São Paulo ou Palmeiras, qual equipa avançará a semifinal da Libertadores?

Renato SalgadoAgosto 11, 20216min0

São Paulo ou Palmeiras, qual equipa avançará a semifinal da Libertadores?

Renato SalgadoAgosto 11, 20216min0
São Paulo e Palmeiras empataram e a decisão de uma vaga na semifinal ficou aberta. Após primeiro tempo morno, jogo melhorou na segunda etapa. Luan marcou o gol do Tricolor, enquanto Patrick de Paula empatou para o Alviverde no Morumbi

São Paulo e Palmeiras empataram por 1 x 1 nesta terça-feira (10/8), no Morumbi, no jogo de ida das quartas de final da Libertadores. Em um duelo de pouca criatividade e poucas chances de gol, dois jovens volantes foram às redes. Luan abriu o placar para o time da casa e Patrick de Paula, em cobrança de falta, deixou tudo igual. Como na competição continental existe a regra do gol fora de casa, o resultado é melhor para o Palmeiras, que joga por um empate sem gols na próxima terça-feira (17/8), no Allianz Parque. A favor do São Paulo está a invencibilidade sobre o rival na competição, que foi mantida.

Agora são nove jogos sem derrota, sendo seis vitórias e três empates. O Palmeiras também conseguiu manter outra marca invicta São 14 partidas consecutivas sem perder como visitante na Libertadores, com dez vitórias e quatro empates, ampliando o recorde que já lhe pertencia. O estádio do Morumbi não contou com a presença de torcedores por causa da pandemia. Mas isso não impediu a provocação. O São Paulo aproveitou o jogo em seu estádio e pendurou algumas faixas provocativas . Em uma delas: “nunca fui rebaixado”. Em outra, “a sua obsessão (conquistar o Mundial de Clubes) é a minha história”, com a imagem dos três troféus conquistados pelo clube.

Os técnicos surpreenderam nas escalações. Crespo optou por começar com Rodrigo Nestor no lugar de Benítez. Daniel Alves, que voltou recentemente de Tóquio, também iniciou a partida como titular. Abel Ferreira nem relacionou Gabriel Menino, que voltou do Japão no mesmo voo do atleta do São Paulo. Mas ele também arriscou na escalação ao deixar Gustavo Scarpa no banco, com Dudu e Rony entre os 11.

O jogo

Na prática, nenhuma das alterações surtiu muito efeito e o que se viu em campo foi um primeiro tempo de muita marcação e raras chances de gol. O São Paulo tinha mais a posse da bola, mas não conseguia passar pela linha de marcação adversária. Daniel Alves cruzou pelo menos três bolas na área nas mãos de Weverton. O lateral acertou lançamento para Sara, que chutou para defesa do goleiro palmeirense. Pouco depois Rigoni mandou na área da intermediária e exigiu mais uma defesa de Weverton.

Do outro lado, Dudu criou duas boas jogadas, mas tocou para Breno Lopes, que se atrapalhou. Na segunda delas, chutou o próprio pé e caiu dentro da área. No restante da primeira etapa, o Palmeiras também se mostrou um time pouco criativo e a saída também foi jogar a bola na área, sem perigo. Insatisfeitos com os desempenhos de seus comandados, os técnicos voltaram com mudanças. Wellington entrou no lugar de Arboleda e Wesley substituiu Breno Lopes, o pior da primeira etapa. O jogo melhorou um pouco nos primeiros minutos e o São Paulo conseguiu abrir o placar na base da insistência. Após cruzamento na área, Nestor tentou por duas vezes e Weverton deu rebote. Luan aproveitou a nova sobra e mandou para as redes.

O Palmeiras não conseguia criar. Abel colocou em campo Patrick de Paula e Luiz Adriano, mas pouco mudou. Até que apareceu uma cobrança de falta no lado esquerdo da área tricolor. Patrick de Paula bateu cruzado, rasteiro, a bola não desviou em ninguém e enganou Volpi, que chegou atrasado. Os visitantes cresceram na partida e começaram a pressionar. Wesley escorregou antes de finalizar e Luiz Adriano arriscou por cima do gol. O São Paulo não conseguia chegar mais ao gol adversário. Em uma das raras oportunidades, Pablo foi lançado, mas o árbitro assinalou impedimento.

Reprodução / Twitter Conmebol

Na jogada, Wellington, que havia entrado no decorrer do jogo se machucou e deu lugar a Reinaldo. Deve ser mais uma baixa da equipe para o jogo de volta, que ainda não conta com Luciano, Marquinhos e Eder. A partida seguiu truncada nos minutos finais. Com falta de criatividade de ambos os lados, o jogo terminou empatado e a decisão ficou para a partida de volta. Curiosamente, os dois principais destaques das equipes nos últimos jogos, os atletas responsáveis pela criatividade em campo, Benítez e Gustavo Scarpa permaneceram o jogo inteiro no banco de reservas e não entraram em campo.

Torcida do São Paulo enche o Morumbi de faixas, mosaicos e bandeiras para o jogo da Libertadores contra o Palmeiras

A Libertadores é especial para qualquer torcedor, porém para os tricolores paulistas, existe um sentimento ainda maior com a competição internacional. Por conta disso, a torcida preparou o estádio do Morumbi com diversas bandeiras e faixas. Mas a grande novidade para o jogo, foram as arquibancadas repletas de mosaicos.

Foto: Bruno Riganti / Gutierre Filmes

O empate no Morumbi ainda deixa a decisão aberta para o Allianz Parque?

Na minha visão, não! Pelo gol marcado no Morumbi e jogar a volta em casa, faz do Palmeiras mais favorito do que já era antes do início do confronto. Lembrando que o verdão é o atual campeão da Libertadores, tem um elenco de melhor qualidade e de mais opções em comparação ao tricolor paulista. Sem contar ainda, o tempo de trabalho de Abel Ferreira a frente da equipa do Palmeiras, comparando com o tempo de Crespo no São Paulo. Mas quantos favoritos já decepcionaram antertiormente?

A única certeza, é que na próxima terça-feira, 17/08 (às 21:30 de Brasília) teremos mais um jogo muito estudado táticamente e de muito contato fisíco, e quem sabe, decidido nas cobranças por pênaltis!

Agora, as equipes viram a chave para a disputa do Campeonato Brasileiro. O São Paulo pega o Grêmio, no sábado (14), às 21h, no Morumbi, enquanto o Palmeiras tem um confronto direito pela liderança contra o Atlético-MG, também no sábado, às 19h, em Belo Horizonte.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter