Top3: os melhores estrangeiros no Brasileirão 2021

Rafael RibeiroOutubro 13, 20215min0

Top3: os melhores estrangeiros no Brasileirão 2021

Rafael RibeiroOutubro 13, 20215min0
Rafa Ribeiro conta ao Fair Play quais são, em sua opinião, os estrangeiros que mais estão se destacando no Brasil em 2021.

O futebol brasileiro tem por característica revelar grandes jogadores para o mercado mundial. Muitos bons nomes fizeram e ainda fazem sucesso fora do país de origem e fazem da Seleção Brasileira um conjunto de estrelas que são protagonistas em grandes centro europeus. Mas e ao contrário? Existem também estrangeiros que fazem sucesso em terras canarinhas? A resposta é claramente sim. Desde Rodolfo Rodríguez como guarda-redes santista, Darío Pereyra e outros uruguaios na história são-paulina (como Diego Lugano), Gamarra, paraguaio com longa passagem no Brasil, além de Arce, D’Alessandro, Seedorf, Petkovic, Sorín.

A lista de fato é longa. Mas pensando então em 2021, quais os nomes estrangeiros podemos colocar no topo de exibições nas equipas atuais? Que jogadores vieram de fora e estão marcando seu nome na cabeça dos adeptos devido a boas performances nesta época? O Fair Play separou três nomes para que fiquem de olho e analisem se estes poderão ou não aparecer no hall de melhores estrangeiros na história do Brasileirão. Apesar de financeiramente atrativo para jogadores sulamericanos, o futebol brasileiro também passa por momento financeiro delicado, então não há tantos nomes como antigamente, mas ainda existe qualidade estrangeira por aqui.

1. Giorgian De Arrascaeta (Flamengo)

O primeiro nome (e mais longínquo da lista) aparece por qualidade e por constância. O uruguaio, meio campista do Flamengo e frequentemente chamado para A Celeste uruguaia, chama a atenção do futebol brasileiro desde quando chegou, no Cruzeiro, em 2015. Com a Raposa, conquistou a Copa do Brasil em 2017 e 2018, além do Campeonato Mineiro de 2018. Sempre como protagonista da equipa, somente passou por momentos turbulentos ao forçar sua transferência para a equipa carioca. Lá, porém, as conquistas esportivas decolaram. Carioca em 19, 20 e 21, Brasileirão em 2019 e 2020, Libertadores em 2019, além da Supercopa do Brasil em 20 e 21 e Recopa Sulamericana em 2020.

Arrascaeta é um dos meio campistas mais versáteis no futebol brasileiro atualmente, com excelente aproximação da meta adversária. Mesmo que destro, tem por habilidade o passe e o chute com ambos os pés. É favorecido pelo grande plantel que o Flamengo montou desde os tempos de Jorge Jesus, porém mesmo individualmente já pode se colocar entre os nomes estrangeiros mais falados pelos adeptos flamenguistas, já próximo de Conca, Maldonado e Petkovic.

Arrascaeta é um dos grandes nomes no plantel do Flamengo (Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)

2. Nacho Fernández (Atlético Mineiro)

O Atlético Mineiro conta esta época com mais nomes estrangeiros de boa qualidade. Desde o defesa paraguaio Júnior Alonso, passando pelos médios Matías Zaracho e, obviamente, Ignácio Martín (Nacho) Fernández. Os meio campistas são as contratações mais caras do time mineiro, em valores estimados de 6 milhões de dólares (no caso de Nacho, por 70% de seus direitos federativos). Já virou peça fundamental na campanha para tentar o desejado título brasileiro, já que desde 71 a equipa não o conquista.

Nacho pode brigar com Arrascaeta no quesito técnico no meio campo. Também é um jogador de muita qualidade, mesmo que contribua menos com golos e assistências do que o primeiro nome. São as duas equipas com melhores plantéis em 2021, e para tanto Nacho conta com vasta contribuição no ataque, com Hulk, Diego Costa, Vargas e outros. De qualquer forma, ainda terá tempo para se mostrar apto a estar no hall de grandes nomes estrangeiros da equipa, como José Villalba (o primeiro estrangeiro, argentino), o italiano Benito Fantoni, Jesús Dátolo e outros.

3. Emiliano Rigoni (São Paulo)

Em uma época de altos e baixos, Rigoni é o principal nome tricolor na campanha do Brasileirão. Tendo conquistado o Campeonato Paulista de 2021 e saído de uma fila de nove anos sem títulos, ainda sem o argentino, sua missão ao chegar no Brasil era manter o nível de performance para brigar pelo título nacional. Não foi o que ocorreu com a equipa de Crespo, que caiu vertiginosamente de produção e briga na parte de baixo da tabela. Mas Rigoni se salva por suas exibições individuais, de muita velocidade, cortes e chutes no alvo. Assim, é o vice artilheiro da equipa atrás de Pablo (que já está no clube desde 2019) e o que mais tem participações em golos na época.

Um dos únicos a quem os adeptos não criticam, devido ao péssimo Brasileirão tricolor, Rigoni tem até um meme para chamar de seu. Ao ser contratado, um tweet fez com que as expectativas sobre o jogador fossem baixas, porém a cada nova boa atuação, as palavras abaixo são ironicamente lembradas já que mostram o oposto do que se falou. Claro, virou brincadeira do Twitter, pois não podia se prever o que Rigoni faria no time, mas assim como Nacho, ao permanecer por mais tempo na equipa, Rigoni poderá voltar a dar alegrias aos adeptos são-paulinos como muitos outros estrangeiros deram.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter