O mercado da Bwin Liga Verão de 2021: notas de alguns negócios

Francisco IsaacAgosto 30, 20218min0

O mercado da Bwin Liga Verão de 2021: notas de alguns negócios

Francisco IsaacAgosto 30, 20218min0
Escolhemos uns quantos negócios desta janela de transferências de Verão para analisar. Quem tem estado com melhor olho neste mercado?

De negócios de boa qualidade, a saídas que não receberam a atenção devida até aos empréstimos que podem surtir efeitos imediatos (e a médio-prazo) em algumas das equipas da Bwin Liga, analisados neste artigo que avalia uns quantos detalhes e pormenores do mercado de 2021 em Portugal.

SAÍDAS QUE PASSARAM DESPERCEBIDAS

Um mercado extremamente activo para o futebol português, com centenas de saídas dos clubes (a maior parte foi transferida para emblemas nacionais da mesma divisão ou da segunda liga), sendo que alguns abandonaram, para já, Portugal a título definitivo como foi o caso de Luther Singh (ex-SC Braga), Anderson Silva (ex-FC Famalicão), Alexandre Guedes (ex-Vitória SC), Ricardo Mangas (ex-FC Boavista), Lourency (ex-Gil Vicente FC), Amir Abedzadeh (ex-SC Marítimo), Gonçalo Silva (ex-Belenenses SAD), ou Miguel Luís (ex-Vitória SC).

Destes nomes, que ainda se podiam incluir outros, três saltam à vista começando pelo internacional sul-africano, Luther Singh, um extremo que deliciou os adeptos da primeira liga nestas últimas três temporadas, afirmando-se quer no GD Chaves, como no FC Moreirense e Paços de Ferreira, totalizando 10 golos e 10 assistências em 61 jogos, não tendo sido suficiente para convencer a Carlos Carvalhal a mantê-lo no plantel para a nova época. A SAD bracarense lucrou quase 2M€ com a transferência (1,5M€), valor pago pelo FC Copenhaga da Dinamarca, e não há dúvidas que deixará algumas saudades no que toca ao poder de explosão, sagacidade, raça e vontade de criar espaços na defesa contrária.

Em 2º lugar entra Ricardo Mangas, lateral esquerdo português de 23 anos, que depois de subir a pulso na carreira acabou por ascender no FC Boavista, onde foi um dos melhores activos na temporada transacta (28 jogos, 3 golos, 1 assistência e uma média de 3 desarmes por jogo), para se transferir em direcção ao Bordeaux, ficando o clube francês obrigado a pagar 1,5M€ no fim desta época. Mangas, que mereceu diversos elogios na época passada, acabou por beneficiar da ligação entre a SAD dos panteras e dos girondinos, naquela que é o seu primeiro contrato fora do território nacional. Poderia ter sido um aditivo de qualidade para o Vitória SC ou SC Braga, seguindo-se agora outra direção na carreira do defesa-esquerdo.

A 3ª vaga poderia ficar preenchida quer por Lourency (contratado pelo Göztepe) ou Amir (o guardião iraniano foi um dos “salvadores” do SC Marítimo em 2020/2021), optando por colocar o nome de Anderson Silva, avançado brasileiro que deixou excelentes notas ao serviço do FC Famalicão, seja pelos golos (14 na Liga NOS), assistências, rasgos técnicos, dribles mortíferos ou a capacidade de rapidamente surgir entre espaços. Durante algum tempo surgiram rumores que o SC Braga estaria interessado no seu concurso, mas o avançado acabou transferido para a China a troco de 2M€.

VENDAS DE BOA QUALIDADE

Sem falar das vendas dos principais emblemas nacionais (SL Benfica com a maior venda dos quatro candidatos ao título, graças à venda de Pedrinho para o Shakhtar por 18M€), só um clube aparece no top-10 nacional de transações, e esse é o FC Famalicão, que com a venda por 6,5M€ de Manuel Ugarte para o Sporting CP garantiu o 5º lugar (para já) nesta secção. O uruguaio marcou a sua passagem

Outro destaque vai para a transferência de Samú Costa, que passou despercebida, de forma até surpreendente, pois o trinco custou 5,25M€ ao Almería da La Liga 2, garantindo ao SC Braga um encaixe bem interessante para um atleta que nunca contou para o plantel principal, isto e apesar da boa qualidade como recuperador de bola e da jovem idade (20 anos). Uma transação que pouca atenção mereceu e que demonstra o crescimento dos bracarenses enquanto vendedores de talentos do campeonato português.

Alberth Elis não conta como venda em 2021, já que a transferência a título definitivo só será realizada no próximo início de Verão, mas a verdade é que o Boavista garante cerca de 7,5M€ pela venda de uma suas coqueluches em 2020/2021, que parte assim para Bordéus onde se junta a outro ex-pantera, o lateral-esquerdo Ricardo Mangas. Elis foi uma das revelações da temporada anterior de todo o campeonato, visto como uma contínua ameaça para os flancos adversários, isto tanto devido à sua versatilidade, agilidade e engenho para inventar lances de ataque de excelência, como se confirma pelos 8 golos e 6 assistências (valeu 14 tentos, quase 40% da produção ofensiva dos axadrezados) e enche, deste modo, os cofres do emblema do Bessa.

O colombiano Cassierra foi uma das últimas (e difíceis) vendas do Belenenses SAD, seguindo caminho para a liga russa, onde jogará ao serviço do FC Sochi, com a SAD liderada por Rui Pedro Soares a ter somado quase 1,5M€ pela transferência do ponta-de-lança. Mateo Cassierra aproximava-se do fim do contrato que o ligava ao clube de Oeiras, e depois de ter somado duas boas épocas (na anterior chegou à dezena de golos na Liga NOS) em Portugal sai para uma nova liga e contexto, deixando, no entanto, o plantel de Petit mais pobre no ataque à manutenção.

Ao todo, tirando Sporting CP, FC Porto, SL Benfica e SC Braga da equação, os restantes clubes nacionais somaram um total de 16M€ em vendas directas (não está contabilizada, por exemplo, a venda de Elis ao Bordéus), tendo sido um número abaixo do que registado em 2019/2020, já que nessa época foram no valor de 38M€ (Pedro Gonçalves, Toni Martinez, Pêpê, Nuno Santos, Bruno Tabata, entre outros), mas reflexo do impacto da pandemia no mercado de transferências.

EMPRESTADOS COM NOTA ALTA

Que empréstimos merecem especial atenção neste mercado de transferências? Existem diversos tipos, sejam os que procuram voltar à melhor forma como o caso de Carraça (uma época inteira sem jogar na equipa principal, só voltou a jogos a valer pela equipa B do FC Porto) ou Guilherme Schettine, que querem se afirmar no futebol português em definitivo como Pedro Marques (o ponta-de-lança do Sporting CP fez 5 golos em 15 jogos pelo Gil Vicente em 2020/2021) ou Eduardo Quaresma (entrou a “matar” pelo CD Tondela) ou aqueles sonantes e mais curiosos como Shoya Nakajima (regresso a Portimão será também o retorno ao seu melhor?) ou Nahuel Ferraresi. São diversos para a escolha, mas escolhemos, também, só três para justificar esta secção: Eduardo Quaresma, Shoya Nakajima e Marcos Paulo.

O central do Sporting CP optou por ser emprestado ao CD Tondela de modo a garantir minutos no principal escalão de futebol em Portugal, preparando-se para regressar, num futuro próximo, a Alvalade e se afirmar em definitivo numa defesa que neste momento é dominada por Coates, Feddal e Gonçalo Inácio. No arranque do campeonato, Eduardo Quaresma tem sido sensacional e registou até uma estupenda exibição no Estádio da Luz, fazendo valer o seu poder de antecipação, inteligência e vontade de dar uma vida extra à sua equipa, apontamentos que já tinham sido identificados por Rúben Amorim em 2019/2020, sendo fundamental que o central continue a agarrar esta oportunidade para singrar no topo do futebol português.

Shoya Nakajima depois de uma época e meia turbulenta com Sérgio Conceição, uma ida para as árabias que começou com uma lesão grave, regressa a uma casa que conhece bem e onde foi foi um dos maiores protagonistas com 15 golos e 20 assistências no espaço de 69 jogos. É visto como um reforço-bomba para o Portimonense que parece estar a refazer uma equipa compacta e de alta voltagem (retornos de Fabrício e Ewerton indicam isso mesmo) ficando só a dúvida se o japonês ainda está capaz de ser uma dor-de-cabeça constante para os adversários ou se os problemas gerados no Dragão e a lesão no joelho terão danificado a sua forma explosiva de jogar e sair com a bola.

Por fim, o Atlético de Madrid mantém uma relação muito próxima com o FC Famalicão, emprestando novamente um dos seus jovens activos, agora pela forma de Marcos Paulo. O extremo brasileiro é um dos “diamantes” actuais do futebol brasileiro, tendo singrado muito novo no Fluminense, viajando para o Atlético Madrid no início deste Verão, sem que tivesse, na realidade, tido uma oportunidade para se mostrar ao sempre exigente Diego Simeone, o que faz desta aventura em Famalicão ainda mais importante. Virtude no pé esquerdo, velocidade de fina qualidade e sem medo de ir para cima dos laterais, Marcos Paulo pode vir a ser internacional português no futuro, caso consiga se impor nesta sua primeira estadia na Bwin Liga.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter