Rugby Português “lá fora”: Stade Montois em 1º com mão de Simão Bento

Francisco IsaacSetembro 20, 20219min0

Rugby Português “lá fora”: Stade Montois em 1º com mão de Simão Bento

Francisco IsaacSetembro 20, 20219min0
O emblem de Mont-de-Marsan assume a liderança da ProD2 naquela que foi a estreia a titular de Simão Bento, analisada neste artigo

O Stade Montois está no topo da ProD2 com ajuda directa de Simão Bento, naquela que foi uma tarde perfeita para o jovem internacional português na sua primeira chamada ao XV inicial do emblema francês. O destaque principal desta semana, entre outros neste artigo de acompanhamento.

O DESTAQUE DA SEMANA: SIMÃO BENTO A VELOCIDADE MÁXIMA

Estreia a titular de Simão Bento e nada melhor que uma vitória esmagadora na recepção ao RC Vannes, com o jogador formado nas escolas do Técnico Rugby a ser coroado o “Mountois du match”, ou seja, o melhor jogador em campo, votação levada a cabo pelos adeptos do Stade Montois. O clube de Mont-de-Marsan não deu qualquer hipótese a um dos semifinalistas da ProD2 da temporada passada, derrotando-os por uns extraordinários 46-05, que significou a obtenção dos 5 pontos, o 1º lugar da tabela e a 4ª vitória consecutiva nesta época, algo importante para este emblema do sul de França (orçamento nos 14M€).

E em relação à prestação do defesa português, o que há para dizer? 70 metros conquistados, esteve envolvido directamente no primeiro ensaio da sua equipa, ao conseguir ultrapassar uma das últimas linhas-de-vantagem, antes de se seguir um crosskick para o ensaio de Alexandre de Nardi, sendo que no 2º é mesmo Simão Bento a assistir Willie du Plessis com um passe bem medido, prendendo bem dois defesas. Segurança absoluta “lá atrás” a comandar a linha, sem qualquer receio em fazer-se ouvir, numa clara demonstração da sua intensidade enquanto pensador de jogo, para além de conseguir fazer a diferença no jogo ao largo quando a bola surgia no seu caminho, calibrando bem as movimentações do Stade Montois.

Para quem chegou agora ao rugby francês e a uma das duas divisões profissionais, Simão Bento já deu provas da sua qualidade, ficando agora a pairar no ar se vai manter a titularidade no jogo da próxima semana (tanto no Top14 ou ProD2 é natural se assistir a uma rodagem de uma boa parte dos membros do plantel). Como na semana passada, entrevistámos o destaque desta semana para o Fair Play com três perguntas,

Estreia em grande com uma vitória incontestável frente ao Vannes. Como te sentiste na tua estreia a titular?

Senti-me mesmo muito feliz e confesso que não estava nada à espera. Os treinadores quiseram dar me a oportunidade de jogar, pela primeira vez, na minha posição de raiz (15) e, para tal, proporcionaram-me as melhores condições. Um jogo importante, em casa, com os nossos adeptos, para que estivesse confortável, e assim foi. Entrei em campo completamente descontraído e acho que isso ajudou muito.  

O que destacavas deste teu segundo pelo Stade Montois?

O momento que mais me marcou no dia foi aos 70 e tal minutos, quando fui substituído. Isto porque senti imenso apoio por parte de todo o staff e dos adeptos. Já me tinham dito que este era um clube familiar e ali pude comprova-lo. Apesar de ser um jogador novo e de me estar na minha estreia senti-me mesmo bem acolhido e em casa.  

Nestas semanas desde que chegaste a França, sentes que já cresceste em algum aspecto ou área do jogo? Qual tem sido o feedback?

Sim! Não é fácil de dizer o quê, mas sinto que como tenho maior carga de treinos me pude tornar bastante mais consistente no que faço. Apesar de ainda não falar muito bem francês e de isso levar a que não consiga ter uma relação tão próxima com o staff, o feedback tem sido positivo. Pelo que me têm dito estão felizes comigo e esperam que continue a trabalhar para evoluir.

Anthony Alves também participou na vitória do emblema de Mont-de-Marsan, tendo começado de início e resistido dentro de campo até aos 58 minutos. O primeira-linha português dominou na formação-ordenada, foi um dos membros mais activos nas acções de pick&go e mostrou uma excelente intensidade durante os 58 minutos que participou neste encontro.

NOTÍCIAS DE OUTROS JOGADORES

Duelo português no Oyonnax e Carcassone, com Pedro Bettencourt e José Lima a iniciarem como titulares, tendo a vitória sorrido ao primeiro. Ambos participaram activamente neste jogo, mas foi Pedro Bettencourt a imperar no fim dos 80 minutos (o Oyonnax ganhou por 23-06), voltando a ser um dos principais destaques dos noir et rouge, muito pela exibição defensiva que postulou, com 12 placagens, 1 turnover e uma série de decisões na defesa que acabaram por beneficiar o seu colectivo na direcção à vitória, isto sem falar de como acompanhou bem o ataque em algumas situações, apesar do Carcassone ter fechado bem no par de centros. Para José Lima, a exibição foi boa, sem ter tido espaço para deslumbrar muito por via de um jogo mais cinzento colectivo, com problemas no pack de avançados a complicar o encontro para os jaunards – Samuel Marques não actuou em virtude de estar ainda lesionado.

Mike Tadjer não teve uma tarde fácil ao serviço do seu USA Perpignan, já que a equipa proveniente do sopé dos Pirineus, sofreu uma pesada derrota por 03-47 na visita ao campo do Lyon. Em termos da exibição individual do talonador português, terminou com 100% de eficácia na introdução da oval no alinhamento, completou 6 placagens (1 tentativa falhada) e ainda conseguiu cavar 10 metros de conquista, batendo um potencial placador pelo caminho, o que espelha uma prestação de qualidade neste desaire.

Rui M. Freitas foi titular pelo Eemland como abertura (uma posição pouco habitual) e realizou nova boa exibição na vitória do Eemland por 51-20 frente aos Oisterwijk Oysters para a 1ª divisão holandesa. O polivalente 3/4’s, que acabou o encontro na posição de defesa, realizou uma mão-cheia de quebras-de-linha, 8 defesas batidos e esteve em três ensaios da sua equipa, apresentando-se em grande forma neste 2º encontro oficial.

Geoffrey Moise jogou cerca de 46 minutos na vitória do Narbonne (garantida através de um drop já aos 79 minutos de jogo), naquele que foi o seu primeiro jogo nesta temporada na ProD2. O pilar esteve bem nas fases-estáticas, tendo sentido algumas dificuldades no jogo aberto, algo perceptível devido ainda não estar no topo de forma que ostentou durante a temporada transacta.

Francisco Fernandes entrou aos 50 minutos da derrota do Béziers na visita ao campo do Montauban (Jean de Sousa não foi convocado), num encontro que terminou em derrota para o experiente pilar português. No momento em que foi chamado a jogo, o resultado já se apresentava num difícil 20-06, tendo até oferecido boa réplica no contra-maul e defesa curta, apesar de ter sido notado maior domínio pela avançada contrária na formação-ordenada, factor que acabou por ditar alguns momentos do jogo.

Tarde de emoções muito fortes para o Dax Rugby de Diogo Hasse Ferreira, já que com um banco mais curto (levaram 21 jogadores quando podiam ter os habituais 23) garantiu uma boa vitória por 13-06 já perto do fim do encontro, motivando festejos após o apito final. O pilar luso alinhou os 80 minutos, tendo sido um dos destaques dos culs rouges, com várias acções defensivas de nível, boa estrutura e postura na formação-ordenada e uma durabilidade física reconhecida.

Éric dos Santos começou no banco de suplentes, na derrota do Anglet por 17-23 na visita ao campo do SAM Mauleon, entrando para 2ª linha. Não foi uma tarde fácil para o avançado português, que mesmo assim lutaram até ao fim pela vitória, que acabou por “morrer” graças a uma boa defesa final do Mauleon.

Luigi Dias foi convocado para o banco de suplentes do Marmande, e acabou por entrar mesmo aos 25 minutos de jogo em virtude de lesão do seu colega de equipa, Hendri Storm. Num encontro muito disputado, o português foi responsável por alguns bons momentos no ataque deste clube que milita na Fédérale 1, com uma quebra-de-linha e alguns offloads de qualidade, voltando a marcar pontos na luta pela titularidade.

Dany Antunes marcou um ensaio na vitória por 33-16 do Massy frente ao Soyaux-Angouleme, a segunda vitória consecutiva para a equipa do ponta português que milita no Nationale (3ª divisão). O internacional luso não estava convocado, mas uma lesão de última hora de Massimo Ortolan, permitiu a chamada para o 23 e acabou por mesmo marcar 5 pontos (os primeiros da temporada) nos 8 minutos que esteve em campo.

Loic Bournonville realizou uma boa exibição em mais um jogo em que começou a titular, saindo aos 56 minutos, altura em que o Rumilly já estava na frente do marcador por 12-07. Na luta de avançados, o talonador apresentou-se a bom nível, com o combate da formação-ordenada a ter sido dividido com os seus adversários de Chateaurenard, somando boas introduções de bola no alinhamento.

Lionel Campergue vestiu a camisola 16 no Bassin D’Aranchon no empate a 34 pontos frente ao Limoges, num jogo que só foi decidido na bola de jogo, pelo ensaio e conversão do colega de equipa do 1ª linha português, Jean Baptiste Cros.

O talonador Hugo Mendes do Marcq-en-Baroeul (Fédérale 1) entrou nos últimos 12 minutos da vitória sobre o Langnon, naquele foi o seu segundo jgoo nesta temporada.

 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter