Arquivo de Modalidades - Página 2 de 329 - Fair Play

325854439_561248519247647_48549418916627156_n.jpg?fit=1200%2C800&ssl=1
José AndradeJaneiro 30, 20238min0

O CN 2ª Divisão voltou a ter uma ronda de grandes jogos, mais um fim-de-semana onde conseguimos ser surpreendidos e contemplados com partidas de altíssimo nível que voltaram a deixaram bem visível a competitividade existente no nosso CN2, por isso venham connosco e fiquem a saber o que se passou em mais uma grande ronda de duelos.

Cantanhedense soma e segue enquanto Belenenses triunfa frente ao GDEMAM

Zona Norte – Séries vitoriosas sem terminar

A Norte o mote para esta ronda de jogos foi dado na sexta-feira com o Cantanhedense a receber e vencer o GD Gafanha por 77-53 num duelo da 14ª jornada do Grupo D. No dia seguinte um dia repleto de jogos num sábado que voltou a superar todas as expetativas. No inicio deste sábado, o CB Viana recebeu e venceu o Vitória SC por 65-63 num duelo marcado pelo equilíbrio e pela grande disputa que existiu entre os dois conjuntos num jogo da 12ª jornada do Grupo A, mudando para o Grupo C, mas continuando na mesma jornada, o Académico FC foi até ao terreno do GD Bolacesto vencer por 59-57 numa partida que teve de tudo e que foi disputada até ao último instante.

Continuando pelos duelos deste sábado, no Grupo B, onde ainda na 12ª jornada o Club5Basket recebeu e venceu o NCR Valongo por 72-31 e na mesma ronda, mas no Grupo C, o Vasco da Gama foi até ao Pavilhão Municipal professor António Costeira vencer o ENESSE por 101-27. O dia ia prosseguindo de forma grandiosa e ainda na jornada 12, o SC Maria Fonte foi até Vizela derrotar o FC Vizela por 60-56 em nova partida emocionante, com o conjunto visitante a entrar melhor conseguindo uma vantagem que segurou este triunfo, mesmo com uma fantástica segunda parte da turma de Patrícia Atilano que lutou e mostrou uma alma até ao último suspiro deste encontro do Grupo A.

Em Paços de Ferreira e já no domingo, o CLUB5Basket voltou a vencer desta vez na visita ao Juventude Pacense por 88-59 numa partida da 11ª jornada do Grupo B, seguindo-se o triunfo do UAA Aroso por 62-48 na deslocação ao terreno do GDB Leça numa partida da 12ª jornada do Grupo C que teve de tudo. Na mesma jornada, e no Grupo B, o AAUTAD foi até Lousada vencer o LAC por 67-57 em mais um duelo emocionante entre dois conjuntos que continuam a crescer nesta temporada.

O dia já ia longo, mas no Grupo A, o CD Póvoa recebeu e derrotou o BC Limiense por 67-63 num encontro entre equipas do topo da tabela que mostraram neste duelo a qualidade presente neste CN 2ª Divisão através de um jogo equilibrado e que teve direito até a prolongamento que aumentou a emoção vivida no Clube Desportivo da Póvoa. Mudando para a 9ª jornada do mesmo Grupo A, o FC Vizela venceu na receção ao CB Viana por 66-61, mais uma partida de enorme equilíbrio e que agarrou todos os adeptos aos lugares até ao último suspiro. No derradeiro jogo do dia a Norte, a Ovarense foi até Gaia derrotar o BC Gaia por 33-56 num duelo da 12ª jornada do Grupo C. As partidas seguintes na Zona Norte, foram já disputadas durante a semana com o Cantanhedense a ir até Pombal derrotar o NDAP por 69-36 num duelo da 12ª jornada do Grupo D e ainda o CPN sub22 que recebeu e venceu o Juventude Pacense por 79-40 num jogo ainda a contar para a 12ª jornada, mas do Grupo B e que serviu para dar continuidade à invencibilidade do conjunto de Ermesinde.

Zona Sul – Surpresas e regressos aos triunfos

No que ao Sul diz respeito, tivemos um menor número de jogos, mas emoção em dose elevada. Tudo arrancou no sábado com um duelo entre equipas do cima da tabela classificativa e com o Belenenses a receber e a vencer o GDEMAM por 53-48 num jogo fantástico no Pavilhão Acácio Rosa a contar para a 12ª jornada do Grupo B. Continuando no mesmo grupo e na mesma jornada, mas já no domingo, o CN Abrantes deu seguimento à melhor fase da temporada indo até Loures derrotar o PNB Loures por 61-75. Ainda no Grupo B, mas passando para segunda-feira, o Rio Maior Basket regressou às vitórias ao vencer o Alenquer BC por 66-58 num duelo da 12ª jornada. Para encerrar a semana a Sul, um duelo em atraso da 9ª jornada do Grupo A, onde o Algés recebeu e venceu o Odivelas Basket por 124-33 terminando da melhor maneira esta semana de grandes duelos no CN 2ª Divisão.

Destaques individuais desta ronda de duelos no CN 2ª Divisão:

– Isabel Cunha: Mostrar uma vez mais o seu muito valor

Começamos estes nossos destaques desta ronda do CN 2ª Divisão pelo FC Vizela que no triunfo frente ao CB Viana teve em Isabel Cunha uma das maiores protagonistas. Isabel Cunha rumou esta época à turma de Vizela para reencontrar Patrícia Atilano e já depois de algumas boas exibições, neste encontro mostrou a sua muita qualidade que lhe é reconhecida desde cedo, Isabel Cunha mostrou o porquê de ter sido aposta para a nova fase do projeto em Vizela, brilhando neste encontro com 19 pontos, 9 ressaltos, 1 assistência e 2 roubos de bola.

– Joana Lopes: Cada vez mais protagonista

Voltamos a falar de Joana Lopes, ela que já foi destaque em muitos duelos, mas que na partida em que o Club5Basket derrotou o NCR Valongo voltou a mostrar o porquê de ser uma das maiores protagonistas desta temporada. Já elogiámos a qualidade de Joana Lopes e o fato de ser um dos maiores talentos no CN 2ª Divisão e do nosso basquetebol, ela que neste jogo brilhou com 12 pontos, 10 ressaltos, 1 assistência e 3 roubos de bola, deixando uma vez mais à vista de todos a jogadora que é e o porquê de estar tantas vezes em destaque.

– Helena Costa: Destaque que já merecia mais atenção

Mudamos para Belém para falar de Helena Costa, se a equipa volta a estar em destaque, uma temporada mais a ser um dos melhores conjuntos do nosso basquetebol, Helena Costa que nesta época rumou às azuis, tem vindo a ser um dos grandes destaques no CN 2ª Divisão, ela que já é um valor reconhecido do nosso basquetebol. Depois de brilhar no CD Póvoa e no CD José Régio, Helena Costa rumou ao Belenenses e foi encaixe perfeito num conjunto já rotinado e que já possuía valores de enorme qualidade. Helena Costa foi protagonista na vitória do Belenenses frente ao GDEMAM com 8 pontos, 9 ressaltos, 2 assistências, 2 roubos de bola e 1 desarme de lançamento deixando novamente visível a todos a sua muita qualidade.

– Maria Fernandes: Brilho de Ponte de Lima em jogo memorável

No nosso quarto destaque vamos a um duelo emocionante e que marcou não só o fim-de-semana, como a época até agora no CN 2ª Divisão e onde Maria Fernandes foi a grande protagonista, falamos claro do encontro entre o CD Póvoa e o BC Limiense. Jogo fantástico com muitos destaques, mas com Maria Fernandes a ser a grande protagonista, a jogadora que está em afirmação no basquetebol nacional evidenciou o seu muito valor nesta partida entusiasmante com uma exibição que comprova a todos que é uma das jogadoras em destaque nesta temporada do conjunto de Ponte de Lima e uma das jogadoras em maior afirmação neste CN 2ª Divisão. Maria Fernandes brilhou com 23 pontos, 8 ressaltos, 2 assistências, 1 roubo de bola e 2 desarmes de lançamento.

– Bárbara Lopes: Não sabe jogar mal

Regressamos a Vizela para falar de Bárbara Lopes que é desta forma o nosso último destaque nestes duelos no CN 2ª Divisão. Bárbara Lopes é mais um nome que já foi falado aqui e não é por acaso, falamos de uma das grandes promessas do nosso basquetebol que neste triunfo do FC Vizela frente ao SC Maria Fonte voltou a mostrar isso mesmo com uma exibição de luxo que deixou ainda mais claro que é uma jogadora com um futuro enorme, já sendo uma das maiores figuras do CN 2ª Divisão. Muito futuro, mas já protagonista constante no presente. Bárbara Lopes brilhou com 24 pontos, 9 ressaltos e 1 roubo de bola.

https://www.facebook.com/photo/?fbid=560748242749875&set=pcb.560781696079863

Ficou aqui o resumo do que se passou no fim-de-semana no CN 2ª Divisão onde voltámos a ter emoção em doses gigantes e muitas jogadoras a brilhar que voltaram a comprovar o altíssimo nível nesta nossa competição.

Foto: Facebook MaryBasket

djoko-1.png?fit=569%2C326&ssl=1
André Dias PereiraJaneiro 30, 20233min0

Novak Djokovic está de volta ao topo do mundo. No regresso a Melbourne, após ter sido “cancelado” e deportado da Austrália, por não estar vacinado, o sérvio regressou agora em grande estilo. Nolan não apenas venceu o seu 10 título, reforçando a condição de maior campeão do torneio, como igualou Nadal com 22 Majors e regressou à liderança da hierarquia mundial.

Não por acaso, Djokovic considerou esta a sua vitória mais importante na Austrália. E não é para menos. O episódio da temporada passada acabou por condicionar toda a época. E se olharmos o 2022 de Nolan ela foi marcada por altos e baixos. É também por isso que era importante arrancar bem.

Este ano já sem Federer, o torneio australiano teve outra grande baixa. Carlos Alcaraz, número 1 mundial, não recuperou de uma lesão que vinha o ano passado e ficou também e fora. Quer isto dizer que para além da vitória no torneio, a liderança mundial deveria ter um novo dono.

E a verdade é que Djokovic mostrou desde cedo que queria muito ganhar. E quando assim é fica muito difícil para os outros. A final, aliás, acabou por ser muito mais tranquila do que o esperado. Djokovic precisou de pouco menos de 3 horas para levar de vencido Tsitsipas por 6-3, 7-6 e 7-6. Ainda não foi desta que o grego venceu um Major. Tsitsipas conta com 16 títulos na carreira, entre os quais o ATP Finals e dois Masters Monte Carlo, mas não consegue um Grand Slam. Esta foi a sua segunda derrota em finais, após Roland Garros em 2021.

Ao longo do torneio, Djokovic perdeu cedeu apenas um set. E isso diz bem da capacidade de Nolan, mesmo aos 35 anos. A pergunta que se repete é até quando o sérvio vai continuar a dominar.

Djokovic voltou para ficar

A resposta não é simples, porque depende de vários fatores. Entre os quais a própria motivação de Nolan. Com esta vitória, Djokovic igualou o número de Grand Slams de Nadal (22). Mas a verdade é que o espanhol parece cada vez mais reduzido fisicamente. E um bom exemplo foi a sua eliminação na segunda ronda perante o norte-americano Mackenzie MacDonald. O espanhol foi traído por mais uma lesão e parece cada vez mais distante de poder disputar muitos torneios ao ano. Ainda assim, é expectável que jogue Roland Garros e se apresente como o grande favorito.

E do mesmo jeito que Nadal perdeu parte de si e da sua motivação com a saída de cena de Federer, o mesmo pode acontecer com Djokovic quando o espanhol também se aposentar. Por enquanto, nada aponta para o abrandamento do sérvio, que por certo quererá sair do ténis como o maior campeão da história. Mas por enquanto volta a subir ao trono da hierarquia mundial para estender a sua dominância.

Nesta equação também é preciso considerar a ascensão de Carlos Alcaraz. Como o o espanhol vai consolidar a sua evolução é a grande pergunta. O herdeiro natural de Nadal, tem tudo para lhe seguir as pisadas. Um jogo extremamente físico, tendo também já demonstrado forte capacidade mental. Alcaraz deverá dominar a cena mundial nos próximos anos, mas Djokovic por certo terá capacidade e foco para continuar relevante e disputar títulos. Se Nadal ainda terá essa capacidade fora de Paris é a grande questão para o ano 2023.

Vera-Jardim-e1595271097386.png?fit=1100%2C792&ssl=1
José AndradeJaneiro 24, 20235min0

Regressamos com o nosso espaço onde vamos recordar a história do basquetebol feminino nacional indo desta vez para aquela que foi a primeira jogadora portuguesa a atuar no basquetebol universitário dos Estados Unidos da América, falamos claro de Vera Jardim e por isso venham e recordem connosco o percurso de uma das melhores de sempre.

Vera Jardim nasceu a 11 de junho de 1971, tornou-se numa das pioneiras do basquetebol feminino nacional e numa das melhores de sempre. Tudo começou no colégio Valsassina, foi aí que surgiu o primeiro contacto com a bola laranja, mas a verdade é que desde sempre mostrou apetência e gosto por desporto tendo sempre experimentado e praticado outras modalidades como o futsal ou voleibol. Porém, foi o basquetebol que mais a apaixonou, uma escolha e um amor que viria a ser para a vida toda e onde iria ter um peso grande na história da modalidade. Com o “bichinho” surgiu o próximo passo, que passou pela ida para o histórico CIF, clube mítico e que contava como algumas das maiores referências de sempre como o histórico e gigante Vítor Hugo. No CIF foi onde começou a criar o seu palmarés, através da conquista do titulo nacional de sub-19 e ainda de seniores.

O talento de Vera Jardim cedo deu nas vistas, logo nos primeiros anos já era apontada como uma das maiores promessas do nosso basquetebol, a juntar a isso a conquista de títulos onde Vera Jardim ia sempre sendo um dos maiores destaques, brilhando e mostrando que estávamos perante alguém que viria a ser um dos nomes mais reconhecidos e importantes no basquetebol nacional. Para além do talento, Vera Jardim era uma ótima aluna, por isso e somando o destaque nas duas áreas, a jovem procurou novos desafios tentando sempre conciliar estudos e o basquetebol, surgindo a hipótese de ir para os Estados Unidos da América, algo que se viria a concretizar. Dessa forma Vera Jardim esteve ao mais alto nível do outro lado do oceano atlântico durante 3 anos tornando-se assim a primeira jogadora portuguesa a atuar no basquetebol universitário dos Estados Unidos abrindo as portas para o que viria a ser um êxodo que hoje felizmente é cada vez maior para os grandes talentos nacionais.

Depois da aventura fora onde brilhou, Vera Jardim regressa a terras lusas para atuar ao mais alto nível até 2005-2006 no Quinta dos Lombos, passando dessa forma por clubes de topo como o União de Santarém, Clube Desportivo Nacional, Clube União Micaelense, Olivais FC, GDESSA e a Quinta da Lomba, trazendo dessa forma a sua experiência e aprendizagens nos anos em que esteve nos Estados Unidos da América para a nossa liga, influenciando ainda mais jogadoras, marcando gerações de atletas e de fãs além da conquista de títulos, algo que sempre marcou a carreira de Vera Jardim. Entre todos estes clubes, a atleta portuguesa conquistou diversos títulos como, tendo regressado em grande a Portugal ao conquistar Taça e Supertaça em Santarém. Falando do percurso pelas seleções nacionais, Vera Jardim passou por todas as seleções, desde as sub-16 até às seniores, num total de 114 internacionalizações por Portugal sendo desta forma uma das jogadoras que mais vezes representou Portugal com a camisola das Quinas.

Depois de uma carreira histórica como jogadora, a lenda nacional conta com um percurso no basquetebol feminino jovem como treinadora onde passou pelo Olivais FC ou GDESSA passando dessa forma os seus conhecimentos para figuras que hoje marcam o basquetebol nacional, influenciando assim ainda mais pessoas num percurso que contou com passagens por escalões como as sub14 e sub16.

Desde o primeiro treino no CIF até hoje, ficou um percurso histórico, uma carreira magnifica de uma das melhores de sempre. Vera Jardim não só marcou e influenciou muitos, como foi uma das grandes a praticar este nosso desporto, mas mais do que o grande talento, os títulos ou a influência que teve e tem em muitos, Vera Jardim marcou um capítulo novo no basquetebol nacional, ao inaugurar a ida de craques portuguesas para os Estados Unidos da América, algo que até então era apenas um sonho e que Vera Jardim ajudou a que se tornasse a realidade que hoje em dia é a normalidade. Em mais um capitulo do nosso “recordar a história do basquetebol feminino” falámos de Vera Jardim, um nome gigante que marcou uma geração, que ajudou a mudar a realidade do basquetebol feminino, além de uma enorme e talentosíssima jogadora, fica toda a história que ajudou a ser feita na bola laranja nacional, uma personalidade que ganhou o estatuto de uma das melhores de sempre por tudo o que nos proporcionou dentro de campo e por tudo o que fez fora de campo.

Vera Jardim é um dos maiores nomes de sempre do nosso basquetebol e foi sobre toda a sua carreira que hoje nos debruçámos, recordando uma vez mais uma das melhores de sempre do basquetebol nacional.

326726506_964056708336958_2464040752122939329_n.jpg?fit=1200%2C749&ssl=1
José AndradeJaneiro 24, 20238min0

O CN 1ª Divisão voltou a proporcionar um fim-de-semana de alto nível, mais uma ronda de grandes jogos com surpresas, muitas emoções e ainda com grandes destaques individuais! Por tudo isso acompanha-nos nesta viagem pelo que aconteceu no CN1.

As mais “valorizadas” desta ronda no CN 1ª Divisão

Começando esta nossa viagem da jornada passada, as atletas que mais se “valorizaram” foram várias e começamos por João da Madeira para falar de Hannah Armour jogadora que fez aqui o seu primeiro jogo nesta temporada pela AD Sanjoanense e que tal como na época passada veio com tudo e para ser uma das figuras no CN 1ª Divisão ao brilhar frente ao CLIP com 32 pontos, 10 ressaltos, 5 assistências, 2 roubos de bola e 1 desarme de lançamento.

Depois em Barcelos, temos Rebecca Taylor, destaque habitual em cada ronda e que esteve em evidência com 23 pontos, 12 ressaltos, 4 assistências, 3 roubos de bola e 1 desarme de lançamento no triunfo do Basquete de Barcelos frente ao Boa Viagem. Do triunfo do GDRAR frente ao CS Marítimo saiu Lanay Rodney que se colocou como uma das figuras desta ronda com 24 pontos, 13 ressaltos, 4 assistências e 1 roubo de bola.

De Carnide surge, Katie Villarini mais uma jogadora que se tem notabilizado a cada jornada e desta vez foi destaque pelo que apresentou no triunfo da sua equipa frente ao Fayal SC onde obteve 23 pontos, 9 ressaltos, 4 assistências e 1 roubo de bola.

Por fim, voltando até São João da Madeira, falar da enorme exibição de Kyaja Williams que uma vez mais foi uma das protagonistas da ronda no CN 1ª Divisão, desta vez pelo que fez no triunfo frente ao Guifões SC onde conseguiu 23 pontos, 14 ressaltos, 3 assistências, 4 roubos de bola e 1 desarme de lançamento.

Juvemaia surpreende CLIP e Maia Basket triunfa em Braga

O fim-de-semana de grandes jogos no CN 1ª Divisão teve inicio no sábado em Évora com o GDRAR a vencer o CS Marítimo por 54-91 numa partida em atraso da 7ª jornada da Zona Sul. A Norte o SC Coimbrões foi até Guifões vencer por 65-44 numa partida da 14ª jornada, somando assim o seu 9º triunfo consecutivo num duelo muito intenso que começou muito equilibrado, mas através de uma segunda parte mais favorável ao Coimbrões a turma visitante conseguiu dessa forma vencer. Nota para o Basquete de Barcelos que deu seguimento à sua série de vitórias ao ir triunfar no terreno do Juvemaia por 70-56 num duelo para a 14ª jornada onde o conjunto de Barcelos entrou com tudo “cavando” uma diferença que nem um grande jogo do Juvemaia conseguiu dar a volta.

Do jogo muito intenso e de onde ficou a evolução do Juvemaia, passamos para o Pavilhão Municipal Paulo Pinto onde a AD Sanjoanense recebeu e venceu o CLIP por 91-53 num encontro emotivo a contar para a 14ª jornada, em que a turma de São João da Madeira foi superior. Mudando para Sul, o CBQ recebeu e venceu o Fayal SC por 60-37 numa partida que contou para a 11ª jornada e que marcou a estreia de Ana Rita Antunes no conjunto de Queluz. Ainda a Sul e para a mesma jornada, o Carnide recebeu e não conseguiu vencer o Quinta dos Lombos sub-22, com a turma de Carcavelos a conseguir triunfar por 53-34 numa partida onde as defesas foram o maior destaque.

Mudando de dia, no domingo tudo foi iniciado em Barcelos num jogo espetacular entre o Basquete de Barcelos e o Boa Viagem com a equipa da casa a vencer por 92-80 num encontro a contar para a 15ª jornada da Zona Norte que foi impróprio para cardíacos e onde o conjunto dos Açores vendeu cara a derrota, mas onde os duelos nas tabelas voltaram a fazer diferença para mais um triunfo da equipa de Ricardo Lajas.

A AD Sanjoanense foi até Guifões triunfar por 88-63 num duelo onde a equipa da casa voltou a lutar muito, terminando até por cima na parte final, mas mais uma vez sem conseguir somar a tão desejada vitória. Já o Juvemaia foi até ao Colégio Luso Internacional do Porto surpreender o CLIP ao vencer por 63-58 deixando ainda mais claro a evolução que esta equipa tem tido durante esta temporada com um triunfo frente a uma das melhores equipas deste campeonato.

O dia ainda nos ia proporcionar mais alguns choques espetaculares, desta vez na Zona Sul. Num encontro da 11ª jornada, o Ferragudo foi até ao Pavilhão do CAB vencer por 79-55 o CS Marítimo, regressando assim aos bons resultados depois do desaire na ronda anterior com o GDRAR. Falando das alentejanas, o conjunto de Luís Francisco somou mais um triunfo dando continuidade ao ótimo momento ao derrotar a SIMECQ em casa por 72-58 numa partida da 11ª jornada. Para encerrar o fim-de-semana, o Carnide a recebeu e venceu o Fayal SC por 90-59 num encontro onde a turma lisboeta entrou de uma forma avassaladora conseguindo ir para o intervalo a vencer por 54-26, no segundo tempo tudo equilibrou, mas a equipa da casa realizou mais uma excelente exibição com uma das melhores primeira partes desta temporada. Finalmente, o Maia Basket foi até Braga derrotar por 68-65 o SC Braga numa partida da 14ª jornada, regressando assim os triunfos três jogos depois.

Os destaques individuais desta ronda no CN 1ª Divisão:

– Mafalda Botelho: Afirmação em época de destaque

Começamos os destaques desta ronda do CN 1ª Divisão pelo Quinta dos Lombos sub22 que teve em Mafalda Botelho uma das maiores protagonistas deste fim-de-semana. A jogadora que chegou na temporada passada a Carcavelos, está em época de afirmação ao ser um dos pilares deste conjunto no CN 1ª Divisão, uma das jogadoras mais regulares evidenciando a sua muita qualidade que lhe é reconhecida desde cedo e brilhando como se viu neste encontro. Mafalda Botelho conseguiu 11 pontos, 7 ressaltos, 1 assistência, 1 roubo de bola e 2 desarmes de lançamento.

– Madalena Rodrigues: Não consegue parar de jogar bem

Mudamos para o Faial de onde chega Madalena Rodrigues, jogadora que é um dos destaques habituais deste CN 1ª Divisão a cada ronda, tem sido uma das melhores atletas nacionais e mais do que isso uma das grandes protagonistas desta competição. Neste encontro, o Fayal SC não conseguiu vencer o CBQ, mas Madalena Rodrigues mostrou o porquê de tantos elogios e mais do que isso o porquê de estar a mostrar que é jogadora para voos ainda mais altos. Madalena Rodrigues conseguiu 14 pontos, 4 ressaltos, 1 assistência e 5 roubos de bola.

– Catarina Rolo: Época de luxo e de apenas grandes exibições

Continuamos em mais uma das atletas em maior evidência no CN 1ª Divisão, Catarina Rolo que mais uma vez voltou a ser uma das jogadoras a brilhar mais nesta ronda. O Maia Basket conseguiu vencer o SC Braga e muito pelo que fez Catarina Rolo, que é muito boa jogadora, já um nome enorme do nosso basquetebol e que voltou a colecionar uma exibição individual de altíssimo nível que a volta a colocar como uma das estrelas em mais uma ronda deste nosso CN1. Catarina Rolo obteve 23 pontos, 3 ressaltos, 1 assistência e 3 roubos de bola.

https://www.facebook.com/photo/?fbid=187767650512682&set=pcb.187768583845922

– Renata Ribeiro: Nível muito elevado e só grandes jogos

No nosso quarto destaque desta ronda no CN 1ª Divisão, paramos na SIMECQ que não conseguiu vencer o GDRAR, mas que voltou a ter em Renata Ribeiro uma das maiores protagonistas do fim-de-semana. Renata Ribeiro é mais um dos nomes que tem estado sempre em evidência, também ela tem sido um dos grandes destaques da competição, algo que já não é de agora, mas que nesta temporada tomou uma proporção ainda maior, sendo não só a grande figura da SIMECQ e uma das maiores protagonistas do CN1. Renata Ribeiro conseguiu 23 pontos, 3 ressaltos e 3 roubos de bola.

– Catarina Freitas: Sempre em destaque

Para terminar, voltamos às ilhas desta vez para falar de uma jogadora do CS Marítimo, Catarina Freitas que uma vez mais e como tantas vez nos habitou, voltou a ser uma das protagonistas da ronda no CN 1ª Divisão. Jogadora que continua a mostrar todo o seu valor pelos nossos campos e que neste duelo deixou bem à vista de todos a muita qualidade que tem em mais uma exibição ao seu nível. Catarina Freitas brilhou com 19 pontos, 5 ressaltos e 3 assistências sendo assim e como tantas vezes ao longo da sua carreira uma das maiores protagonistas deste fim-de-semana.

Ficaram aqui os maiores destaques individuais desta ronda no CN 1ª Divisão, em mais um fim-de-semana marcado pelos grandes jogos com mais surpresas e ainda mais emoção, numa competição que segue a cativar todos pelo seu nível muito alto.

Foto: AD Sanjoanense basquetebol


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS