Onde é que anda o flop: Marco Zoro, um central com uma só vitória na Luz

Rui MesquitaMaio 18, 20193min0

Onde é que anda o flop: Marco Zoro, um central com uma só vitória na Luz

Rui MesquitaMaio 18, 20193min0
Marco Zoro chegou à Luz em 2007 mas o central costa-marfinense não foi feliz em Lisboa. Descobre o que é feito deste flop encarnado!

Corria o ano de 2007 e o Benfica enfrentava uma nova época em busca do título. Mas a época não podia ter sido mais atribulada. 3 treinadores numa só temporada (Fernando Santos, Camacho e Chalana) e um quarto lugar que desiludiu toda a gente.

Chegada e saída da Luz, 7 jogos depois

No meio dessa época tão mal conseguida, estava Marco Zoro, central costa-marfinense. Zoro chegou dos escalões inferiores de Itália depois de dar nas vistas no modesto Messina. Aos 24 anos, o central africano rumava a custo zero para a Luz.

Zoro chegava como um central forte e possante mas na Luz teve pouco espaço para mostrar isso. Luisão e Edcarlos foram os titulares durante quase toda a época e havia ainda um jovem brasileiro a despontar, de seu nome David Luiz. Desta forma, Zoro jogou apenas 7 vezes pelo Benfica e, nesses jogos, o Benfica ganhou apenas 1, para a Taça de Portugal. Nos outros 6 a equipa perdeu 2 e empatou 4 jogos, sofrendo 9 golos com o central em campo. Aí Zoro ainda conseguiu fazer um golo para os encarnados!

Zoro no Vitória de Setúbal (Foto: Getty Images)

O pouco espaço de Zoro na Luz foi tão notória que até Miguel Vítor, com 19 anos teve minutos nessa temporada. Com nenhum dos 3 treinadores o central vingou, mas ficou nos quadros do Benfica na época seguinte. Apenas em fevereiro de 2009 o central foi emprestado depois de não fazer nenhum jogo na segunda temporada.

O empréstimo foi ao Vitória de Setúbal e logo nessa temporada fez 10 jogos pelos sadinos. O empréstimo renovou-se por mais uma época onde Zoro fez 24 jogos e mais 1 golo. Crescia a expetativa em voltar à Luz mas no final dessa época o costa-marfinense foi dispensado pelos encarnados.

Épocas interessantes em França e na Grécia

Assim, Zoro rumou a custo zero à Roménia para jogar pelo Universidade Craiova onde fez 14 jogos mas acabou por não vingar e, 6 meses depois voltou a ser dispensado. Com o vigor físico a dissipar-se, Zoro ainda voltou a jogar e passou por vários clubes: SCO Angers (França), OFI Creta, AO Chania e Amaliadas (Grécia).

No Angers da segunda liga francesa fez 35 partidas e 2 golos, revitalizando a carreira, ainda que num campeonato inferior. No OFI voltou às primeiras divisões e foi importante no 6º lugar da equipa grega num campeonato sempre exigente.

Zoro pendurou as botas em 2017 sem qualquer título no seu palmarés e com uma passagem infeliz pela Luz. É também lembrado em Itália por um escândalo com racismo antes de rumar a Lisboa. Zoro chegou mesmo a querer abandonar um jogo com o Inter de Milão pelos cânticos racistas que ouvia das bancadas.

Apesar de não ter vingado num Benfica conturbado, dos problemas em Itália e da falta de títulos, o costa-marfinense teve uma boa carreira. Importante em boas campanhas de vários clubes por onde passou, mostrou sempre ser um bom central. As limitações mostradas na Luz impediram que tivesse mais oportunidades com qualquer dos treinadores que apanhou no clube encarnado.

Pela seleção nacional, Zoro fez 22 jogos, 5 deles em CANs. Foi uma peça importante numa geração interessante e empolgante da Costa do Marfim à qual faltou, tal como ao central, títulos.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter