EuroLeague – As 12 melhores transferências deste Verão

Tiago MagalhãesAgosto 15, 20186min0

EuroLeague – As 12 melhores transferências deste Verão

Tiago MagalhãesAgosto 15, 20186min0
Prestes a iniciar mais uma pré-temporada para a maioria dos clubes de elite da Europa, passamos em revista as transferências mais sonantes até ao momento na EuroLeague.

O Verão já vai longo e esta off season da EuroLeague tem sido extremamente interessante com vários movimentos de luxo por parte de algumas equipas na tentativa de destronar o actual campeão da competição, o Real Madrid.

Apesar de o mercado ainda não se encontrar totalmente fechado, a maioria dos plantéis de topo já começam a trabalhar e novas caras flutuam nos complexos das melhores equipas da Europa para mais uma longa temporada.

Aqui fica o nosso top 12 de transferências até ao momento na EuroLeague 2018-19

Scottie Wilbekin (Darussafaka -» Maccabi Fox Tel Aviv)

Depois da sua temporada de afirmação na Europa, o base formado na Flórida está assim pronto para tomar as rédeas de um clube lendário na competição. O facto de poder vir a ter nacionalidade turca no futuro é de enorme importância para o MVP da Eurocup em 2017-18. Foi o jogador mais cobiçado neste mercado, mas a nível de salário as propostas escassearam.

Nigel Williams-Gloss (Partizan Belgrade -» Olympiacos Piraeus)

Na sua temporada de Rookie na temporada, o ex-Gonzaga mostrou o porquê de provavelmente ser das apostas mais sólidas vindas directamente da NCAA nos últimos anos. Liderando um conjunto extremamente jovem do Partizan, Williams Gloss mostrou que tem potencial para assumir um papel preponderante e certamente será bem acompanhado por Vasilis Spanoulis.

Shane Larkin (Boston Celtics -» Anadolu Efes)

O base electrizante depois de uma grande temporada no Baskonia conseguiu um contrato na NBA onde foi um jogador importante na rotação colmatando várias lesões do backourt dos Boston Celtics. A nível salarial a proposta da Turquia é bem mais interessante que as que obteve por equipas da NBA e o seu papel é claramente mais fundamental, numa equipa que terá um plantel muito interessante.

Chris Singleton (Panathinaikos -» Barcelona Lassa)

Um dos jogadores mais versáteis desta EuroLeague ruma ao Barcelona Lassa que carenciava tremendamente nesta posição na temporada passada. Singleton, nesta altura, é provavelmente dos melhores jogadores da Europa na posição 4/5 e será uma peça chave na movimentação ofensiva de Pesic que faz assim um enorme upgrade em relação a Moerman.

Nemanja Nedovic (Unicaja Málaga, Espanha para -» Armani Milano)

O base/extremo sérvio teve das temporadas mais sólidas da sua carreira sendo o líder do Unicaja durante toda a época quer na EuroLeague, quer na ACB. Junto a Mike James formam provavelmente um dos backourts mais atléticos e ofensivamente versáteis de toda a competição. Espera-se uma temporada melhor para os italianos, depois das decepções recentes.

Joffrey Lauvergne (San Antonio Spurs -» Fenerbahçe Ulker)

Os turcos tentam limar arestas num plantel que a olho nu parece praticamente perfeito para voltar a competir pelo título. De forma um pouco surpreendente, o poste francês deixa a NBA onde tinha vindo a ser um jogador de rotação em todas as equipas onde passou. Confere um poderio interior bastante importante sobretudo com a junção a Jan Vesely mas sobretudo espera-se que possa vir a desempenhar um papel semelhante a Empresa Udoh no passado.

James Anderson (Khimki Moscow -» Anadolu Efes)

Um dos jogadores mais regulares desde que chegou a Europa, James Anderson tem vindo a realizar maioritariamente boas temporadas sempre por onde passa. O americano é certamente um upgrade a nível de solidez em comparação com Ricky Ledo. O Efes poderá ter aqui um trunfo para uma temporada que se avizinha boa com todos os problemas domésticos dos seus adversários na Turquia.

Keith Langford (Maccabi Rishon Lezion -» Panathinaikos)

Um dos melhores scorers da última década na EuroLeague volta a competição depois de uma época totalmente falhada na China que serviu de passagem para voltar a Europa através dos israelitas do Maccabi Rishon. Langford é um jogador extremamente experiente e com um arsenal ofensivo que será certamente determinante para a manobra ofensiva dos gregos e de Xavi Pascual, que é um fã confesso do esquerdino.

Kevin Pangos (Zalgiris Kaunas -» Barcelona Lassa)

Depois de uma época de sonho que culminou com a ida a final4 da EuroLeague, o melhor aluno de Jasikevicius, Kevin Pangos ruma a Espanha numa transferência que era visivelmente esperada desde meio da temporada passada. O base canadiano não é dos jogadores mais atléticos da competição mas compensa isso com grandes qualidades de liderança de jogo e com um lançamento exterior por vezes letal. Teremos aqui o base que faltava ao conjunto espanhol nos últimos anos?

Daniel Hackett (Brose Baskets -» CSKA Moscow)

O italiano continua assim a sua carreira sólida em clubes de topo da EuroLeague onde na verdade tem sido muito acarinhado por onde passa. É um base bastante diferente do que estamos habituados a ver neste conjunto russo mas certamente será um bom complemento defensivo a Sérgio Rodriguez. Hackett acaba por ser uma contratação surpreendente visto que vem cobrir a saída do francês Leo Westerman.

Mike James (Panathinaikos -» Armani Milano)

Depois de uma época bastante irregular na equipa grega onde apenas vimos alguns lances da sua genialidade e do seu poderio atlético. James “got the bag”, e com uma das propostas mais atractivas a nível salarial da Europa irá vestir a camisola de um dos clubes mais tempestuosos das últimas temporadas. Formando dupla com Nedovic, ofensivamente estão garantidos pontos mas será que os dois super atletas conseguirão impactar no outro lado do campo?

Kremen Prepelic (Paris Levallois -» Real Madrid)

Os espanhóis perderam um dos seus eslovenos e a sua maior estrela da temporada em Luka Doncic mas adquiriram outro bem antes da temporada anterior ter findado. Prepelic tem assim o maior salto da sua carreira sobretudo devido ao grande EuroBasket que fez no Verão passado. O base atirador fez uma época bastante sólida na PRO A francesa e tem aqui a sua primeira experiência na EuroLeague, nos actuais campeões da competição.

Alguns ajustes em plantéis ainda estão por fazer, sobretudo com jogadores que não irão assinar contratos na NBA para a próxima temporada e sendo assim está é uma lista provisória até ao momento..


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter