Euroleague 2020/2021: Um ano “menos” milionário

Tiago MagalhãesSetembro 25, 20209min0

Euroleague 2020/2021: Um ano “menos” milionário

Tiago MagalhãesSetembro 25, 20209min0
A Euroleague arranca a dia 1 de Outubro e vai ser uma temporada menos "estrelada" mas mesmo assim emocionante. Tiago Magalhães escreve para o Fair Play a sua antevisão à competição

Com menos de uma semana para se iniciar a melhor competição europeia de clubes de basquetebol, o Fair Play está apostos para acompanhar tudo o que se vai passar nesta edição da Euroleague marcada pelo equilíbrio no geral.

A crise económica provocada pela pandemia afetou também o basquetebol de alta competição e assim sendo houve um ligeiro desinvestimento por parte de alguns dos clubes mais poderosos da Europa, o que tornará esta competição não só mais aberta, mas também marcada por individualidades.

CANDIDATOS À COROA

FC Barcelona Lassa

Foi um Verão “estranho” para os lados de Barcelona depois da derrota surpreendente na final da Liga ACB. Pesic foi sacrificado, para (finalmente) chegar Sarunas Jasikevicius e a contratação bombástica de Nick Calathes marcaram esta off season, num dos conjuntos com maior orçamento na Europa.

Apesar dos rumores que Pau Gasol poderia regressar a casa, o conjunto catalão mantém praticamente todas as suas armas da época anterior e irá novamente atacar em todas as frentes competitivas.

CSKA Moscow

Andrey Vatutin, o director executivo dos russos, confessou que esta temporada seria bastante diferente das anteriores no que toca ao orçamento, já que sofreram alguns golpes por parte de patrocinadores. Apesar disso, o CSKA conseguiu dois reforços de peso com as chegadas de Tornike Shengelia e Nikola Milutinov, dois jogadores que tiveram propostas NBA este Verão.

A renovação de jogadores como Mike James, Will Clyburn, Darrun Hillard, entre outros, torna os russos sempre um dos candidatos ao título, mesmo que tenham prescindido de alguma profundidade no banco.

Anadolu Efes

“Em equipa vencedora não se mexe”, e assim sendo os turcos, que têm vindo a ser nos últimos anos das melhores equipas da Europa, mantêm praticamente todo o seu plantel que tantas alegrias já trouxe.

Conseguir segurar um dos jogadores mais cobiçados da Europa em Shane Larkin foi, certamente, o grande triunfo deste Verão para o conjunto campeão turco que vê assim a sua fundação a manter-se intata e com aspirações a lutar pelo título desta competição.

AX Armani Milano

A equipa mais irreverente e que melhor se reforçou esta temporada foi sem dúvida o AX Armani Milano. Chegaram a Itália jogadores como Kyles Hines e Luigi Datome, de enorme experiência e qualidade, a que se juntaram Malcolm Delaney, Shavon Shields e Kevin Punter.

O conjunto italiano já vinha a subir de rendimento na temporada passada e a tornar-se uma das equipas mais perigosas da competição, mas agora com estes reforços de luxo e para quase todas as posições… cuidado com as surpresas!

Real Madrid

A ideologia de Pablo Laso mantem-se, garantir o maior número de atletas da temporada anterior para continuar com as rotinas vencedoras e, assim sendo, apenas foram duas as chegadas, e de jovens espanhóis, em Alberto Abalde e Carlos Alocen.

Um dos plantéis com mais títulos em toda a Europa na última década mantem-se praticamente intato, mas começam a surgir dúvidas se não faltam peças para a rotação interior deste conjunto.

QUEM VAI SAIR DA CAIXA DE SURPRESAS

Panathinaikos Athens

Na verdade, ninguém esperava a saída de Nick Calathes, mas essa não foi a única movimentação que os gregos tiveram neste mercado, já que parece que não há falta de dinheiro para os lados de Atenas.

Chegaram a Grécia jogadores de renome como Pierre Jackson, Nemanja Nedovic, Aaron White e Howard Sant-Roos, todos com experiência Euroleague e com contratos chorudos nas suas carteiras.

Kirolbet Baskonia

Depois de terem surpreendido tudo e todos na “final excecional” da ACB onde levantaram o título de campeão, os bascos do Baskonia tentam afirmar-se como um dos conjuntos de topo na Europa.

A entrada de jogadores experientes como Alec Peters, Zoran Dragic e de outros que fizeram grandes temporadas em Tonye Jekiri e Rokas Giedraitis, torna este conjunto uma das equipas mais completas em todas as posições e que poderá provocar surpresas durante a fase regular.

KK Crvena Zvezda

Muitas mudanças na Sérvia, chegaram 11 atletas novos a este conjunto e um novo treinador em Sasa Obradovic. O Crvena Zvezda deverá ser, provavelmente, uma das equipas onde o impacto económico menos se fez sentir neste Verão. Corey Walden troca de rivais na Sérvia e será um base a ter em conta, bem secundado pelas chegadas de Jordan Lloyd, Langston Hall e os interiores Marko Simonovic e Ognjen Kuzmic.

QUEM VAI SOFRER DO PRINCÍPIO AO FIM

Alba Berlin

Liderados pelo veteraníssimo treinador Aito Garcia Renezes, o Alba Berlin retorna à Euroleague com um plantel interessante, mas onde a experiência a este nível não abunda. Os alemães mantiveram a parte fulcral do plantel que se sagrou campeão alemão, sendo que a contratação do base uruguaio Jayson Granger vindo do Baskonia foi a grande aposta deste mercado no Verão.

Curiosidade para saber como se irão exibir jogadores como Peyton Siva, Marcus Eriksson e Luke Sikma, depois de uma temporada fantástica no ano anterior a nível interno e a nível europeu.

ASVEL Lyon

Depois de uma temporada de estreia na Euroleague onde provocaram várias surpresas nas primeiras jornadas, os franceses do ASVEL tiveram dificuldades em manter o ritmo competitivo com que iniciaram, o que é perfeitamente normal.

Para esta temporada, o conjunto francês realizou um grande investimento reestruturando praticamente todo o plantel com destaque para as chegadas dos experientes nestas andanças Norris Cole, David Lighty e Paul Lacombe. O jogo interior foi bem reforçado com o poderoso Mustapha Fall e o ex Boston Celtics Guerschon Yabusele.

BC Zalgiris

Os lituanos levaram um rude golpe nas suas aspirações (que na verdade já era expectável) com a saída de Sarunas Jasikevicius para treinar o Barcelona Lassa. O treinador lituano criou uma cultura impactante nas últimas duas temporadas, que será difícil de replicar este ano.

Com algumas saídas, sobretudo a de Edgaras Ulanovas, os lituanos acabaram por atacar bem o mercado, com as chegadas de Joffrey Lauvergne e Augustine Rubit para o jogo interior e Patricio Garino, diretamente dos campeões de Espanha.

E OS RESTANTES!

BC Khimki Moscow

Num verdadeiro corropio de entradas e saídas, o Khimki Moscow continua a procura do equilíbrio ideal para tentar destronar os seus rivais do CSKA como a melhor equipa russa da atualidade.

A permanência do melhor marcador da temporada passada em Alexey Shved foi um excelente passo, sendo que este ano terá de partilhar o backourt com outro scorer puro em Errick McCollum. As contratações de Jordan Mickey ao Real Madrid e Greg Monroe ao Zenit, tornam esta equipa uma das que mais curiosidade incita para esta temporada.

FC Bayern München

Andrea Trinchieri volta a Alemanha, mas desta vez para treinar o Bayern Munchen, que terá aqui uma temporada complicada na Euroleague se não conseguirem assinar mais jogadores de qualidade.

No que toca as entradas, os bávaros até conseguiram alguns nomes interessantes como Wade Baldwin, Jalen Reynolds e, sobretudo, Malcolm Thomas. Mas serão estes jogadores (que até agora foram importantes, mas não estrelas dos seus conjuntos), suficientes para batalhar nesta competição?

Fenerbahce Istanbul

Depois de ter dado tantas alegrias ao clube, Zeljko Obradovic deixou os turcos numa relação que está a esfriar dia após dia. Para o seu lugar chega o atual campeão da Europa de seleções Igor Kokoskov.

A entrada de um dos melhores jogadores na Europa da temporada passada em Lorenzo Brown e de outros atletas de grande impacto como Edgaras Ulanovas, Jarrell Eddie e Danilo Barthel, são lufadas de ar fresco para um conjunto que precisava de uma renovação urgente.

Maccabi Tel Aviv

Depois de terem conseguido segurar um dos jogadores mais pretendidos do mercado em Scott Wilbekin, os israelitas atacaram muito bem no mercado NBA com a chegada de Ante Zizic (ex Cleveland Cavaliers) e Dragan Bender (ex Golden State Warriors).

Apesar de perderam a sua jovem super estrela Deni Avdija para o Draft, a equipa da capital tem aqui um dos planteis mais sólidos dos últimos anos para voltar a atacar os lugares de playoffs da Euroleague.

Valencia Basket

O Valencia Basket atacou muito cedo o mercado, garantindo logo nomes de destaque como Martin Hermannsson, Nikola Kalinic e Derrick Williams, que são reforços de peso, e pouco comuns para este clube. A experiência do plantel será um fator essencial nesta competição, sendo que as lacunas que tinham, sobretudo no que toca a marcação de pontos, deverão estar preenchidas, nem que seja pelo scorer Klemen Prepelic.

Zenit St Petersburg

São 9 os reforços do Zenit para esta temporada, novamente mudando praticamente toda a sua equipa, tal como aconteceu no defeso anterior. Os russos continuam a investir a olhos vistos, na procura da fórmula perfeita.

As entradas do atirador Billy Baron e de jogadores interessantes como Kevin Pangos, Arturas Gudaitis e Alex Poytress, torna este conjunto um dos mais equilibrados da competição. Mas será esse equilíbrio sinónimo de regularidade? Essa tem sido a grande questão nas carreiras da maioria destes atletas.

Olympiacos Piraeus

A grande notícia deste Verão foi o retorno do filho pródigo a casa em Kostas Sloukas, que vem reforçar um backourt para onde também chega Aaron Harrison que terá aqui a sua primeira experiência Euroleague. As entradas de Shaquille McKissic, Livio Jean Charles e Charles Jenkins, torna esta equipa uma das mais versáteis defensivamente em toda a Europa, algo que certamente agradará o treinador Giorgios Bartzokas.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter