Mercado de Transferências do Rugby Mundial: Super Rugby

Francisco IsaacDezembro 12, 20195min0

Mercado de Transferências do Rugby Mundial: Super Rugby

Francisco IsaacDezembro 12, 20195min0
O mercado de transferências do Super Rugby reservou algumas surpresas e nós destacamos 15 contratações que valem a pena mencionar! Qual elas a mais impressionante?

O Mundial já foi a principal preocupação de todos os adeptos do rugby, mas mal acabou voltaram a centrar a atenção nos clubes, que durante este período de acalmia trataram de  de reforçar os plantéis tendo já acontecido alguns anúncios minimamente surpreendentes, chocantes e outros algo inesperados. As principais transferências, trocas e saídas de jogadores do Planeta da Oval no Super Rugby!

SUPER RUGBY

Nova época e com o Mundial de Rugby já resolvido, é normal assistirmos a uma debandada de vários nomes fortes que voltamos a relembrar rapidamente: Samu Kerevi, Will Genia, Kieran Read, Owen Franks, Ryan Crotty, Eben Etzebeth, Handré Pollard, Willie Le Roux, Duane Vermeulen, David Pocock, Jesse Kriel, Dan du Preez. Estes são só alguns dos atletas que não competir nunca mais (ou pelo menos por uma época) no Super Rugby e se querem ter noção de quem foi em direcção à Europa e Japão, relembramos as listas do Pro14 e Top League e Top14 e Premiership.

Enxaguadas as lágrimas dos “adeus”, é hora de veremos quem regressou ao Super Rugby ou quem pelo menos mudou de equipa durante o defeso!

Qual a mais impressionante? Se falarmos em trocas entre equipas do Super Rugby não há dúvidas que a ida de Beauden Barrett para os Blues assenta bem no 1º lugar… quem conseguia prever esta mudança de um dos jogadores mais emblemáticos de sempre dos Hurricanes?

Durante alguns anos foi tema de conversa esta possível transferências, mas os constantes problemas económicos e administrativos da franquia de Auckland, bloqueavam qualquer mudança deste nível. Contudo, em Junho de 2019 os Blues conseguiram convencer Beauden Barrett a mudar-se, apanhando de surpresa a boa maioria dos adeptos e fãs. Depois de 125 jogos e 1238 pontos marcados nos Hurricanes, aquele que é considerado um dos melhores jogadores do século XXI assinou pelos decepcionantes Blues, esperando que esta transferência eleve a equipa para outro patamar.

Outras trocas internas de relativo interesse vão para a saída do futuro pilar dos All Blacks, Tyrel Lomax, que depois de duas boas temporadas ao serviço dos Highlanders assinou pelos Hurricanes, oferecendo assim mais “massa” à primeira-linha da franquia de Wellington. Henry Speight sprintou pela porta de saída dos Brumbies e ingressou nos Reds de Brad Thorn, procurando voltar ao seu melhor.

Em relação a new arrivals destacamos três contratações: Aaron Cruden, Ben Te’o e Joe Marchant. Cruden não teve uma experiência agradável por terras francesas, seja pelas lesões sofridas ou pelo tipo de jogo aplicado pelo Montpellier que em nada engrandeciam as qualidades do abertura.

Com Warren Gatland ao leme da franquia dos Chiefs, o abertura deve ter sentido alguma segurança para este regresso a casa, desconhecendo-se quase todos os detalhes contratuais, sabendo-se só que ficará em Waikato nos próximos três anos. Este retorno significa que Damian McKenzie será definitivamente colocado na posição de defesa, criando um combo ameaçador com Cruden para a nova temporada… conseguirão ganhar o Super Rugby?

Ben Te’o terminou o seu contrato com os Worcester Warriors no Verão de 2019 e decidiu rumar a… Toulon! É verdade, o centro optou por ingressar num dos clubes franceses de maior sucesso neste século mas negociou um contrato com duracção de 6 meses. Após o término deste vai voltar a emigrar, desta feita para o Japão para ajudar os Sunwolves a realizarem uma grande última temporada (será mesmo?) no Super Rugby. Te’o vai oferecer toda aquela agressividade e explosão vinda da linha de três-quartos enchendo o ataque e a defesa da franquia japonesa com algo que não tinham.

Por fim, Joe Marchant, atleta internacional pela Inglaterra de 23 anos que surpreendeu tudo e todos quando anunciou a sua transferência para o Hemisfério Sul, mais concretamente para a Nova Zelândia e a franquia dos Blues. Um atleta talentoso com a bola nas mãos, Marchant é um dos melhores produtos do rugby inglês tendo sido um dos MVP’s do Mundial de Rugby sub-20 de 2016 (dois ensaios na final por exemplo) que até conquistou três internacionalizações pela Inglaterra de Eddie Jones. Com direito a poder tirar um ano sabático da sua ligação contratual com os Harlequins, o ponta/centro inglês optou por fazer algo que só alguns jogadores tiveram coragem de fazer… jogar no Super Rugby. Veremos se deslumbra em terras kiwis nesta experiência de 1 ano, que até pode vir a ser prolongada dependendo do desempenho.

Finalmente, há que mencionar a equipa que saiu completamente derrotada do Mercado de Transferências… os Stormers. É verdade que os Bulls perderam Schalk Brits, Lood de Jager, RG Snyman, Duane Vermeulen, Handré Pollard ou Jesse Kriel mas conseguiram se reforçar com alguns atletas de qualidade… os Stormers pelo seu lado perderam Corné Fourie, Eben Etzebeth, Chris Massyn, Sikhumbuzo Notshe, Kobus van Dyk, Damian de Allende, Dan Kriel, SP Marais e EW Viljoen e não foram buscar absolutamente ninguém para colmatar as baixas. Isto significa que vai ser um ano de pura desgraça para uma franquia que passou as últimas temporadas em sofrimento?

Qual a melhor transferência da lista que criámos? E quem vai sair por cima no final?


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter