Liga Betclic Feminina e os maiores destaques do fim de semana

José AndradeAbril 13, 20229min0

Liga Betclic Feminina e os maiores destaques do fim de semana

José AndradeAbril 13, 20229min0

Para hoje, o nosso habitual texto com quem mais se destacou nos duelos que marcaram o fim de semana da nossa cada vez mais ao rubro e espetacular, Liga Betclic Feminina que viu ficarem encontradas as quatro melhores equipas que vão discutir quem vai chegar à final já a partir da próxima sexta-feira, por isso mesmo venham connosco ver quem mais se destacou porque as escolhas foram muito complicadas.

Eva Carregosa – Fechar a época como começou, em destaque

Começamos pelo playout, o Francisco Franco recebeu e venceu o Olivais FC por 77-67 e garantiu assim a manutenção na Liga Betclic Feminina. A equipa de Coimbra lutou muito, não foi um jogo fácil, mas o Olivais esteve até ao fim na luta e a dar tudo, mais um jogo onde a raça desta equipa ficou à vista. O Francisco Franco conseguiu “fugir” apostando na velocidade nas transições, Dayna e Katherine também elas a terminar a época em alta, tal como foi normal durante toda a temporada. Bianca Silva muito forte na luta das tabelas, mas nesse capítulo destaque para Leonor Santos que voltou a entrar muito bem e conseguiu ajudar a travar a superioridade na zona interior do Francisco Franco. Num jogo muito intenso, o menor número de soluções pesou no Olivais, mas a equipa bateu-se e nunca desistiu.

Além das norte-americanas, destacar o ótimo jogo de Cristina Freitas. Do lado do Olivais, Mafalda Pompeu muito bem, esteve em evidência no aspecto defensivo, teve que “aguentar” Dayna Rouse e esteve muito bem na tentativa da equipa de Coimbra em fechar os caminhos para o cesto. Menção ainda para a boa entrada de Mariana Garrido, mais uma vez entrou bem e “mexeu” com o jogo. O destaque maior vai para Eva Carregosa, a base foi uma das estrelas desta Liga Betclic, foi uma das maiores figuras e terminou como começou e como foi o seu normal, a jogar muito bem, mesmo num jogo onde o tiro exterior não caiu. Neste desaire que ditou a descida do Olivais, Eva Carregosa conseguiu 20 pontos (8 em 10 de lançamentos de campo, 1 em 9 na linha de três pontos e 1 em 3 na linha de lances livres) acrescentando ainda 3 ressaltos, 1 assistência e 2 roubos de bola.

Carolina Rodrigues – Em modo estrela

O SL Benfica depois da derrota no primeiro jogo com o Vitória SC foi obrigado a lutar e a ser a única equipa a precisar dos 3 jogos e neste fim de semana as comandadas de Eugénio Rodrigues venceram o segundo e terceiro jogo por 77-58 no sábado e 65-54 no domingo garantindo assim a passagem às meias-finais do playoff da Liga Betclic Feminina. Dois duelos diferentes, no sábado a equipa encarnada conseguiu uma vitória mais folgada fruto de uma entrada fulgurante no encontro e de um último quarto onde o Vitória acusou algum cansaço. No jogo de domingo, foi bem diferente, jogo muito mais equilibrado, o Vitória conseguiu mesmo no segundo quarto deixar o Benfica em dificuldades, mas voltou a ser o último período a fazer a diferença para o lado da equipa da luz.

Dois grandes jogos, luta até ao fim e o Benfica a ter de suar muito ara conseguir chegar à próxima fase da Liga Betclic Feminina. Nestes dois duelos tivemos destaques que não mudaram, do lado do Vitória, Filipa Barros a mais regular, sempre a assumir, sempre a conseguir fazer a diferença, além da base ainda Kahlia Lawrence que brilhou mesmo que não no mesmo nível que no primeiro jogo. Do lado do Benfica, Raphaella Silva obviamente e como sempre em destaque, a internacional canarinha sempre regular e sem baixar o seu rendimento, mas o maior destaque foi Carolina Rodrigues. A base que chegou às campeãs nacionais oriunda da SIMECQ, foi a jogadora que mais brilhou, tal como nas finais nesta temporada, Carolina Rodrigues surgiu a pegar no jogo, sem tremer e sendo um farol para o conjunto do Benfica.

Licinara Bispo – Força e estilo

No segundo jogo deste duelo, o União Sportiva recebeu e venceu o Quinta dos Lombos por 73-61 garantindo dessa forma a presença na meia-final do playoff da Liga Betclic Feminina. Duelo começou muito equilibrado, com os Lombos a cometerem muitos turnovers que o Sportiva soube aproveitar de forma eximia. A superioridade das açorianas a surgir no terceiro quarto, mais Nausia em jogo e a equipa de José Leite a gerir melhor os tempos de jogo, sem erros, sem precipitações e saber sempre contemporizar no ataque em busca da melhor solução, a juntar a isso o jogo interior onde o Sportiva esteve melhor.

Os Lombos sentiram mais dificuldades, faltou agressividade e a habitual força no jogo interior. O Lombos melhora muito com a entrada da Filipa Cruz, mas o principal problema da equipa da linha foram sempre os erros, muitos turnovers que custaram ao Lombos muito neste jogo. O jogo interior a ser o fator diferencial. Nos destaques individuais, Filipa Cruz Luiana Livulo os maiores do lado do Quinta dos Lombos, já no União Sportiva, Nausia Woolfolk que como sempre encheu o campo e iluminou esta partida com uma excelente exibição, mas o maior destaque vai para Licinara Bispo. A poste foi quem fez a diferença, garantiu a superioridade do Sportiva e fez um dos melhores jogos desde que chegou à nossa Liga Betclic Feminina. Neste duelo Licinara conseguiu, 16 pontos (com 8 em 12 de lançamentos de campo) ainda 18 ressaltos e 1 roubo de bola.

Carolina Bernardeco – Brilha mesmo nos maus momentos

O AD Vagos recebeu e venceu o CAB Madeira por 81-53 e conseguiu assim garantir presença na meia-final do playoff da Liga Betclic Feminina. O CAB Madeira entrou melhor, as duas faltas de Carolina Bernardeco condicionaram cedo a estratégia das madeirenses, mas o Vagos deu a volta quando Susana Carvalheira saiu e a equipa passou a jogar de uma forma mais rápida criando mais dificuldades à defesa do CAB. O CAB voltou a entrar melhor no segundo quarto, contragolpes mortíferos, mas a verdade é que o Vagos depois de sentir alguns problemas acabou por voltar a fugir através do tiro exterior que mais uma vez foi fazendo a diferença para a equipa da casa. O CAB acaba por conseguir equilibrar no segundo quarto, muito pelas ações de Carolina Bernardeco que iam fazendo a diferença, mas muito equilíbrio num grande jogo em Vagos. A verdade é que depois do equilíbrio, tudo mudou com um terceiro quarto onde o Vagos se superiorizou através de uma eficácia muito elevada no ataque para o lado das jogadoras de João Janeiro.

O CAB ia tentando através de rasgos individuais e muito pela Alice Martins que na luta do jogo interior foi conseguindo ser das melhores num terceiro quarto onde nada saiu bem à equipa da Madeira. No último período, Fátima Silva apostou nas mais novas e elas conseguiram mostrar, o Vagos estava confortável no jogo e acabou por gerir esta vantagem. Nos destaques individuais, Devon Brookshire que esteve mais uma vez fabulosa, ainda Rita Oliveira que continua de mão quente e Martha Burse que com o seu grande pulmão acabou por fazer toda a diferença. No CAB apesar do desaire, destacar Alice Martins, lutou imenso e esteve sempre bem no jogo, Isabel Berenguer, uma base que é impossível não ser fã, sempre muito lutadora, mas o maior destaque foi Carolina Bernardeco. A base e figura maior do CAB mesmo não tendo atuado no último quarto e mesmo com a questão das faltas, foi quem mais tentou, quem mais brilhou e mesmo num jogo complicado foi a figura maior mostrando a sua imensa qualidade.

Leonor Serralheiro – Nunca joga mal

O GDESSA triunfou por 64-58 na receção ao Esgueira e dessa forma carimbou a presença na meia-final do playoff da Liga Betclic Feminina. Foi o Esgueira a entrar melhor, a equipa visitante foi em busca de conseguir dar a volta à eliminatória e por isso mesmo uma entrada ótima que animou ainda mais tudo. O GDESSA demorou para conseguir acertar o tiro exterior e isso fazia a diferença. Jogo muito equilibrado, o GDESSA foi crescendo depois de um começo um pouco pior. Esgueira sempre muito bem, todas as jogadoras a serem importantes, todas as jogadoras sem medo de assumirem e criaram problemas ao GDESSA. Jogo muito rápido, muito intenso, tivemos uma grande luta entre postes, mas sempre muito equilíbrio e foi uma partida muito eletrizante a ser decidida nos últimos segundos do encontro.

Nos destaques individuais, Trudy e Vashti os nomes em maior evidência no Esgueira, mas as irmãs Raimundo estiveram muito bem, sempre que conseguiram espaço apareceram e fizeram a equipa jogar muito. Do lado do GDESSA, Márcia da Costa Robalo que marca o cesto decisivo, mas apareceu em todos os momentos e é uma jogadora que joga sempre bem, Maianca Umabano também muito bem, mas o maior destaque vai para Leonor Serralheiro. A base do GDESSA voltou a ser a líder, assumiu, criou, fez jogar e como em todos os jogos foi uma das estrelas da equipa e do fim de semana. Leonor Serralheiro conseguiu 16 pontos (2 em 4 nos lançamentos de campo, 1 em 5 na linha de três pontos e 9 em 10 na linha de lances livres) ainda 6 ressaltos, 4 assistências e 2 roubos de bola.

Ficaram encontradas as quatro melhores equipas desta edição da Liga Betclic Feminina, tudo ainda mais ao rubro, nervos à flor da pele para as meias-finais dos playoffs da fantástica Liga Betclic Feminina que apaixona e que voltou a mostrar o porquê de ninguém poder perder nenhum jogo porque é garantido que ficamos colados e maravilhados em todos os jogos.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter