3 destaques da 13ª Ronda do Super Rugby Pacific 2022

Francisco IsaacMaio 17, 20225min0

3 destaques da 13ª Ronda do Super Rugby Pacific 2022

Francisco IsaacMaio 17, 20225min0
Os Crusaders abateram os Brumbies, e os Blues ficaram ainda mais isolados após esta 13ª ronda do Super Rugby Pacific analisada por Francisco Isaac

Estamos cada vez mais próximos do fim de temporada do Super Rugby Pacific 2022, com os Brumbies a finalmente sucumbirem contra uma franquia neozelandesa, para além dos Fijian Drua terem somado uma preciosa vitória para se manterem na luta pelos playoff da competição.

O SKILL: UP&UNDER DE RÉGUA E ESQUADRO

Os Rebels ficaram a escassos pontos de conquistar uma memorável vitória frente aos Chiefs em Melbourne, depois de um jogo intenso, atribulado e disputado até ao limite, com a franquia liderada apor Clayton McMillan e Warren Gatland a arrancar quatro preciosos pontos desta visita à Austrália. No meio de um encontro de constantes estocadas de cada lado, a equipa da casa protagonizou aquele que foi o “skill” da semana, através do pé de ferro de Reece Hodge, com o internacional australiano a esboçar um up&under letal, que não só provocou caos entre os seus adversários, como acabaria por ser conquistada pelo próprio defesa, acelerando depois gloriosamente até à área de validação, recebendo os aplausos de quem estava presente.

Normalmente, e nos dias de hoje, o up&under tornou-se uma “arma” trabalhada para ser disputada principalmente pelos pontas, pontapeando a oval bem para o alto, na esperança de conseguir forçar um erro de captação contrário, de limitar o espaço de acção e reacção do adversário ou, na melhor das hipóteses, de um dos perseguidores conseguir recuperá-la no ar e dar início a uma combinação perigosa de ataque.

Com Reece Hodge, a verdade é que o Wallaby simplesmente foi cientifico em toda a sua acção, conseguindo garantir o espaço suficiente para chutar a bola em condições, seguindo-se um sprint inesperadamente veloz e que apanhou com tudo e todos desprevenidos quando saltou sem oposição, resgatando a oval e a novamente acelerar até à área de validação. Nem sempre um up&under recebe esta tonalidade tão gloriosa ou genial, mas Reece Hodge, com aquele pé demolidor foi capaz de protagonizar um momento especial nesta jornada do Super Rugby Pacific 2022.

O JOGADOR: BILLY HARMON, O ESPARTANO DOS HIGHLANDERS

Letal no breakdown, inquebrável na placagem, durinho nas entradas com bola, maciço no salto nos alinhamentos e uma chaga constante nas saídas da formação-ordenada, Billy Harmon é um dos asas mais eficientes e frios de todo o Super Rugby Pacific, arrancando mais uma grande prestação ao serviço dos Highlanders, em que se notam, desde logo, os três turnovers conseguidos nos rucks da Western Force, somando ainda um ensaio, 80 metros de conquista territorial, duas quebras-de-linha, cinco tackle-busts, quatro defesas batidos e um offload na grande e larga vitória do emblema de Dunedin. Nesta jornada do Super Rugby Pacific, os Highlanders estavam pressionados para garantir uma vitoria pelo maior número de pontos/ensaios possíveis, de modo a escalar posições na classificação, e aproximarem-se dos lugares apurados para o playoff desta competição na Oceania, sendo uma derrota inadmissível neste momento.

Em casa, com todo o seu público em modo elétrico, os Highlanders garantiram cinco pontos, em que Billy Harmon está totalmente associado não só pelos cinco pontos marcados, mas também pelo poder físico totalitário imposto no contacto, ou no como sonegar espaço à 3ª linha ou formação da Force, com isto a oferecer um eco superior à sua equipa durante o decorrer deste embate para a 13ª jornada do Super Rugby Pacific.

O STAT: TIMOCI TAVATAVANAWAI E OS 14 ILUDIDOS

Para o stat desta semana escolhemos o rei dos Dribles da 13ª ronda do Super Rugby Pacific, de seu nome, Timoci Tavatavanawai, atleta dos Moana Pasifika que causou furor ao tirar da frente catorze adversários, num duelo entre as duas franquias estreantes desta nova edição/formato da maior competição de rugby de franquias do Hemisfério Sul, que acabou por terminar em quatro pontos conquistados para os Fijian Drua. Sim, pode não ter saído com a vitória deste duelo, mas o ponta foi um profundo problema do principio ao fim do encontro para os Drua, que caíram repetidamente nas fintas de pés deste ludibriador máximo desta jornada, impondo tanto uma finta-de-passe ardilosa ou um goose step que simplesmente foi ilegível para os potenciais placadores que acabaram no chão a ver Tavatavanawai a acelerar e a passar sem desafio a altura por entre a defesa contrária.

Com um ensaio marcado e 109 metros conquistados no decorrer de 80 minutos, o ponta forçou três quebras-de-linha à linha-de-defesa adversária, com uma delas a ser simplesmente memorável ao enganar três atletas dos Drua, que não conseguiram perceber qual seria a acção deste enigmático jogador de 24 anos que procura chegar à selecção principal das Ilhas Fiji. Até este momento não houve ninguém capaz de ultrapassar a fasquia dos 9 jogadores batidos num só encontro, e Timoci Tavatavanawai simplesmente pulverizou o máximo até agora conseguido nesta temporada do Super Rugby Pacific.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter