Quando o azar da Ferrari bate á porta, Verstappen chega à vitória

Luís PereiraJunho 15, 20223min0

Quando o azar da Ferrari bate á porta, Verstappen chega à vitória

Luís PereiraJunho 15, 20223min0

Max Verstappen deixou o Azerbaijão com uma grande folga na liderança, depois de vencer a corrida e ver ambos os Ferrari desistirem.

Uma corrida que prometia que iria trazer alguma incerteza, o natural em Baku, foi na verdade um quase passeio para a Red Bull, muito por causa do infortúnio da Ferrari.

O lugar da pole foi mesmo conquistado por Leclerc, mas os Red Bull estavam logo atrás, liderados por Sergio Pérez. No arranque foi mesmo o mexicano a levar a melhor, passando logo para a liderança, deixando Leclerc à merce de Verstappen.

Cedo se começou a entender que desta vez a Ferrari tinha um andamento de corrida superior nesta fase, conseguindo encurtar a distância para a liderança. Apesar desse bom andamento o primeiro de dois desastres abateu-se sobre os Ferrari, quando o carro de Sainz deu de si e o piloto espanhol foi forçado a parar e trouxe um virtual safety car.

O azar de um Ferrari parecia ser a sorte de outro, porque desta forma presentou-se como o momento perfeito para a paragem de Leclerc, que conseguia parar de pneus sem perder muito tempo.

A Red Bull tentou responder, parando primeiro Pérez e mais tarde Verstappen, mas não tinham resposta para a Ferrari, e a única coisa que conseguiram foi inverter a posição dos próprios pilotos, com vantagem para o neerlandês.

Só que um azar nunca vem só, pelo menos para a Ferrari, e quando parecia que era uma questão de apenas gerir a corrida, o motor de Leclec decidiu dar as últimas e desistiu. Mais uma desistência para o monegasco, que já chegou a ter uma grande vantagem na liderança do campeonato, vê-se agora com muitos pontos para recuperar.

Isto deixou a porta aberta para uma dobradinha fácil para a Red Bull, com Verstappen a cimentar ainda mais a sua posição como líder do Campeonato. Foi também a 25ª vitória do jovem piloto, que já começa a ter um registo com números que parecem de um piloto bem mais veterano.

Pérez teve de se contentar com o segundo lugar, mas nota-se que o mexicano começa a aproximar-se em andamento do ilustre colega de equipa. Em terceiro lugar, longe de grandes disputas ficou o “senhor consistência”, George Russell, numa corrida onde os Mercedes voltaram a sentir muitas dificuldades.

Apesar das dificuldades, Lewis Hamilton fez uma corrida de recuperação até ao quarto lugar, apesar das dores de costas que teve de enfrentar. Hamilton disputou a posição com Gasly, que fez uma boa corrida, a melhor até agora da época para o francês. Quem também fez a melhor corrida da época foi Sebastian Vettel, que terminou no sexto lugar, na frente de Alonso e da dupla de pilotos da McLaren, com Ricciardo na frente de Norris. A completar o top 10 ficou Ocon.

Com estes resultados a Red Bull e Verstappen conseguiram criar uma margem forte, que vai ser preciso a Ferrari lutar muito para conseguir dar a volta.

GRANDE PRÉMIO DO ARZEBAIJÃO

CAMPEONATO MUNDIAL DE PILOTOS

CAMPEONATO MUNDIAL DE CONSTRUTORES


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter