Mais futsal, mais qualidade e mais uma Liga SportZone

Rafael RaimundoAgosto 29, 20185min0

Mais futsal, mais qualidade e mais uma Liga SportZone

Rafael RaimundoAgosto 29, 20185min0
Terminou a maior competição não oficial de clubes. Para trás ficam quatro partidas bem disputadas com vista a mais um campeonato nacional de futsal. Mais qualidade é um dos pontos que salta à vista na antevisão a mais uma Liga SportZone.

Record Masters Cup

Decorreu no passado fim de semana o torneio Record Masters Cup em Portimão. As equipas participantes foram os finalistas do campeonato nacional – Sporting e Benfica – a equipa campeã europeia Inter Movistar e ainda a equipa do Magnus Futsal, onde milita Falcão, referência mundial da modalidade, e também Éder Lima, jogador russo bem conhecido dos palcos europeus.

O vencedor do torneio foi a equipa de Nuno Dias, com os mesmos pontos do rival Benfica, porém com o critério disciplinar a seu favor. Inter Movistar e Magnus Futsal, foram os 3º e 4º lugar, respetivamente.

A equipa do Sporting, à semelhança dos encarnados, venceu os dois jogos por 4-2, no entanto esteve melhor a nível disciplinar, o que permitiu haver pela primeira vez um vencedor português do torneio.

Os prémios esses foram divididos. Rocha, o pivot recém-chegado à equipa sportinguista proveniente do Magnus Futsal, foi eleito o melhor jogador do torneio, tendo Ricardinho, o capitão da selecção nacional arrecadado o prémio de melhor marcador da prova com três golos marcados.

Mais futsal, mais qualidade

A nível individual, e apontando apenas para o desempenho das equipas portuguesas, demonstrou-se haver muita qualidade no trabalho feito pelos técnicos em Portugal. A situação de Rocha salta de imediato à vista. Com apenas 23 anos, o pivot brasileiro parece já estar integrado na equipa do Sporting há vários anos. Não foi por acaso que lhe foi entregue o troféu de melhor da prova. Leo Jaraguá e Erick Mendonça, também jogadores leoninos, mostraram também estar a altura de lutar por um lugar na equipa de Nuno Dias.

Fotografia: Instagram Sporting

Do lado encarnado, o reforço Rafael Fits parece ser o tipo de pivot de que os encarnados precisavam. Fits é um pivot de características mais vincadas e de jogo mais direto. O verdadeiro pivot de referência em situação de pressão alta efetuadas pelas equipas adversárias. Também Marc Tolrá, proveniente dos espanhóis do Barcelona, mostrou qualidade acima da média, nomeadamente em situações de momento defensivo.

O campeonato português, na temporada que se avizinha, é capaz de ser um dos mais equilibrados dos últimos anos.

Por falar em Liga SportZone …

Antes de iniciar o campeonato, contudo, há ainda a Supertaça por realizar. A partida vai jogar-se a 8 de setembro e será disputada a Sul do país. Sporting, vencedor da Liga SportZone e da Taça de Portugal, vai defrontar o finalista vencido da Taça de Portugal, a equipa do GD Fabril. O Sporting tentará arrecadar a 9ª vitória em vinte e duas edições da prova, ao passo que a equipa do GD Fabril vai tentar juntar o nome do clube aos apenas sete vencedores da prova.

Para o fim de semana seguinte está marcada o início de mais uma Liga SportZone. A equipa do Fundão recebe o Módicus e o Braga desloca-se até Vila do Conde para defrontar o Rio Ave.

O campeão Sporting recebe a equipa do Belenenses e o vice-campeão Benfica desloca-se até ao pavilhão da equipa de Leões de Porto Salvo.

O primeiro grande derby está marcado apenas para o fim de semana de 20 de outubro, com o primeiro jogo a realizar-se em casa dos encarnados, finalistas vencidos da época passada. Logo na jornada seguinte, a equipa orientada por Nuno Dias recebe em casa a equipa do Braga, uma das potenciais equipas a assumirem-se como candidatas à conquista do título nacional. O Braga – Benfica está marcado para a 13ª jornada.

À conversa com Rui Da Cruz, colaborador do FairPlay, o também comentador desportivo fez uma análise àquilo que vai ser o campeonato.

“Em todos os inicios de época se repetem as alterações nas equipas com entradas e saídas. Todas as equipas da Liga “reforçam” os plantéis na tentativa de garantir maior equilíbrio, mais qualidade e experiência para enfrentar as competições que vão disputar.

Sinceramente acho que sim, que será mais competitiva, e isso decorre da evolução da modalidade e dos resultados alcançados nestas últimas épocas. A modalidade tem vindo a desenvolver-se muito rapidamente e os clubes têm acompanhado e se adaptado também ao crescimento. Certo é também que tem sido feito com o devido acompanhamento da FPF, com um investimento calculado e sustentado.

O nosso campeonato nacional da 1.ª divisão, a que se atribuiu o nome de Liga Sport Zone por razões de patrocínio, é o escalão principal e está na minha opinião dividida em três grupos de equipas. O grupo que luta para ser campeão onde estão inseridos o Sporting e o Benfica, eternos desde a época 2000 / 2001. Um grupo perseguidor composto por cinco equipas que ambicionam entrar nos Playoff`s e que disputam o acesso às meias finais. E por último um terceiro grupo de equipas (sete) que estão na luta por uma vaga para entrar nos Playoff´s, e o de garantir a manutenção. Certo é que duas delas vão mesmo cair nos lugares de despromoção.

Se no primeiro grupo é praticamente impossível uma das restantes 12 equipas chegar ao título, temos cada vez mais assistido ao engrossar do segundo grupo de equipas, cuja diferença já não é assim tão grande para o terceiro grupo, ou seja, cada vez mais equipas tem como objetivo ficar entre os oito primeiros classificados para ter entrada na decisão dos Playoff`s, optando por investirem cada vez mais na qualidade nos jogadores e nas equipas técnicas em geral para lá chegarem.

Sabendo também que com a introdução recente da Taça da Liga, a caminho da 4ª edição, existe assim um objetivo para alcançar no término da primeira volta – o de estarem nos oito primeiros classificados que numa competição a eliminar e num curto espaço de tempo pode sorrir a qualquer um, além de que disputar uma final é sempre aliciante”.

Questionado sobre quem pode marcar a diferença neste campeonato, e de entre tantas respostas possíveis, Da Cruz destacou três jogadores: Rocha (Sporting), Fernandinho (Benfica) e Bruno Cintra (Braga AAUM).


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter