O que há para saber sobre o Figueira Beach Rugby 2018?

Francisco IsaacJunho 19, 20185min0

O que há para saber sobre o Figueira Beach Rugby 2018?

Francisco IsaacJunho 19, 20185min0
Escoceses na areia? Campeões do Padova de regresso? E que portugueses podem participar? Tudo sobre o Figueira Beach Rugby 2018 no Fair Play

Estamos de regresso a um dos melhores momentos do rugby nacional: o Circuito Nacional de Beach Rugby! E, em especial, ao Figueira Beach Rugby, torneio que já conta com mais de 8 edições (esta será a 9ª).

Mas o que há de tão especial com a Figueira? E será mesmo o Figueira Beach Rugby um dos melhores torneios da variante no Mundo?

Vamos por partes: o Figueira BR faz parte do Circuito Internacional da EBRA (European Beach Rugby Association) e é um dos mais concorridos, recebendo em média por ano cerca de 500 atletas e membros de equipa técnica.

Com quatro campos sempre a funcionar, os jogos vão desde as 10 da manhã até às 18h00 de cada dia. Para além do meio milhar de pessoas a competir ou dirigir, há os adeptos, familiares e curiosos que aparecem nos areais da Figueira.

O torneio consegue ter cerca de 800 a 1000 pessoas envolvidas durante dois dias, o que dá um contorno espectacular ao rugby Nacional. É uma das melhores formas de fazer publicidade à modalidade, naquilo que é um jogo intenso, dinâmico e muito físico (um campo mais curto, 5 para 5, que lutam durante 10 minutos pela posse de bola).

Para além dos números de pessoas envolvidas durante esses dias de competição, há que falar dos vários impactos: primeiro no rugby português, uma vez que o evento traz uma visibilidade especial à modalidade. Uma competição animada e que detém um profissionalismo bem trabalhado, engendrado pela Doctor Sports. O sucesso desta etapa do Rugby de praia permitiu começar o Figueira Beach Sports City, naquilo que prova o interessa das autarquias em ter este tipo de projectos em funcionamento.

Foto: Figueira Beach Rugby

Em segundo com pessoas de todo o lado, Portugal fica bem cotado devido à excelente hospitalidade e serviços oferecidos. A vida que estes visitantes trazem à cidade pulsa “sangue” aos serviços da Figueira que agiganta-se durante esses dois dias. O efeito é similar ao que o Algarve 7’s desejou e deseja fazer para o Algarve, aproveitando as estruturas desportivas para promover uma espécie de turismo diferente: o turismo-desportivo.

E, finalmente, o contacto entre diferentes culturas e nacionalidades no mesmo espaço durante 72 horas. Quantas vezes a comunidade do rugby português sente que tem muito mais para oferecer e conhecer para além da realidade nacional. A verdade é que os portugueses gostam de receber convidados, seja de Espanha, França, Ilhas Britânicas e muito mais.

Pegando neste último aspecto, que países vêm ao Figueira Beach Rugby?

Para já esta é a lista: Espanha, França, Itália, Escócia, Alemanha, Bélgica, Holanda, Ilhas Curacao (se têm curiosidade de descobrir do que se trata este pequeno país rugbistico fiquem a saber tudo aqui: Curaçao Rugby w/ Gabriel Breuer). Destaque especial para a presença dos campeões do Circuito Europeu da variante, os Les Minots (em 2016 foram à final da competição, levantando o título de campeão), os italianos do Padova Rugby (os italianos são “loucos” por areia, distribuindo placagens e handoff’s irritantes), as velocistas das dunas do SL Benfica (a par do Sport Porto, são das melhores equipas a jogar Beach Rugby), os highlanders do Corstorphine Cougars RFC (estreia em absoluto) e muito mais.

Ao todo estarão presentes 32 formações masculinas e 12 femininas, com um prize-money de 2500€. Simples? Nem por isso… para chegar aos prémios é preciso aguentar com placagens de alto nível (no rugby de praia não há grande espaço para fugir… a não ser que tenham um “arma” fenomenal…), dribles de luxo puro (… e essa arma é um side step, em que normalmente cria sérios problemas na defesa), substituições eléctricas (5 lá dentro, 5 cá fora… sendo que os que estão a ver a jogar têm de estar prontos para entrar imediatamente no terreno de jogo) e um tempo reduzido (parece ser pouco, mas com o calor, intensidade e concentração, os dez minutos parecem ser meia-hora de jogo).

Mas realmente o Figueira Beach Rugby é um sucesso? 44 equipas participantes, mais de meio milhar de pessoas, exposição mediática internacional, participação de países de todo o Mundo, presença de atletas reconhecidos e um impacto social e económico reconhecido… chega?

A verdade é que a Câmara Municipal da Figueira da Foz apostou neste evento, sendo que outras autarquias já seguiram o exemplo e começaram a ver o rugby de praia como um excelente produto para “vender” os espaços de lazer. É, também, um local ideal para criar um espírito de grupo e equipa.

Com o dia do torneio a chegar em grande velocidade, talvez ainda têm a possibilidade de participar no Figueira Beach Rugby… não vão lá pelo prize money (claro que ajuda sim, mas…), nem pelos after-parties ou pelos brilhantes side steps dos Minots… vão sim pelo package, por tudo aquilo que o evento promove e representa, pelo brilhantismo de juntar equipas de vários países, de criar um ambiente não só fantástico para a modalidade como propiciar uma ligação total entre todos os participantes.

Estão prontos para fazer parte deste #beachmadness?


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter