boas classificações. Por seu turno, o Nacional (ausente desta última edição da Liga NOS) teve épocas boas e menos boas, mas manteve sempre um registo impecável no seu reduto. Mesmo na temporada em que desce de divisão, o Nacional perdeu apenas 5 jogos no Estádio da Madeira.

Este registo mostra que, a presença insular é um pau de dois bicos. As equipas da Liga NOS têm muitas dificuldades em jogar na Madeira, mas o inverso é também verdade. O registo das equipas madeirenses fora é um calcanhar de Aquiles para o sucesso dos insulares.

O fundo da tabela

Os lanternas vermelhas destes estádios são: Estádio Municipal 25 de abril (Penafiel) e o Estádio do Clube Desportivo das Aves. Com 64,71% e 52,94% de derrotas, respetivamente, estas foram as piores equipas em casa nos últimos 5 anos. Apesar disso, tanto Penafiel como o Desportivo das Aves estiveram apenas uma das temporadas na Liga NOS, tornando a amostra insuficiente.

Com jogos suficientes seguem-se Tondela (50,98%) e Feirense (47,06%). As duas equipas mostraram dificuldades em amealhar pontos em casa, mesmo quando praticavam bom futebol. O facto de serem duas equipas sem uma história esmagadora na Liga NOS não impõe o “respeito” que outros estádios (mencionados acima) impõem.

Com percentagens de derrotas semelhantes às conseguidas fora de casa, estas equipas não têm nos seus estádios uma força. Ao contrário de equipas como Braga e Chaves, estes “lanternas vermelhas” não conseguiram, até agora, fazer do seu estádio um lugar pouco desejado para a concorrência na Liga NOS.

Estádio João Cardoso em Tondela (Foto: MYWAY)

Os únicos resistentes

Como dito no início deste artigo, foram tidas em conta equipas que não estiveram durante as 5 épocas na primeira Liga. Mas qual o ranking dos eternos resistentes? Abaixo está a classificação contando apenas as equipas que se mantiveram na Liga NOS nestas 5 épocas.

O top 4 mantém-se o mesmo mas na parte inferior da tabela surgem novos “lanternas vermelhas”. O Estoril Praia é o pior classificado seguido do Vitória de Setúbal. É curioso notar que todos estes estádios “resistentes” apresentam percentagens de derrotas inferior a 40%, ao contrário de 8 equipas que não cumpriram as 5 épocas. Isto mostra que a estabilidade na 1ª Liga exige tempo e um projeto bem estruturado.

Podemos, olhando para esta tabela, ver vários estádios emblemáticos do nosso país. Este estatuto existe pela presença assídua dos seus clubes no principal escalão. Com isto, também o estádio confere ao clube uma “proteção” pelo respeito que impõe em quem os visita.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter