Sub-20 Portugal: os escolhidos para lutar pela revalidação europeia

Francisco IsaacAbril 5, 20188min0

Sub-20 Portugal: os escolhidos para lutar pela revalidação europeia

Francisco IsaacAbril 5, 20188min0
Portugal entra em campo no dia 8 de Abril para tentar a revalidação europeia de 2017 em 2018! Os escolhidos de Luís Pissarra para o assalto ao Europeu de sub-20

O dia 31 de Março marcou o fim da participação dos sub-18 de Portugal no Europeu da especialidade, no qual a Geórgia (de forma surpreendente mas merecida) levantou o ceptro de Campeão da Europa.

Findada uma competição começa agora outra, dedicada aos sub-20 o escalão máximo antes de atingirmos os seniores, sendo um passo fundamental para a afirmação de atletas no contexto nacional e internacional.

Nos últimos três anos vários foram os nomes de atletas que singraram nos sub-20 e começaram a dar cartas na selecção principal de Portugal, caso de Vasco Ribeiro, Jorge Abecassis, Manuel Picão, Manuel Cardoso Pinto, Nuno Mascarenhas, Duarte Diniz, António Cortes Monteiro, isto só para nomear alguns dos que andaram por lá entre 2016 e 2017.

Agora em 2018 voltamos a ter um grupo forte, consistente e que acima de tudo é objectivo e dedicado em relação ao que querem e vão fazer. No podcast gravado com os capitães da selecção Nacional ficámos a perceber o nível de paixão e ambição deste cruzamento geracional. Podem ouvir neste link: Rugby Lab – sub20

Nomes como João Fezas Vital (asa do GD Direito, tem feito uma progressão formidável), José Sarmento, Nuno Mascarenhas (o talonador está no seu 2º ano de sub-20, sendo que no primeiro foi titular assumido, importante na conquista do Europeu em 2017), Manuel Cardoso Pinto, Manuel Dias, Simão Van Zeller (uma das grandes surpresas na convocatória, foi para Inglaterra ganhar estofo e conseguiu-o), Duarte Costa Campos (será um excelente rival para Vasco F. Mendes e João Lino pela camisola 8 na selecção principal), são só alguns dos destaques destes sub20.

O Fair Play apresenta aqui quem são os representantes de Portugal, os objectivos, os adversários, o calendário e alguns destaques a reter!

QUEM SÃO OS QUE VÃO LUTAR PELA REVALIDAÇÃO?

A lista final lançada por Luís Pissarra (seleccionador Nacional de sub-20) e António Aguilar (treinador dos sub-20) tem um misto de novos internacionais sub-20 e os campeões de 2017, dando uma combinação de nova energia com experiência internacional que pode ser importante na luta pelo título europeu.

Dos campeões de 2017 (vitória na final contra a Espanha nos últimos minutos do jogo) continuam: Duarte Azevedo (formação do CF “Os Belenenses”), Duarte Costa Campos (nº8 do GDS Cascais), Manuel C. Pinto (defesa de AEIS Agronomia), Martim Cardoso (nº9 da AEIS Agronomia), João Fezas Vital (asa do GD Direito), José Sarmento (pilar/talonador do CDUP), Manuel Peleteiro (2ª linha do GD Direito), Nuno Mascarenhas (talonador do GDS Cascais), Ruben Pimentel (o pilar joga em França no CA Périgeux) e Gonçalo Santos (ponta/defesa do CF “Os Belenenses”).

As saídas mais notáveis (devido a terem excedido o limite de idade para jogar neste escalão) são: Vasco Ribeiro, Manuel Picão, João Bernardo Melo (co-capitão em 2017), António Vidinha (capitão, um jogador multi-facetado que até já deu o salto para os Lobos), José Luis Cabral, José Andrade, Jorge Abecassis e David Wallis.

Perante as saídas forçadas, a equipa técnica nacional teve de procurar novaspersonagens” para o elenco na esperança de dar a mesma consistência e qualidade de 2017 agora em 2018.

Quem foram os novos escolhidos? Tomás Lamboglia (o abertura do Caldas RC foi uma das grandes surpresas, apresentando os argumentos necessários para ser o 10 de Portugal durante todo o Europeu), Manuel Dias, João Maria Lima (o centro/abertura da AEIS Agronomia pode ser o novo camisola 12 destes sub-20), António Puerta, David Costa, Diogo Cardoso, Duarte Gonçalves, Frederico Simões, Filipe Granja, João Francisco Lima, José Roque (asa “agressivo” e placador do RC Montemor), Manuel Barros, Manuel Pinto, Rodrigo Marta (um dos pontas mais vibrantes deste grupo formado no CF “Os Belenenses), Sebastião Silva e Simão Van Zeller.

Estes são os 26 nomes que vão representar Portugal durante o Europeu que começa já no próximo Domingo, 8 de Abril. O Fair Play destaca três nomes a ter em conta, uns que conhecem já de 2017 e outros que vão surpreender na sua estreia em torneios oficiais da World Rugby.

MANUEL CARDOSO PINTO (AEIS AGRONOMIA)

Quem se esquece daquele ensaio de praça-a-praça do defesa em 2017? Desde lá para cá, Manuel Cardoso Pinto conseguiu subir aos Lobos, agarrar o lugar de defesa (apareceu à ponta por um jogo), estreou-se a marcar nesse patamar e tem sido uma das “caras” da Agronomia nesta temporada.

Veloz, altamente eléctrico e sempre com o olho aberto para apostar numa arrancada, o defesa sabe fazer uso do seu jogo ao pé para ganhar metros e território. É um perigo com a oval nas mãos, resiliente no ataque e confiante na defesa, sendo um dos jogadores a ter em atenção no Europeu.

JOSÉ ROQUE (RC MONTEMOR)

Aquele típico asa que apaixona qualquer adepto da oval, já que mistura uma excelente e dura placagem com uma vontade de receber a bola e sair a correr, numa busca incessante por metros. Formado inicialmente no CR Évora, o actual 6 do RC Montemor é um poço de energia que vai fazer a diferença durante o jogo.

A nível de conhecimento de jogo, José Roque tem as qualidades necessárias para fazer “esquecer” David Wallis ou João Granate, ocupando bem o espaço, atacando bem a linha de ataque adversária, impondo o tal poder físico que faz a diferença.

JOÃO FEZAS VITAL (GD DIREITO)

O asa do Grupo Desportivo do Direito foi dos atletas que mais cresceu nos últimos 4 anos, mantendo a mesma raça, crença, dedicação e vontade de aprender. João Fezas Vital volta a assumir a capitania de uma selecção Nacional (nos sub-18 já tinha recebido essa honra) e é o jogador certo para confiar neste cargo.

Uma voz de comando total, um asa que não só gosta de placar (sempre com grande excelência, apostando numa placagem inteligente que tenta ir logo à oval) mas também de aparecer entre as linhas atrasadas, Vital vai fazer um dos melhores trios dos últimos anos na 3ª linha com Roque e Duarte Costa Campos.

Como dissemos a competição começa a 8 de Abril às 18h00 no Estádio Sérgio Conceição em Taveiro. E quem é o primeiro adversário?

José Roque (Foto: Luís Cabelo Fotografia)

QUANDO JOGAMOS E CONTRA QUEM

Bem, não é fácil explicar o primeiro adversário de Portugal, nada mesmo, uma vez que é daqueles detalhes que podem se tornar um parágrafo inteiro sobre esta competição europeia. Portugal terá como primeiro adversário uma selecção Regional do Centro-Norte de Portugal, com atletas que não foram convocados ou até que nunca sequer chegaram a ser chamados aos treinos da selecção Nacional.

Por mais estranho que pareça, Portugal vai ter que gladiar-se contra si mesmo, colocando os jogadores portugueses frente-a-frente com outros jogadores portugueses, abrindo aqui uma situação que a Rugby Europe devia ter solucionado muito antes do início da competição.

O mais lógico seria Portugal jogar com a selecção oficial mais baixa do ranking oficial das participantes, que neste caso seria Holanda. Porém, sem que fosse explicado oficialmente, a selecção Nacional de sub-20 acaba por ser forçada a jogar contra atletas do próprio país que até podiam ser chamados em caso de lesão de algum dos 26.

Por outro lado, uma vitória por números “gordos” por parte de Portugal podem lançar as sementes da discórdia, com a possibilidade dos outros adversários acusarem Portugal de se auto-favorecer e de manipular o jogo. No ambiente que actualmente se vive no rugby europeu, esta “ideia” por parte da Rugby Europe é no mínimo criticável.

Em caso de passagem da Selecção Nacional de sub-20 jogará frente à Roménia ou Holanda na meia-final, encontro agendado para 18h00 de quarta-feira dia 11 de Abril em Taveiro. Do outro lado da competição está Espanha-Ucrânia e Rússia-Polónia, com os espanhóis a serem os claros candidatos à final.

A final da competição está agendada para dia 14 de Abril às 18h00 em Taveiro.

A grelha de jogos (Foto: FPR)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter