Liga Betclic 4ª jornada – Espetáculo e excelentes jogos

José AndradeOutubro 19, 202111min0

Liga Betclic 4ª jornada – Espetáculo e excelentes jogos

José AndradeOutubro 19, 202111min0
Um fim-de-semana de grandes emoções na Liga Betclic de basquetebol feminino, que José Andrade explica o que aconteceu em todos os jogos

Esta semana, voltamos com um texto sobre a espetacular Liga Betclic Femenina, desta vez um pouco diferente e mais completo. Por isso mesmo, venham dai que temos muito para falar sobre a 4ª jornada da Liga Betclic Feminina.

GDESSA Barreiro – Clube Galitos Dr. Semblano: Alta intensidade

No Pavilhão Municipal Professor Luís de Carvalho, a equipa de Ricardo Oliveira venceu o Galitos por 93-51 e assim o GDESSA mantém a invencibilidade, num jogo onde foi Jeanne Morais marcou os primeiros pontos do encontro e onde a responde não tardou com Maianca desde cedo a mostrar novamente toda a sua qualidade. Jogo muito veloz desde o começo, mas a defesa alta e a pressão do GDESSA foram desde cedo fazendo a diferença neste encontro.

Destacar a estreia de Maritza Rodrigues no lado do Galitos, a poste mexicana foi mesmo uma das melhores da equipa neste encontro. GDESSA mais uma vez teve de gerir as suas jogadoras, pela pressão intensa e asfixiante que colocam, muitas jogadoras acabam por ficar cedo condicionadas por faltas, como aconteceu com Márcia da Costa Robalo que cedo ficou com duas faltas, mas mais uma vez esta gestão levou a que as jovens do Barreiro tivessem mais tempo de jogo e com isso conseguimos ver mais de Inês Capela, Joana Lopes, Maria Gonçalves e mesmo de Catarina Barata.

Dois dos grandes duelos deste encontro foram entre Barbara Souza e Letícia Josefino, além do duelo entre Maritze e Rita Rodrigues, as interiores de ambas as equipas em grande destaque, com o GDESSA a ser mais forte, com a jovem Rita Rodrigues a estar em evidência mais uma vez com o excelente trabalho para a busca pela sua mão esquerda que não deu hipóteses a ninguém. GDESSA do princípio ao fim a ser muito pressionante e com isso o Galitos nunca conseguiu criar, que só conseguiu a espaços, e através das individualidades, conseguindo alguns bons momentos nesta partida. Destaques individuais no lado do GDESSA, para além de Briana Green e Letícia Josefino, é preciso falar do bom jogo de Leonor Serralheiro. Do lado do Galitos, Ana Ramos que através do tiro exterior foi levando a equipa de Aveiro, ainda Maritza Rodriguez e por fim Daniela Domingues, uma jogadora que joga sempre bem e que mais uma vez foi das melhores.

União Sportiva Azorishotels – Olivais FC: Jogo da competência e dos azares

O União Sportiva venceu o Olivais por 87-46, vitória que é incontestável, mas que é preciso realçar o azar do Olivais, porque foi uma equipa que sempre tentou, de todas as formas e que viu a bola não cair em muitos momentos. Jogo começou com as duas equipas a defender individualmente no Pavilhão Desportivo Sidónio Serpa e com os primeiros pontos deste jogo a serem de Kasiyahna Kushkituah. Olivais como sempre a procurar a velocidade, sair sempre rápido e na busca pelo tiro exterior, do outro lado o Sportiva com um jogo mais pausado e pensado. Kasiyahna não demorou para começar a dominar no jogo interior, Raquel Alves mais uma vez ia sendo a jogadora mais do Olivais, mas a verdade é que a equipa de Coimbra foi demorando para conseguir pontuar, mesmo conseguindo defender bem o Sportiva que procurava apenas o jogo interior e com isso as comandadas de Fernando Brás iam conseguindo anular o ataque das açorianas.

O Sportiva começou a “fugir” no encontro quando apresentou mais soluções no ataque, deixaram de procurar apenas o jogo interior e com isso a equipa do Olivais sentiu mais problemas. Mafalda Pompeu menos utilizada, mas uma das melhores, pois sempre que entrou esteve muito bem, deu outra velocidade à equipa. Oyanaisy Gonzalez apareceu melhor na segunda parte, do lado do Sportiva Joana Alves voltou a entrar muito bem no jogo, sempre concentrada e focada. Olivais com o passar do jogo começou a quebrar, a equipa nunca desistiu, mas o cansaço e as bolas não chegarem a bom porto, foram deixando a equipa pior no encontro, tendo de realçar que até ao fim tentaram de tudo e como sempre nunca baixaram os braços. Nos destaques individuais, temos do lado do União Sportiva Joana Nausia Woolfolk e a Simone Costa que sempre rende, mesmo sem ser exuberante; do lado do Olivais destacar a Oyanaisy Gonzalez que, inevitavelmente, com 19 anos tem que ser destacada e além desta atleta há ainda que destacar Eva Carregosa, que assumiu sempre o jogo, vai para cima e luta até ao último momento.

Guifões SC – SL Benfica: Superioridade encarnada

Jogo desequilibrado, apesar do Guifões ter começado bem e até ter criado alguns problemas ao Benfica, com a equipa de Lisboa a acabar por vencer de forma clara por 87-26 no Pavilhão Guifões-Engenheiro António Maia. Nos minutos iniciais o Benfica dava espaço à equipa da casa ainda conseguiu pontuar e mostrar algo mais no encontro, mas assim que a equipa de Eugênio Rodrigues subiu e pressionou mais a equipa do Guifões começou a piorar.

Ana Almeida, que foi um dos nossos destaques das três primeiras jornadas, foi sempre a melhor do Guifões, muito regular, a pegar no jogo e sempre envolvida nas dinâmicas da sua equipa. As comandadas de Gustavo Mota usava e abusava do tiro exterior, o Benfica foi dominando no jogo interior e sempre que conseguiram sair rápido, com o Guifões a ficar numa situação ainda mais complicada.

Destacar a estreia de Isabel Leite, uma jogadora que simboliza o Guifões e que regressou para ajudar a sua equipa, ela é um nome enorme no nosso basquetebol e este regresso é de saludar muito ainda mais pelo momento da equipa. Myriam Ackerman dominou o jogo interior, destacar ainda Carolina Rodrigues que mais uma vez entrou muito bem, a base internacional portuguesa como sempre a entrar e a mexer com o jogo. Do lado do Guifões Filipa Teixeira foi dos elementos mais importantes, pois a jovem foi tentando lutar contra Ackerman, Laura Ferreira e Mariana Silva, e ganhar na luta das tabelas e conseguiu o em alguns momentos fazer mais do que esperado. Benfica venceu, sempre que acelerava ficava ainda mais confortável no jogo, realçar o tempo de jogo dado por Eugênio Rodrigues a algumas jovens, como Maria Lopes, Cynthia Dias, Ana Barreto e Carolina Gonçalves, grandes talentos que puderam jogar e mostrar mais.

CAB Madeira – Vitória SC: Continua a invencibilidade Madeirense

A equipa da nossa convidada do último “Sixth Woman” venceu o Vitória SC por 72-65 no Pavilhão do CAB, em mais um grande jogo nesta nossa Liga Betclic Feminina. O jogo abriu com um triplo de Bria Dial que mostrou logo aqui aquilo que viria a ser uma constante neste jogo, do outro lado foi Filipa Barros a pegar no Vitória e a resposta da equipa de Guimarães não tardou e veio do canto com um belo lançamento de Sara Ressurreição.

Jogo muito rápido, ataque e contra-ataque, muitas situações de 1×1 e de desequilíbrio para ambos os lados. Alice Martins voltou a entrar muito bem, acabou por estar em dois dos duelos deste encontro, com Nikita Telsford e com Kamera Harris. Alice muito importante, porque o Vitória como esperado entrou mais forte e dominante na luta dos ressaltos. Catarina Mateus esteve sempre de mão quente, a jogadora do Vitória foi a principal arma nos lançamentos exteriores.

No segundo quarto o CAB conseguiu um parcial de 9-0, muito por Carolina Bernardeco que pegou ainda mais no jogo e que apareceu no momento ideal porque conseguiu anular o ligeiro ascendente do Vitória. Tal como Alice Martins, também Isabel Berenguer a entrar muito bem, duas jogadoras que sempre saltam bem do banco, no caso de Isabel pelo que dá no ataque, pelo que cria e pela forma que defende, é aquela base que defende muito bem e mais uma vez isso foi visível e fez a diferença.

No terceiro quarto, o CAB entrou muito bem, voltou a ter um parcial de 8-0 e mais uma vez era a defesa pressionante e Carolina Bernardeco que mais se destacavam. O Vitória melhorou quando surgiu Kahlia Lawrence, a jogadora que já deu provas da sua muita qualidade, pois foi a principal responsável pela melhoria na equipa de Guimarães durante este período. O CAB conseguiu recuperar desta desvantagem e passar para a frente, com uma exibição defensiva de luxo. Catarina Mateus foi constantemente uma das principais jogadoras do lado do Vitória, esteve o jogo todo de mão quente, tal como Bria Dial que foi atirando sem dó. O Vitória ainda mudou, tentou sempre, subiu as linhas, aumentou a pressão e conseguiram em alguns momentos aproximar mais do CAB, mas a verdade é que a equipa da casa foi mais forte, jogadoras como a Laura Silva ou a Soraia Caires foram importantes pela forma como entraram na partida.

Destaques individuais vão para, do lado do CAB, Bria Dial que com 20 pontos é um destaque incontornável, mas Isabel Berenguer que quando entrou mudou o jogo tem que ser muito destacada, do lado do Vitória, Kahlia Lawrence com 25 pontos e além dela a Catarina Mateus que foi uma das que mais tentou.

CDEFF – CRC Quinta dos Lombos: Venceu quem mais fez

No jogo que deu abertura a esta quarta jornada, a equipa do Clube Desportivo Escola Francisco Franco venceu por 64-61 o CRC Quinta dos Lombos no Pavilhão Francisco Franco. Jogo começou como esperado com muitos duelos, duas equipas fortes no interior e com isso não tardou para ser visto o começo das batalhas entre as jogadoras mais altas. Matilde Pereira marcou os primeiros pontos desta partida, do lado do Francisco Franco, Chana Paxixe esteve desde o começo muito bem neste encontro.

A equipa da casa foi contando sempre com Dyana Rouse e Katherine Andersen, as duas com elevado protagonismo na equipa de Paulo Freitas. Do lado dos Lombos, mais um ótimo jogo de Carolina Cruz, ela que em alguns momentos assumiu os comandos da equipa, organizando até o jogo da equipa de José Leita, algo que ela faz muito bem e que a diferencia de outras postes, além disso ela foi sempre atirando e criando perigo da linha de três pontos. A equipa da casa melhorou quando passou para defesa à zona, depois José Leite conseguiu contornar e com isso criar problemas à equipa do Francisco Franco e só por aqui podemos ver que foi sempre um jogo muito tático. A equipa da casa dominou nos ressaltos ofensivos e esteve aí uma das chaves deste encontro, mas o equilíbrio reinou, nunca a vantagem da equipa da casa chegou a uma dezena de pontos. Um dos duelos que marcou este jogo foi protagonizado por Letícia Rodrigues e Bianca Silva.

Mariana Carvalho com mais um jogo onde apareceu em todo o lado, os Lombos foram aproveitando o maior número de soluções, mas a verdade é que mesmo com algum cansaço a equipa da casa conseguiu sempre aguentar e vencer este duelo onde as duas equipas lutaram do primeiro ao último segundo e a cada bola. Nos destaques individuais, temos do lado da Quinta dos Lombos, a Carolina Cruz e a Filipa Cruz, do lado do Francisco Franco, temos a Dayna Rouse e a Chana Paxixe.

MVP desta jornada

Isabel Berenguer – incansável  

Pode parecer estranho destacar quem não pontuou mais, mas é preciso ir além do Boxscore de cada jogo, é isso que tento aqui fazer e por isso mesmo este destaque é dado a Isabel Berenguer, como eu falei no texto do jogo onde o CAB Madeira venceu, a Isabel mudou o jogo e além dos 14 pontos, sendo deles 4 em 6 nos lançamentos de campo, 2 em 2 na linha de três pontos, 4 em 4 na linha de lances livres, mais 1 ressalto e 2 roubos de bola, está o que Isabel fez neste jogo, porque além do que ela mudou e acrescentou na organização ofensiva, está o que ela fez na defesa, por isso mesmo é a MVP desta jornada para mim.

Por esta semana é tudo, deixamos aqui o resumo do que aconteceu nesta 4ª jornada da Liga Betclic Feminina e já sabem que amanhã é dia de “Sixth Woman”, não percam que a conversa vai ser muito interessante.

 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter