A influência do desporto no contexto social por James, Williams e Kaepernick

Tiago MagalhãesSetembro 22, 20185min0

A influência do desporto no contexto social por James, Williams e Kaepernick

Tiago MagalhãesSetembro 22, 20185min0
Este foi um Verão marcado por diversas campanhas de atletas que representam uma geração de desportistas cada vez mais relacionados com questões sociais. Fica a saber quem e porquê!

LeBron James no basquetebol, Colin Kaepernick no futebol americano e Serena Williams no ténis são, sem duvida alguma, atletas respeitados não só pelo que fazem e fizeram nos seus respectivos desportos mas sobretudo pela forma como utilizam as suas plataformas sociais, a sua relação com os seus patrocinadores e sobretudo o dinheiro que ganharam nas suas carreiras para potenciar a sua voz em diferentes causas de enorme importância numa sociedade onde a cultura dos “ídolos” tem uma magnitude cada vez mais determinante na população jovem.

Antes de todo o reboliço criado com a final do US Open e a posição tomada por Serena Williams frente ao juiz português Carlos Ramos, a tenista americana já tinha entrado numa espécie de polémica devido ao outfit que pretendia usar para esta competição que foi banido pela comissão do torneio. Em causa estaria o estilo considerado “obsceno” que Williams pretendia usar, tendo este sido o mote para uma campanha da Nike.

Serena Williams, considerada por muitos a melhor tenista de sempre no quadro feminino, tem sido a cara de varias campanhas no contexto social. Desde a luta pela igualdade de direitos entre géneros dentro da modalidade a nível de prémios monetários, a questões relacionadas com o racismo passando por contextos mais inclusivos como a maternidade entre atletas, etc.

 

 

Lebron James, será certamente um jogador que veremos no topo de todos os rankings da historia da NBA quando a sua carreira findar. Apesar dos inúmeros pontos, assistências, ressaltos e blocos não  serão estes os números mais impressionantes que James ira apresentar no fim de contas, mas sim todo o seu contributo a nível monetário, social e pessoal sobretudo na zona de Akron, Ohio onde o americano cresceu e a Cleveland, a quem deu o único titulo da franchise.

A maior obra do colosso do basquetebol foi erguida este Verão com o finalizar da construção da “I Promise School”, uma escola publica em Akron que ira acolher maioritariamente “crianças em risco”. Proporcionando-lhes condições para que frequentem um ensino publico com características especiais, com programas extra curriculares e com um apoio especifico para as famílias dos estudantes.

Para alem do ensino normal, estas crianças terão serviços adicionais para a sua família desde alimentação a possibilidade de inserir os pais no mercado de trabalho aquando de necessidades neste âmbito. E para os com menos recursos educacionais oferece a possibilidade de finalizarem o secundário também. Para alem disto, todas as crianças terão uniformes, bicicletas e capacetes para se movimentarem, bem como comida e transporte escolar se necessário.

Este projecto apesar de não ser totalmente financiando pela “James Foundation” (visto tal não ser possível no sistema educativo dos EUA), conta com mais de 1 milhão de dólares investidos pelo atleta mais todas as responsabilidades extra curriculares, estas ultimas todas financiadas pela fundação.

 

 

Mas a maior historia deste Verão esta em Colin Kaepernick, provavelmente o atleta menos conhecido destes três, mas que tem sido o mais interventivo nas questões sociais, sobretudo no que toca ao famoso hashtag #blacklivesmatter.

Kaepernick teve cinco temporadas na NFL a representar os San Francisco 49ers ate que durante o pré jogo e durante o hino do pais este ajoelhou-se no que foi considerado um sinal de protesto que levou não só a sua saída a nível competitivo mas também a tornar-se um ícone mundial na sua luta pelas questões sociais, maioritariamente em relação ao racismo.

A Nike, na sua celebração do trigésimo aniversario, assinou Kaepernick num contrato onde adquiriu os seus direitos de imagem, tomando assim, de forma indirecta, uma posição politica que criou uma enorme controvérsia na sociedade, através de um clash entre a população mais conservadora e a mais liberal. Muitos foram os protestos vistos nas redes sociais, entre comentários a denegrir a posição do atleta e da marca, a vídeos de pessoas a queimarem artigos da marca e a escolas publicas a boicotarem o uso da marca nos seus equipamentos desportivos.

Muitas foram as noticias nos dias seguintes, onde a parte económica esteve em foco, porque esta campanha acabaria por ser um risco para a marca por toda a controvérsia gerada.

Nos primeiros dias os mercados mundiais apresentavam descidas nas ações da empresa, porem tal foi mal interpretado pela maioria dos media visto que todas as marcas competidoras (Adidas, Under Armour, Puma, etc) também estiveram em queda. Mas, a campanha traria frutos a curto prazo, sendo que há cerca de uma semana atrás, a Nike atingiu o valor mais alto de sempre com um recorde de 83,47 dólares, por ação.

Estes são apenas três exemplos de como o uso das plataformas de forma correcta pelos melhores atletas do mundo possuem uma enorme influencia no contexto social, politico e económico da sociedade em que vivemos.

Deixo-vos com o slogan da campanha da Nike onde Colin Kaepernick se tornou a figura central.

 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter