Será 2021 o ano em que a McLaren voltará a ter sucesso?

Luís PereiraJaneiro 27, 20213min0

Será 2021 o ano em que a McLaren voltará a ter sucesso?

Luís PereiraJaneiro 27, 20213min0

A McLaren terminou o ano de 2020 no terceiro lugar do Campeonato do Mundo de Construtores, a posição mais alta desde 2012. Poderá a McLaren vir a ser uma candidata ao título?

Apesar de ser uma referência histórica na F1 a McLaren enfrenta a fase mais negativa da sua história. A equipa britânica está desde 2012 sem uma vitória e sem um título desde 2008, quando Hamilton venceu o seu primeiro título de Campeão do Mundo. Desde 2012 a equipa passou por muitas fases difíceis, desde o desastre da era Honda, até à guerra interna, que afastou o histórico Ron Dennis, depois de 37 anos à frente da equipa.

Para colocar a equipa de novo em espiral ascendente a equipa fez uma restruturação, contratando para chefe de equipa Andreas Seidl da Porsche e James Key para Diretor Técnico, vindo da Toro Rosso. Seidl teve o trabalho de ver o que estava a funcionar mal na estrutura da equipa e definir prioridades.

(foto: formula1.com)

Umas das prioridades vai se refletir já em 2021, com a nova unidade motriz, da Mercedes. Seidl disse que para chegar ao topo são necessários os melhores componentes num carro, e o melhor motor é o Mercedes. Daí a McLaren voltar a usar o motor germânico, que tem dominado a F1 nesta era híbrida.

Outra prioridade era apostar na nova mudança de regras que vai surgir na F1 em 2022. Para isso a McLaren decidiu usar grande parte dos recursos em pista não só para melhorar a performance em pista de 2020, mas em modelos que seriam uteis em 2021, mas também na época seguinte.

O resultado foi uma equipa focada e em harmonia, a saber quais as fraquezas e forças do monolugar. Isso levou a equipa a conseguir resultados fortes, em pódios, que até poderiam ter-se traduzido em vitórias, como em Monza, tivesse a balança da sorte um pouco mais balanceada para os lados de Woking.

Para ajudar esta recuperação muito contribuíram uma dupla de pilotos bastante cooperativa, o que ajudou a equipa a desenvolver melhor o carro. Apesar dos ótimos resultados, a dupla de Lando Norris e Carlos Sainz não vai continuar, já que o espanhol vai para a Ferrari, e para o seu lugar a McLaren contratou Daniel Ricciardo.

Mas a grande aposta será na melhoria das infraestruturas da equipa, como num novo túnel de vento e simulador. O futuro da equipa esteve em dúvida. Devido à pandemia o modelo de negócio do grupo McLaren ficou debilitado, mas com a ajuda de novos investidores a equipa está com a confiança em alta.

O ano de 2021 será interessante, com o novo motor e nova dupla de pilotos, mas o objetivo real da McLaren é 2022 e para ver frutos ainda vamos ter de esperar.

(foto: formula1.com)


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter