Vitor Pereira é mais um português a se aventurar em terras canarinhas

Rafael RibeiroFevereiro 26, 20225min0

Vitor Pereira é mais um português a se aventurar em terras canarinhas

Rafael RibeiroFevereiro 26, 20225min0
Vitor Pereira foi anunciado como novo treinador do Corinthians. No Fair Play analisamos o que os adeptos esperam do técnico e vice-versa.

O Corinthians já tem um novo treinador para a sequência desta época. Para substituir Sylvinho, demitido com apenas três jornadas feitas no ano de 2022 pelo Campeonato Paulista, chega o português Vitor Pereira. Ele, porém, não era o primeiro nome na lista de desejos alvinegro, pois Luis Castro foi sondado e chegou a dar um “sim” para a equipa paulista, que no final das contas não se acertou sobre o pagamento da multa do treinador ao Al-Duhail, o que fez o Botafogo se aproximar de um acerto, que pode ser resolvido nos próximos dias, apesar do clube árabe tentar resistir ao assédio.

O Timão então optou por investir novamente em Vitor Pereira, que estava livre no mercado após sua demissão do Fenerbahce. Não foi a primeira vez que um time brasileiro apostou neste nome. Isso porque o São Paulo, ano passado, chegou a entrevistá-lo para o cargo, porém não foi adiante quando o treinador deixou claro que sua preferência era permanecer na Europa e ouvir outras propostas. Até foi ventilado no Everton (ING), mas a pressão dos adeptos fez com que o time inglês optasse por Frank Lampard. Então, tanto pela falta de opções quanto a boa chance de ter um ano de vitórias no Brasil, foi que Vitor Pereira aceitou as condições de se aventurar no Brasil. O que ele encontrará por aqui e o que os adeptos encontrarão nele?

Acompanhe as lives do Ginga Canarinha do Fair Play clicando aqui!

A carreira do treinador

Como muito noticiado desde sua confirmação por veículos brasileiros, Vitor Pereira acumulou altos e baixo durante sua carreira, mas sempre com notoriedade ou fatos curiosos. Tendo seu principal início como treinador no Porto entre 2011 e 2013, assumindo o posto de André Villas-Boas, conquistou bons títulos, incluindo o campeonato português de forma consecutiva. Sua passagem pela Arábia Saudita foi pelo Al-Ahli, entre 2013 e 2015, e logo depois ao Fenerbahce, na Turquia, onde viria a ser demitido um ano depois por divergências estranhas com a direção da equipa. Assumiu curiosamente o 1860 München, time alemão na segunda divisão nacional, e acabou sendo rebaixado para a 3ª divisão em 2017, sendo que pouco tempo depois rumou a China.

Lá, substituiu novamente André Villas-Boas, no comando do Shanghai SIPG. Reencontrou Hulk (jogador que vai encontrar novamente no Brasil, desta vez jogando contra), e venceu o campeonato chinês em 2018. Retornou ao Fenerbahce em Julho de 2021 para esta última breve passagem, também em branco, antes de aceitar vir ao Brasil. Certamente um nome interessante ao Corinthians dentre os nomes portugueses ventilados, até pela paixão repentina do Brasil por técnicos da península Ibérica, mas o que será que teremos a frente neste casamento?

Vitor Pereira ganhou notoriedade no início de carreira ao comandar o Porto entre 2011 e 2013 (Foto: Reprodução/Porto FC)

A equipa atual do Corinthians

Ainda que Vitor Pereira queira fazer adaptações ao seu estilo de jogo e até mesmo indicar diferentes reforços para a equipa corintiana, já é fato que ele possui um plantel com bons nomes em sua lista, apesar de um certo desequilíbrio. A parte positiva de destaque fica por conta de bons nomes recentes que chegaram ao clube, e certamente fizeram a diferença na hora de classificarem-se para a Copa Libertadores de 2022. Renato Augusto, Giuliano, Willian, Paulinho e Róger Guedes demonstram ser o quarteto principal até para esta época, e darão ao técnico a possibilidade de contar com nomes experientes e que podem decidir individualmente até que o estilo de jogo seja implantado.

Ainda assim, Alguns destes nomes já não estão no auge físico e de idade, e no calendário exaustivo do Brasil eles podem não estar a disposição sempre, o que levará Pereira a ter de pensar em alternativas viáveis e seguras. A defesa conta com os já consagrados Cássio (guarda-redes), Fagner e Fábio Santos nas laterais, mas se de um lado se alegra com a ascensão do jovem João Victor, se preocupa com a instabilidade de Gil. Du Queiroz é a grata surpresa no meio de campo, e mais do que a chegada de novos nomes, Vitor Pereira deverá se preocupar neste momento em tentar recuperar e integrar ao plantel nomes como Victor Cantillo, e principalmente Luan e Jô, muito criticados já de algum tempo.

Com a chegada de um novo treinador, Luan e Jô poderão voltar a ter bons momentos? (Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians)

Os campeonatos a serem disputados

O Corinthians terá em 2022 um calendário apertado, pois estará na disputa de quatro campeonatos ao longo do ano. Começando pelo Campeonato Paulista, onde tem praticamente garantida sua passagem para as quartas de final, além do Brasileirão, a Copa do Brasil e a Libertadores da América. Esta última tem data de estréia marcada para 6 de Abril, tempo para Vitor Pereira começar seu trabalho e mostrar de fato como seu time jogará para a competição mais importante do calendário. O Corinthians poderá ter, se continuar até a final de todos os campeonatos, 77 jogos em 2022.

Talvez para a Libertadores e para o Brasileirão, as duas competições mais difíceis, não haja espaço para colocar o Corinthians como favorito. Mas, a depender do trabalho de Vitor Pereira daqui em diante, é possível dizer que o Corinthians será competitivo em todos os campeonatos. Resta dizer se os jogadores irão traduzir a teoria na prática, e se nenhum problema fora do relvado (como é comum no Corinthians e nos times brasileiros em geral, com relação a parte política e financeira) poderá atrapalhar a caminhada do treinador português, que curiosamente optou por fazer um contrato curto, apenas até o fim de 2022, para saber de fato se sua permanência poderá ser mais longa.

 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter