22 Mai, 2018

5 Desilusões do início da época da Liga NOS

Francisco IsaacOutubro 26, 20176min0

5 Desilusões do início da época da Liga NOS

Francisco IsaacOutubro 26, 20176min0
A Primeira Liga não está só "carregada" de surpresas, mas também de decepções. Estas são as 5 desilusões do início da época da Liga NOS do Fair Play

O futebol é “madrasto” em certas situações e, por vezes, com certos jogadores. Nas primeiras nove jornadas da Liga NOS, cinco jogadores foram considerados como as grandes desilusões do principal divisão de futebol em Portugal. Quem foram? E porquê? Descobre neste artigo a nossa opinião.

Óliver (FC Porto)

Nº de jogos: 9 jogos | 6 na Liga NOS (cinco vezes titular e uma como suplente) | 2 na Liga dos Campeões (1 vez a titular e uma como suplente) | 1 Taça de Portugal
Golos: 0
Assistências: 5
Outros Dados: Jogou na posição de 8 e 10; Valor de mercado na ordem dos 14M€

Óliver Torres foi a transferência mais cara do FC Porto no ano de 2017, com um valor de compra na ordem dos 20M€. Rotulado de craque, com uma primeira passagem pelo Dragão de grande sucesso (sete golos e seis assistências em 40 jogos), o médio centro está a ter grandes dificuldades para regressar ao onze de Sérgio Conceição. O treinador preteriu o espanhol a partir do encontro com o Rio Ave, somando nos últimos sete jogos 140 minutos de jogo, não tendo saído do banco com Rio Ave, Sporting CP, Paços de Ferreira e Mónaco por exemplo. A má exibição frente ao Besiktas foi fatal e daí até ao último jogo, frente ao Paços de Ferreira, Óliver deixou de ser um “bem essencial” para a manobra do FC Porto. Na sua terceira época de Dragão ao peito, Óliver tem sido inconstante a nível exibicional, assumindo-se como uma clara desilusão (a par de Soares ou Layún) no universo dos azuis-e-brancos.

Rafa (SL Benfica)

Nº de jogos: 7 jogos | 4 na Liga NOS (1 uma vez a titular e três como suplente) | 1 na Liga dos Campeões (saído do banco de suplentes jogou cerca de três minutos) | 1 na Taça CTT e 1 na Taça da Liga (ambos a titular)
Golos: 0
Assistências: 1
Outros Dados: Rafa chegou à Luz em 2016/2017 por 18M€; Actuou já como extremo direito e esquerdo ou como segundo-avançado;

Rafael Silva, mais conhecido como “Rafa”, tem sido um dos maiores fracassos do mandato de Luís Filipe Vieira. O atleta formado no Alverca e Feirense não tem, de forma alguma, confirmado o seu valor na Luz, não demonstrando 50% da qualidade que ostentou durante o seu tempo nos bracarenses. Rafa não entra nas contas directas de Rui Vitória, sendo uma 3ª solução para qualquer um dos corredores, já que Salvio, Zivkovic e Cervi estão à sua frente e, até, o jovem Diogo Gonçalves já tem mais jogos a titular do que o internacional português. Rafa perdeu o seu fulgor ofensivo, deixou de criar bons lances geniais e não tem uma participação ofensiva digna a merecer a titularidade num dos principais emblemas em Portugal. A saída em Janeiro é uma hipótese para Rafa ainda ir a tempo de recuperar o lugar na Selecção Nacional? Ou este hiato de tempo nas “Águias” pôs uma pausa até ver, na carreira do extremo.

Jonathan Silva (Sporting CP)

Nº de jogos: 7 jogos | 5 na Liga NOS (três a titular e duas como suplente) | 3 na Liga dos Campeões (um como titular e dois do banco) | 1 na Taça CTT e 1 na Taça da Liga (ambos a titular)
Golos: 0
Assistências: 0
Outros Dados: Regresso após empréstimo ao Boca Juniores;

Podia Iuri Medeiros entrar perfeitamente no lugar de Jonathan Silva, já que o extremo-avançado português tem sido um erro de casting do Sporting CP. Mas Jonathan Silva veio de um empréstimo ao Boca Juniores, tendo sido um dos melhores jogadores da Superliga Argentina de Futbol com possibilidades de ser o titular no lado esquerdo da defesa, mesmo com Fábio Coentrão no plantel. Contudo, Jonathan Silva não tem aproveitado as oportunidades concedidas por Jorge Jesus e os jogos para a Liga dos Campeões foram, na maioria, um desastre. Contra o Olympiakos e Juventus, três dos quatro golos sofridos no total começaram do lado esquerdo da defesa ou foram totais erros do lateral na abordagem aos lances. Já na Liga NOS teve sempre exibições pouco “intensas”, sempre com o treinador dos leões a repreender uma boa parte das acções do lateral, nomeadamente no espaço concedido nas suas costas e a abordagem ao ataque. Jonathan não sai até ao final da temporada, mas está longe de estar nas boas graças de Jorge Jesus.

Rafael Martins (Vitória SC “Guimarães”)

Nº de jogos: 11 jogos | 6 na Liga NOS (dois a titular e quatro como suplente) | 1 na Liga Europa (titular) | 1 na Taça de Portugal e 1 na Taça CTT (titular e banco respectivamente)
Golos: 3
Assistências: 1
Outros Dados: Transferiu-se a meio da temporada passada para Guimarães do Levante;

Onde está o grande goleador que habitou em Moreira de Cónegos em 2015/2016? Rafael Martins está longe, muito longe, do instinto “mortífero” que punha defesas inteiras em sentido e a temporada actual está a confirmar-se mais uma desilusão completa. Em 10 jogos, o ponta-de-lança facturou apenas por duas vezes e até tem sido preterido por Pedro Martins nos últimos encontros. Martins completou cerca de 220 minutos em seis jogos, com o treinador dos vimaranenses a não dar muito “espaço” para a afirmação do avançado. Acima de tudo, Martins tem estado perdulário nas oportunidades que surgiram em alguns encontros, sem a execução e eficácia que o marcaram em outras temporadas. O Vitória SC precisa de respostas rápidas e Pedro Martins parece ter conferido a titularidade ao novato Rincón, colocando Martins como 2ª ou 3ª solução para o ataque.

Leonardo Ruiz (Boavista FC)

Nº de jogos: 5 jogos | 4 na Liga NOS (3 a titular e um como suplente) | 1 na Taça CTT (saiu do banco)
Golos: 0
Assistências: 0
Outros Dados: Já passou pelo FC Porto e Sporting CP; 21 anos e com experiência da Liga LedmanPro

Leonardo Ruiz era uma das revelações do FC Porto “B” há três anos atrás, com um poder de explosão especial e uma boa capacidade de mudar as dinâmicas do ataque portista. Na UEFA Youth League (14/15) cativou as atenções da formação portista, o que permitiu-lhe dois anos na equipa “B”. Todavia, não viu o contrato renovado e passou para o serviço da equipa “B” dos “Leões”. Na temporada actual, o avançado está ao serviço dos “axadrezados” e a primeira experiência na Liga NOS não tem corrido bem ao colombiano. Em cinco jogos, conseguiu zero golos e a participação no ataque tem sido escassa, o que o coloca numa posição complicada já que Jorge Simão começou a apostar em Rui Pedro (destaque para o 1º golo pelo Boavista no último jogo que tiveram para o campeonato Nacional). Leonardo Ruiz tinha tudo para “explodir” e afirmar-se na Primeira Liga, mas a época está a ser difícil para o ponta-de-lança.

Foto: Twitter


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter