SL Benfica: Os que não contam para Roger Schmidt

Fair PlayJulho 21, 20224min0

SL Benfica: Os que não contam para Roger Schmidt

Fair PlayJulho 21, 20224min0
Renovação, limpeza ou reconstrução, tanto faz, Roger Schmidt está a processar mudanças no SL Benfica e Emanuel Ricardo conta-te o que se passa

Artigo escrito por Emanuel Ricardo a falar do estado actual do SL Benfica e as mudanças realizadas por Roger Schmidt 

Após mais uma época sem qualquer título para o Sport Lisboa e Benfica a chegada de Roger Schmidt à Luz para 2022/2023 promete uma revolução no plantel encarnado. O mercado de transferências de verão, iniciado há sensivelmente três semanas, já trouxe ao plantel de Schmidt bastantes caras novas, aumentando ainda mais o número de jogadores à disposição do treinador alemão. Foram convocados para o estágio do Benfica, realizado no Algarve, 39 jogadores, o que torna a gestão de balneário complicada. Naturalmente seguir-se-ão os cortes no plantel. Existe um conjunto total de 10 jogadores que aparentemente já não contam para o novo treinador.

Os Veteranos

André Almeida, Pizzi, Adel Taarabt e Haris Seferovic. Existe no plantel benfiquista um grupo de jogadores na casa dos 30 anos, que já pertencem aos quadros encarnados há algumas temporadas. Atletas que deram glórias ao Benfica, mas que também estiveram envolvidos em episódios menos positivos no clube de Lisboa. André Almeida, atual capitão, quando vai a jogo, mostra sinais de fraca forma física, desde a lesão no joelho na época 20/21. Dificilmente se adapta ao sistema de Roger Schmidt.

Relativamente ao meio-campo idealizado por Schmidt existem dois atletas neste grupo que não se adaptam à mentalidade incutida pelo treinador alemão. São taarabt e Pizzi, sendo que o último já foi emprestado aos turcos do Basaksehir, no último mercado de transferências, em janeiro, após um suposto desentendimento com Jorge Jesus. De relembrar que Pizzi foi um dos jogadores mais influentes e constantes das últimas 8 temporadas das águias.

Um dossier aberto do Benfica nos mercados anteriores tem sido Haris Seferovic. Muitas vezes inconsistente em campo e um ponta de lança pouco móvel para Schmidt o suíço está há 5 anos no Benfica. Em três desses anos não passou a marca dos 10 golos e nos outros dois ultrapassou a marca dos 25 golos, registos díspares. Ao que consta na comunicação social estará perto de uma transferência para o Galatasaray.

Os “flops” da última época

O investimento feito pela estrutura encarnada na última temporada revelou-se um pouco transviado, com algumas contratações a não mostrarem a qualidade pretendida para o plantel do Sport Lisboa e Benfica. Existe então a intenção do clube lisboeta tentar reaver algum desse investimento através da venda desses mesmos atletas.

Dentro destes casos temos claramente Meïté como grande protagonista, após um investimento de 6M por parte do Benfica o internacional sub-20 francês foi utilizado em 27 jogos, somando somente 1357 minutos , com um total de 0 golos e 0 assistências.

Gil Dias é outro atleta que não está nos planos de Roger Schmidt ainda mais depois da chegada do sérvio Ristic, para substituto de Grimaldo na lateral esquerda, cargo que na época passada pertencia ao ex-Rio Ave e Famalicão, sem muito sucesso.

A lista de atletas finda com Rodrigo Pinho. Jogador vindo do Marítimo a custo zero realizou um total de 3 jogos pelos encarnados, 82 minutos e um golo, lesionando-se de seguida e nunca mais disputou uma partida. Ao que tudo indica está agora de partida da Luz.

Gabriel

O empréstimo de Gabriel ao clube Al-Gharafa do Catar trouxe consigo números bastante interessantes, contando com um total de 7 golos e 10 assistências apoiados por várias exibições de alto nível do jogador, outrora número oito titular do meio-campo encarnado. Apesar destes fatores e após nenhum minuto na pré-época parece que o médio não conta para Roger Schimdt e deve abandonar o Sport Lisboa e Benfica ainda neste defeso. Resta a questão se por empréstimo ou em definitivo.

Demasiadas oportunidades e pouco rendimento

Dois dossiês claramente em aberto para a próxima época são os de Diogo Gonçalves e de Chiquinho. Dois atletas com várias partidas pelos encarnados nas suas carreiras, mas que nunca se assumiram no 11 titular.

Diogo Gonçalves é um produto de formação do Sport Lisboa e Benfica, tendo sido lançado por Rui Vitória. Após dois anos de empréstimo volta à luz onde ainda é titular em alguns jogos a ala numa formação com três defesas centrais. Nunca se assumiu nem como extremo, nem lateral, numa formação com dois centrais. Ao que tudo indica não possuí as qualidades que Schmidt idealiza para ambas as posições.

Chiquinho chegou à luz após uma bela temporada no Moreirense há uns anos atrás mas nunca se afirmou como titular no Benfica. Nos jogos de pré-temporada já jogou a 10 e a extremo sempre com performances fracas, não sendo um jogador que costume vingar nos sistemas exaustivos de Schmidt.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter