Principais destaques dos testes de pré-temporada de F1

Luís PereiraMarço 18, 20213min0

Principais destaques dos testes de pré-temporada de F1

Luís PereiraMarço 18, 20213min0

Os testes mais curtos de sempre da história da Fórmula 1 já terminaram. Apesar de ser sempre uma lotaria adivinhar quem estará mais rápido quando a época oficial arrancar dá sempre para tirar algumas ilações destes testes.

A McLaren foi a única equipa a mudar de unidade motriz, trocando o Renault pelo Mercedes. Apesar de ser a equipa que enfrentava o maior desafio para a presente época a McLaren mostrou-se em bom plano nos testes. O carro pareceu ter integrado bem o novo motor, mostrando fiabilidade e também velocidade. Apesar de a equipa não ter estado no topo das equipas a acumular quilómetros, o ambiente na garagem era de confiança e positivismo.

A mensagem passada foi de que a equipa fez muitas experiências e cumpriu todos os programas a que estava destinada.

Outra equipa que mostrou sinais positivos foi a Alpine. Apesar de Alonso ter sofrido um acidente de viação pouco tempo antes dos testes, Alonso foi dos pilotos que mais voltas fez, acumulando mais de 200 nos poucos dias de testes.

A Alpine também se destacou pelo diferente design da cobertura do motor, com uma aparência bem mais larga do que as restantes equipas. Falta saber se este design alternativo irá resultar.

Quem também saiu bastante satisfeita dos testes foi a Alfa Romeu. Revitalizada por nova potência de motor fornecido pela Ferrari, a Alfa Romeo quebrou o recorde de voltas feitas num teste de pré-temporada. Com base nestes resultados a equipa espera poder competir no meio do pelotão.

(foto: formula1.com)

Destaque também para a Ferrari, que teve um teste bem diferente do ano passado. No ano passado era bem claro que havia um problema de velocidade de ponta, devido às alterações que tiveram foram impostas pela FIA.
Este ano não parece haver o mesmo problema, com a velocidade de ponta de volta ao “normal”.

Os sempre favoritos e Campeões em título, Mercedes, tiveram um teste negativo. Problemas de fiabilidade estiveram sempre presentes, apesar de a velocidade nunca ter dado sinais negativos. Apesar de ter sido um teste bem aquém do que a Mercedes costuma fazer, a verdade é que a equipa germânica terminou o teste a dizer que sabia identificar e resolver os problemas causados.

Base dos problemas da Mercedes tiveram origem na caixa de velocidades, caixa essa que também foi causa de problemas para a nova Aston Martin. A antiga Racing Point, que usava os modelos da Mercedes, teve um teste que serviu para ambientar Vettel à nova equipa, apesar de ter sido o piloto que menos voltas fez.

A equipa que saiu motivada do teste foi a Red Bull. O teste correu às mil maravilhas, mostrando um carro que parece ser menos nervoso do que o seu antecessor e com um novo motor Honda, num último esforço para a marca nipónica antes de abandonar a F1 no final deste ano.

Será que vai ser este ano que iremos ter um duelo entre Hamilton e Verstappen? Conseguiram a McLaren e a Ferrari voltar às vitórias? Irá Alonso conseguir voltar ao pódio neste regresso à F1? Há muita expetativa por esta temporada de Fórmula 1.

(foto: formula1.com)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter